Terça, 11 Mai 2021 05:00

“Poder levar conforto, acalento, aconchego aos enfermos é uma forma de humanizar o atendimento”

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
“Poder levar conforto, acalento, aconchego aos enfermos é uma forma de humanizar o atendimento” Foto: DANIEL MENEGUINI / ASSESSORIA DE GABINETE

De autoria do deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) foi sancionada pelo Governador Mauro Mendes, Lei que autoriza visitas espirituais de capelães em UTIs e enfermarias de Mato Grosso.

Desde o dia 29 de abril deste ano uma lei autoriza visitas espirituais de capelães em UTIs e enfermarias de Mato Grosso. De autoria do deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) foi sancionada pelo Governador Mauro Mendes, a Lei 11.347, que assegura atendimento espiritual realizado por capelães de quaisquer ordens religiosas, cumprindo todos os protocolos de medidas preventivas que as respectivas Diretorias Técnicas das instituições de saúde e autoridades sanitárias expedirem.

Deputado Dilmar explicou que em decorrência da pandemia da Covid-19, este tipo de prestação de assistência espiritual e religiosa de pacientes internados nos leitos e nas UTIs é fundamental para o paciente e para a família.

“Toda oração, de toda e qualquer religião é fundamental, importante para o enfermo, pois é ele e a sua família que estão ali, desesperados buscando a cura. Não importa qual denominação seja, a oração é uma arma muito poderosa a todos que a buscam e que tenham fé”, frisou o deputado.

Dal Bosco acredita que toda forma de poder levar um conforto, um acalento, um aconchego aos enfermos é uma forma de humanizar o atendimento. “Precisamos levar um carinho para aqueles que estão internados nas UTIs. A forma que podemos fazer isso no momento é através da oração. O conforto e o acalento de uma oração significa amor, compaixão,  empatia, o que é muito importante em um momento de desespero dos familiares. A partir de agora, será assegurada pelas instituições hospitalares essa assistência espiritual e religiosa, desde que respeitadas às normas e protocolos dessas instituições e a condição clínica do paciente” disse Dilmar.

O deputado ainda explicou que as instituições de saúde devem afixar em local acessível os protocolos relacionados à prestação espiritual, bem como disponibilizar todos os instrumentos de orientação clínica.

“Algumas instituições já autorizam este tipo de assistência aos enfermos, porém, em decorrência da pandemia da Covid-19, o trabalho espiritual demandado pela capelania nos cuidados desses pacientes, aumentou muito nos últimos anos e nós, como cristãos, somos sabedores da importância da espiritualidade na vida do ser humano” finalizou Dilmar.

A Lei será aplicada aos denominados hospitais de campanha. As instituições de saúde poderão disponibilizar recursos tecnológicos para sua realização, quando solicitado pelo paciente ou pela família, no caso de impossibilidade de visita familiar ou atendimento espiritual presencial. 

A Lei 11.347, de 28 de abril de 2021, foi sancionada e publicada no Diário Oficial no dia 29 de abril de 2021.

 

Ler 69 vezes