Domingo, 28 Novembro 2021 05:00

Médica alerta sobre a importância das vacinas

Médica alerta sobre a importância das vacinas Foto: Assessoria

A infectologista Maria Isabel de Moraes Pinto, pontua a relevância de se estar ciente de que existem várias doenças respiratórias que podem ser transmitidas e muitas delas são passíveis de prevenção através de vacinação.

Os casos de infecções virais em crianças aumentaram nas regiões onde houve maior retorno às aulas presenciais, segundo boletim InfoGripe, da Fiocruz. É o caso de Cuiabá que tem diagnosticado mais casos de vírus respiratório sincicial. Conforme Maria Isabel de Moraes Pinto, infectologista e especialista em vacinas do Cedic Cedilab/Dasa, é um vírus que ainda não existe vacina. Os sintomas mais comuns são coriza, tosse e febre. “No entanto, principalmente em crianças pequenas, pode ter um desenvolvimento com dificuldade de respirar e precisar de internação hospitalar”, observa a especialista. Segundo a médica, ainda não há casos expressivos de internação. Porém, ela sugere atenção.

“Observo aí um problema. Muitas pessoas não se vacinaram contra a Influenza, incluindo crianças, mesmo diante da possibilidade de realizar na rede pública gratuitamente na oportunidade em que foram disponibilizadas”.

Para a infectologista é necessário que a gente tenha cuidados especiais. De acordo com ela, não se deve deixar de lado a higiene das mãos, a lavagem dos brinquedos em comuns e o uso de máscaras para evitar que essas infecções aconteçam de uma maneira descontrolada. “Algo muito importante é que frente a essas infecções respiratórias, mesmo que pouco sintomáticas, seja feita a testagem visando diagnosticar a infecção pelo SARS-CoV-2 e que nos casos mais graves que possa indicar internação é necessário que se faça a testagem de outros vírus. “Sabemos que é uma testagem desagradável, porém muito importante. Visa não somente o diagnóstico, mas a possibilidade dessa criança poder passar para outros indivíduos, bem como a necessidade de isolamento nesse caso”, friosu a doutora.

Raramente um paciente faz teste para esses tipos de vírus, porque eles são caros e os planos de saúde não cobrem. “Realmente esse diagnóstico de outros vírus respiratórios são caros e nem sempre são contemplados pelos convênios médicos. Mas em algumas situações eles podem fazer a diferença, principalmente em crianças”, destacou.

Por fim, ela pontua a relevância de se estar ciente de que existem várias doenças respiratórias que podem ser transmitidas e muitas delas são passíveis de prevenção através de vacinação. Alerta ainda para a quantidade de pessoas e crianças que estão com a vacinação desatualizada. “Ainda está disponível a importante vacina influenza.  Quem não se vacinou, deve se vacinar. Atualizar as outras vacinas. Há doenças respiratórias graves como coqueluche que podem ser prevenidas através de vacinação, bem como as causadas pelo pneumococo. Então é de suma importância colocar a carteira vacinal em dia, inclusive se vacinando contra a influenza”, ponderou a médica.

 

 

Ler 74 vezes