Cidades

Cidades (434)

A campanha acontece neste sábado, 18, das 7h30 às 17 horas. Estarão abertas 20 unidades básicas de saúde.

 Visando elevar a proteção das pessoas e das crianças para outras doenças que ainda necessitam de cuidados deixados de lado, por causa da covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande reforça suas atividades em uma campanha de multivacinação. 

Várzea Grande inicia neste sábado, 18 de setembro, Campanha de Multivacinação ofertando doses de Pentavalente, que garante proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meningite e na garganta; Pneumocócica; VIP ou VOP que protege contra a Poliomielite ou paralisia infantil e a Tríplice Viral, com foco na atualização das cadernetas de crianças, menores de cinco anos. 

Também vai reforçar a campanha de vacinação da Gripe Influenza, lembrando que ela não tem eficácia contra a covid-19, mas permite aos médicos e enfermeiros em avaliação a pacientes, conseguir um diagnóstico mais apurado e um tratamento mais eficaz para a população em geral, pois assim como a covid-19 a Influenza se trata de uma Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG.

A vacina contra a Gripe Influenza é indicada para maiores de seis meses e apenas deve se ter o cuidado de receber a vacina com intervalo de 15 dias se foi imunizado contra a covid ou vice-versa.

Várzea Grande está reservando dois sábados, dia 18 e dia 25. O horário da Campanha de Multivacinação acontece das 7h30 às 17horas em 20 locais que cobrem toda a cidade. 

Estarão abertas para a ação 20 Unidades Básicas de Saúde: 

Centro de Saúde do Água Limpa;

Centro de Saúde Cohab Cristo Rei; 

Centro de Saúde Jardim Imperial; 

Centro de Saúde Nossa Senhora da Guia;

Clínica de Atenção Primária 24 de Dezembro; 

Clínica de Atenção Primária Jardim Glória;

Clínica de Atenção Primária Marajoara; 

Clínica de Atenção Primária Parque do Lago; 

ESF - Estratégia Saúde da Família Água Vermelha; 

ESF - Estratégia Saúde da Família Aurília Sales Curvo; 

ESF Capão Grande; 

ESF Manaíra;

ESF Manga; 

ESF São Mateus; 

ESF Unipark;

ESF Vila Arthur; 

Unidade Básica de Saúde do Construmat; 

UBS Jardim Eldorado; 

UBS Ouro Verde; 

UBS Santa Isabel.

O público-alvo da campanha contra poliomielite são crianças de 1 ano a menores de 5 anos, que devem receber a Vacina Oral de Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses da Vacina Inativada de Poliomielite (VIP), do esquema básico de vacinação. As demais vacinas conforme as indicações do calendário nacional de vacinação.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Gonçalo de Barros, neste momento todos os esforços estão sendo concentrados na ação da vacinação contra a covid- 19, porém é uma responsabilidade promover ação na proteção das crianças com vacinas necessárias, principalmente em momento de pandemia.

“Vamos manter um ponto de vacinação contra a covid-19, neste sábado (18), nas Clínicas Médicas do UNIVAG, ponto fixo, para as pessoas confirmadas e agendadas, e as acima de 18 anos que ainda não receberam a primeira dose. 20 Unidades Básicas de Saúde vão funcionar na realização da Campanha de Multivacinação. Queremos neste dia que cada pai, cada mãe, cada parente, faça sua parte no processo, leve sua criança à unidade de saúde para que possa ser imunizada e ser protegida de danos que podem repercutir a vida inteira. Estas vacinas são básicas, fazem parte da cobertura vacinal das crianças, e protegem de várias doenças. Já a vacina da Influenza está liberada para a população em geral maior de 6 meses. É importante observar o intervalo de 14 dias, após ter tomado a vacina contra a covid-19, para então poder tomar a vacina da influenza”, disse o secretário.

Ele reforçou ainda que o objetivo desta ação é resgatar o sentimento de segurança, de pais e responsáveis em relação à saúde dos seus filhos. ”As vacinas são seguras e protegem de doenças, como exemplo claro da poliomielite, que está erradicada no Brasil, em decorrência da disponibilidade da vacina. Vamos continuar vacinando nossa população contra a covid-19, sem descuidar das nossas crianças, que necessitam desta atenção da Saúde Pública”, alertou o secretário.

Ele aproveitou para lembrar que a prioridade determinada pelo prefeito Kalil Baracat é da imunização de todas as pessoas, por isso a Secretaria Municipai de Saúde tem trabalhado em diversas frentes, não apenas contra a covid-19, mas contra toda e qualquer doença que possa ser combatida.

Gonçalo de Barros esclareceu ainda que a Rede Pública Municipal, está preparada para realizar a Campanha de Multivacinação de forma segura, a fim de se evitar aglomeração das pessoas, o que promove a transmissão da covid-19.

“Todas as medidas de biossegurança, e entre as orientações dadas às equipes das unidades que aplicarão a vacina, consta garantir a administração das vacinas em locais abertos e ventilados; disponibilizar local para lavagem das mãos e álcool em gel; orientar que somente um familiar acompanhe a pessoas a ser vacinada e realizar a triagem de pessoas com sintomas respiratórios antes da entrada no ambiente da vacinação, o que terá cuidado especial. Diante destas medidas adotadas os pais podem levar suas crianças com tranquilidade às unidades de saúde neste sábado (18) para se vacinarem”, garantiu o secretário municipal de Saúde Gonçalo de Barros.

Em Várzea Grande, serviço garante que o recém-nascido saia com a sua maternidade e paternidade constituída.

Ao completar 120 dias de efetivo funcionamento e dar vida a mais de 700 crianças, o Hospital Materno Infantil da Rede Cegonha Dr. Francisco Lustosa de Figueiredo deu mais um passo no sentido de consolidar sua condição de prestador de serviços de qualidade para aquelas pessoas que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) que na cidade funciona de porta aberta, atendendo a todos que procurarem os serviços e sem custos para os pacientes ou familiares, ao instalar e colocar em funcionamento uma unidade do Cartório de Registro Civil de Nascimento.

“Aqui está verdadeiramente a cidadania plena, pois os pais vem, são atendidos com serviços de qualidade, que leva ao nascimento de futuros cidadãos ou cidadãs, que deixam a unidade com sua existência plena e legal confirmada, o que é fundamental para qualquer pessoa, qualquer família e também para a própria Administração Municipal”, disse o prefeito Kalil Baracat, acompanhado pelo Diretor do Fórum de Várzea Grande, Luis Otávio Pereira Marques e pelo secretário de Saúde Municipal, Gonçalo Barros no primeiro registro civil da unidade instalada na Rede Cegonha.

Com um dia de nascida, Maria Eduarda, já é uma cidadã várzea-grandense e teve seu registro logo após a instalação do serviço. Luiz Ricardo Gomes da Silva, pai de Maria Eduarda e morador de Várzea Grande, considera que o serviço de registro de nascimento no hospital traz mais comodidade e segurança, “Não precisei nem deslocar para o cartório e o atendimento foi rápido, o que me emocionou muito, e já veio o documento com o número do CPF. Minha esposa teve a bebê, por meio de cesariana, e precisa de cuidados e como tive a facilidade do registro, posso dar mais atenção a ela e a minha filha. Tudo foi feito de forma gratuita, um orgulho para nós, pais, que estamos com este serviço ganhando cidadania”, disse ele.

Segundo o juiz Luis Otávio Pereira Marques a ação é uma determinação da Corregedoria Nacional de Justiça do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que com o apoio do Ministério da Saúde, Ministério da Justiça e Secretaria de Direitos Humanos, instituiu o registro civil de nascimento em maternidades.

“Em Várzea Grande vai funcionar conforme normatização nacional, em sistema de rodízio, entre os cartórios de Várzea Grande, que passarão a atuar neste posto, funcionando de segunda a sexta, em horário normal de expediente, e nos finais de semana em sistema de plantão. O serviço está conectado no sistema eletrônico para transmissão segura de dados entre a maternidade e os cartórios. O que assegura o registro na hora e prevê a erradicação de registros tardios. O serviço garante que o recém-nascido saia com a sua maternidade e paternidade constituída. O bebê sai com um nome e já tem o seu primeiro direito de cidadão assegurado com a certidão de nascimento”, esclareceu o juiz Luis Otávio, dizendo que os cartórios que atuarão no posto em sistema de rodízio, serão os existentes no município e localizados na Passagem da Conceição, Cristo Rei, Bonsucesso, Capão Grande e o 2º Serviço Registro Notorial e Registral, situado no Várzea Grande Shopping.

Para o prefeito Kalil Baracat, a certidão de nascimento viabiliza direitos importantes para o pleno exercício da cidadania como acesso ao atendimento nas unidades de saúde, aos programas sociais, o acesso ao ensino, à aquisição de documentação civil básica como a carteira de identidade, entre tantos outros benefícios existentes no âmbito da Administração Pública.  

“Essa parceria busca possibilitar que todas as pessoas tenham acesso aos direitos dos cidadãos, conforme a Legislação Brasileira. Lembrando que todos os nascidos em Várzea Grande, terão seus registros na própria cidade, acabando com histórias, de que o várzea-grandense, nascido na cidade possuía registro só em Cuiabá. Agora farão parte do Censo Nacional, como cidadãos várzea-grandenses. Não fugindo do objetivo maior que é o de que toda a criança de Várzea Grande, nascida na Rede SUS deixe a maternidade já com seu registro de nascimento e o de assegurar o registro de nascimento gratuito para pessoas de baixa renda através de um sistema interligado de Registro Civil”, pontuou o prefeito, dizendo ainda que a cidade cuida com amparo legal e presta cidadania ao morador.

700 nascidos

Para o prefeito, a informação verídica da existência da pessoa é fundamental e lembrou das dificuldades que muitas pessoas estão passando neste momento de pandemia por causa da exigência de as pessoas terem Cartão SUS na cidade para terem direito a vacina contra a COVID-19.

“As doses são distribuídas pelo Ministério da Saúde para os Estados que dividem para os municípios de acordo com os Cartões SUS, que são emitidos para as pessoas que existem de fato, ou seja, que tem certidão de nascimento, CPF, Registro Geral (RG) entre outros documentos que comprovam a existência das mesmas, por isso que é fundamental ao nascituro e a sua família a Certidão de Nascimento que é a garantia de acesso a serviços públicos essenciais”, lembrou Kalil Baracat.

O secretário municipal de Saúde, Gonçalo Aparecido de Barros, explicou que Várzea Grande pode ter o serviço cartorial, pela grande quantidade de crianças que estão nascendo na unidade, uma média de 120 a 150/mês, o que cumpre as exigências legais para o estabelecimento da parceria.

“Desde a inauguração da Rede Cegonha do Hospital Materno Infantil, já nasceram mais de 700 crianças. Temos dias como na semana passada que foram 20 nascimentos, uma marca expressiva e que nos orgulha muito de poder proporcionar às mães, aos pais, um local apropriado para um parto seguro. Com a pandemia da COVID-19, foi necessário tirar a Rede Cegonha de dentro do Hospital Pronto Socorro Municipal e evitar o chamado contágio cruzado, onde a mãe contaminada passa para o bebê. Agora com este serviço, do Hospital Materno Infantil em um lugar próprio estamos dando mais cidadania e ofertando serviços humanizados. Não vamos parar por aí, ainda serão construídos 10 novos leitos de UTIs, entre pediátricos e neonatal, nesta unidade e assim, vamos ter um local exclusivo só para as mães e os cuidados com os recém-nascidos. É um projeto da gestão Kalil Baracat que gradativamente vem se concretizando. Como sempre falo, vamos dando passos pequenos e instalando os serviços, assim a saúde pública de Várzea Grande vai ganhando Know-how de excelência na sua oferta de serviços e atendimento”, afiançou o secretário Gonçalo Barros.

O prefeito aproveitou para agradecer o apoio do Governo do Estado, Assembleia Legislativa e agora do Poder Judiciário que ajudam na consolidação de um serviço humanizado na Saúde Pública Municipal de Várzea Grande. “Estamos encontrando respaldo nos demais Poderes Constituídos em todas as esferas, desde os 21 vereadores de Várzea Grande, os deputados estaduais, deputados federais, senadores, na pessoa do governador, e principalmente no suporte dos profissionais da Saúde que tem sido imperioso e fundamental em todas as ações que desempenhamos, pois elas estão voltadas para atender Várzea Grande e sua gente. Meu agradecimento ao Poder Judiciário que na pessoa do juiz Luis Otávio Pereira Marques com sua sensibilidade e determinação está permitindo que o processo de cidadania das pessoas seja completo. Eu nasci nesta unidade hospitalar e quero assegurar a todas as pessoas que assim o desejarem, o direito de nascer em Várzea Grande”, disse Kalil Baracat.

Quinta, 16 Setembro 2021 05:00

“Fraternal”

Filme reúne fotos para homenagear vítimas da pandemia.

Ambientado na Cuiabá contemporânea, o curta-metragem “Fraternal” irá prestar uma homenagem a vítimas reais da COVID-19. Durante os créditos finais da produção, serão exibidas fotografias de pessoas que faleceram em decorrência da pandemia. As pessoas podem encaminhar imagens de seus respectivos entes queridos até o dia 30 de setembro. O projeto que resultou no filme foi contemplado em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e com apoio do Conselho Municipal de Política Cultural.

Dirigido por Túlio Paniago e produzido pela Terra do Sol Filmes, o projeto audiovisual está na etapa de pós-produção e o lançamento está previsto para o final deste ano. Portanto, quem quiser ter um familiar entre os homenageados, basta enviar uma foto acompanhada das respectivas datas de nascimento e falecimento da vítima. Os arquivos podem ser encaminhados via email (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.), Instagram (@fraternal.curta) ou WhatsApp (65 99349-8003).

“É uma maneira de cristalizar a memória dos que partiram e também marca uma posição junto aos que ficam, até porque milhares de mortes poderiam ter sido evitadas caso o país tivesse assumido uma política efetiva de controle e prevenção”, avalia o diretor Túlio Paniago. 

As fotografias cedidas também irão compor um mural na página do Instagram do projeto. "É tudo muito recente, uma ferida ainda aberta para as famílias que perderam alguém. A memória e o luto devem ser tratados com extremo respeito e é nesse sentido que a gente pretende fazer esta homenagem”, explica o produtor executivo Leonardo Sant’Ana. 

Fraternal é um drama familiar protagonizado por Célia (Vera Capilé) e Luiz (Romeu Benedicto), respectivamente mãe e filho. Confinados em casa durante a pandemia, eles vivem cada vez mais isolados socialmente e próximos entre si. Esta premissa simples sustenta uma história inusitada e comovente vivida por dois complexos personagens em um contexto pandêmico que os desestabiliza.

Por isso, além da homenagem em si, a opção pelas fotografias de pessoas reais também se justifica do ponto de vista artístico. “Aproxima a dramaturgia ficcional de um certo caráter documental. Compartilho da ideia de que todo filme é um documentário, pois mesmo as ficções, em muitos aspectos, documentam o período em que foram criadas”, complementa Túlio.

O benefício de renda no valor de meio salário mínimo atenderá, neste primeiro ano, cerca de 20 crianças.

O Núcleo de Apoio à Primeira-dama, em conjunto com a Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência e a Secretaria Municipal da Mulher, lança, neste mês, o inédito projeto no Brasil que tem o objetivo de beneficiar com transferência de renda os filhos de vítimas de feminicídio. A ação ocorre em consonância com a grande atuação da Prefeitura de Cuiabá para a área de bem estar social da mulher que tem sido referência nacional.

“Essa criança quando fica órfã da mãe, na grande maioria das vezes acaba ficando com parentes próximos que, de um dia para o outro, se veem diante da necessidade de oferecer um lar com estabilidade financeira e emocional àquela criança. Essa renda irá ajudar essa criança e família nesse processo, seja para uma necessidade médica, psicológica ou economica”, frisou a primeira-dama Márcia Pinheiro.

O benefício de renda no valor de meio salário mínimo atenderá, neste primeiro ano, cerca de 20 crianças em caráter temporário pelo período de 12 meses. Entre os critérios para a aptidão está a criança ser menor de idade; apresentar atestado escolar a cada três meses e a comprovação de vulnerabilidade social da família.

“A criança precisa estar sob a guarda de alguém e a condição deve ser de vulnerabilidade social. A família não pode ser ativa em programas sociais de renda pelo governo. O limite é de até dois benefícios por família, pois existem casos de mães que perderam suas vidas e deixaram quatro ou até mais filhos”, explicou a secretária.

O projeto será coordenado, desenvolvido e monitorado pelo comitê gestor composto por quatro secretarias municipais, além da Procuradoria Geral, Controladoria Geral e entidades como a Câmara Municipal de Vereadores e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Quarta, 15 Setembro 2021 05:00

O Tribunal de Contas e o Parlamento

*Isaías Lopes da Cunha

A Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT) e o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) estão ligados umbilicalmente pela função de controle externo da administração pública.

A fiscalização contábil, orçamentária, financeira, operacional e patrimonial da administração pública é exercida pelo Parlamento, mediante o controle externo, e pelo sistema de controle interno de cada Poder (art. 70, da CF/88). O controle externo, por sua vez, é exercido pelo Parlamento com auxílio do Tribunal de Contas (art. 71, caput, CF/88).

Nesse sentido, o TCE-MT auxilia os Parlamentos estadual e municipais, dentre outras formas, ao (a) apreciar as contas prestadas anualmente pelo Governador do Estado e pelos Prefeitos, mediante parecer prévio; (b)  realizar, por solicitação do parlamento,  de comissão técnica ou de inquérito, inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial nos órgãos e entidades da administração pública; (c)  prestar as informações solicitadas pelo Parlamento ou por qualquer de suas comissões, sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas.

Embora a ALMT tenha a titularidade do controle externo e a preponderância na escolha de conselheiros do Tribunal de Contas (art. 42, §2º, CE/89), o TCE-MT possui autonomia administrativa, orçamentária e financeira. Não obstante, o Tribunal também presta contas ao Parlamento estadual, mediante o envio de relatórios trimestrais e anual de suas atividade.

Visando ampliar e melhorar o relacionamento institucional com o Parlamento estadual, bem como regulamentar o processo de Solicitação da Assembleia Legislativa (SAL) de informações e fiscalizações, o TCE-MT, por meio da Resolução Normativa nº 19/2020, o TCE-MT criou a Assessoria Parlamentar (ASPAR)

Para liderar essa importante unidade, o Conselheiro Presidente nomeou Carlos Brito como secretário, pois segundo o Guilherme Maluf ele “conhece o trabalho e atuação da Assembleia Legislativa”. 

Por fim, a criação da ASPAR já é uma realidade e um marco na gestão do Presidente Guilherme Maluf e, certamente, será um grande legado para a sociedade e o Tribunal na governança do controle externo e no relacionamento institucional com a ALMT.    

*Isaías Lopes da Cunha é auditor substituto de conselheiro do TCE-MT

 

Prefeito Kalil Baracat anunciou que ainda nesta semana jovens de 12 a 17 anos com comorbidades começarão a ser b vacinados.

Várzea Grande vacinou mais de 11 mil pessoas entre sexta-feira, sábado e domingo. Somente na sexta-feira, 10 de setembro, quando se iniciou o Programa ‘Sextou Vacina VG’ foram vacinadas 6.200 pessoas em 16 horas ininterruptas de atividades no Ginásio do Fiotão, o que representa dizer que foram vacinadas 387 pessoas por hora ou 6 pessoas por minuto, em uma grande frente de imunização da segunda maior cidade de Mato Grosso.

“Nosso papel está em ofertar vacinas, mas dependemos do Governo Federal promover a entrega dos imunizantes necessários. Sempre deixei claro que temos capacidade para vacinar até 10 mil pessoas por dia, mas para isto é necessária toda uma logística que envolve pessoal, estrutura e principalmente a participação popular e Várzea Grande e sua gente têm demonstrado interesse em vacinar e responsabilidade com as medidas sanitárias para evitar a propagação da COVID-19”, frisou o prefeito Kalil Baracat que acompanha de perto as ações da Secretaria Municipal de Saúde na busca da imunização de toda a população.

O prefeito reforçou que Várzea Grande deve ainda nesta semana iniciar a vacinação de jovens de 12 a 17 anos com comorbidades; de 15 a 17 sem comorbidades e de 12 a 14 anos sem comorbidades, seguindo este pré-cadastro para avançar ainda mais na imunização de sua população e asseverou que todos os passos dados pela campanha de vacinação contra a COVID-19 estão atingindo resultados além do esperado graças a esforço e comprometimento de cada um dos profissionais da área de saúde que permaneceram unidos e determinados por 16 horas ininterruptas para demonstrar que temos capacidade e condições de avançar ainda mais na batalha contra a pandemia.

O titular da Secretaria de Saúde de Várzea Grande, Gonçalo Barros, foi mais longe ao lembrar que Várzea Grande já aplicou mais de 245 mil vacinas desde janeiro deste ano, quando se iniciou de forma tímida a imunização das pessoas e que sofreu muitas intercorrências e definições de prioridades.

“Sempre trabalhamos sob a ótica do prefeito Kalil Baracat de que toda a população deveria ser vacinada, mesmo o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, inicialmente não adotando essa teoria, que agora está sendo debatida e aplicada”, frisou Gonçalo Barros, lembrando que Várzea Grande chegou a formalizar pedido de aquisição de vacinas quando não havia regularidade na entrega das doses centralizada pelo Ministério da Saúde.

Gonçalo Barros reafirmou as diversas etapas colocadas em prática por Várzea Grande como o 'Resgate Cidadão', 'Corujão', 'Corujinha', 'Plantão da 2ª Dose' e mais recentemente a ‘Sextou Vacina VG’. “Vamos continuar avançando e atendendo a população como determinou o prefeito Kalil Baracat e com certeza os resultados estão sendo sentido por todos com baixa ocupação de leitos, redução de vítimas entre outros números que se demonstram animadores. Agora estes números não podem e não devem servir para que as pessoas deixem de seguir as regras do distanciamento social, do uso de máscaras e outros meios higiênicos primordiais para se vencer a COVID-19”, assinalou Gonçalo Barros.

 

Domingo, 12 Setembro 2021 13:23

Colivings: moradias compartilhadas

Caminhos da Reportagem mostra a vida nas moradias coletivas. Programa vai ao ar na noite deste domingo na TV Brasil.

 Moradia compartilhada sempre existiu e agora é uma tendência que está ganhando mais espaço. O Caminhos da Reportagem deste domingo (12) vai mostrar que da república de estudantes ao novo conceito de coliving, existem diversas maneiras de viver em ambientes compartilhados.

As repúblicas em Ouro Preto, cidade histórica e universitária em Minas Gerais, são uma tradição. Nossa equipe de reportagem visitou uma delas, a República Aquarius, que, segundo os moradores, é a maior república da América Latina. São 26 quartos individuais e cinco quartos compartilhados. A casa é tombada pelo Patrimônio Histórico e os estudantes ajudam na manutenção e melhorias do espaço. Todos os moradores têm apelidos e para serem aceitos precisam encarar o que chamam de “batalha”, em que durante três meses deixam de ser um calouro e passam a ser moradores.

No Distrito Federal, a Vila dos Abacaxis é como uma república, mas não de estudantes. Clóvis Zimmermann, um dos moradores, explica que a casa é formada por pessoas adultas, todas profissionais, e que é um espaço mais tranquilo do que uma república de estudantes. Flávia Pineli, moradora da Vila dos Abacaxis, considera que é muito enriquecedor poder conviver com pessoas de diferentes idades, com diferentes histórias, diferentes trabalhos, diferentes profissões.

Em Belo Horizonte, a Casa Circo Gamarra chama a atenção pelo colorido da fachada. Construída há 14 anos pelo artista circense argentino Diego Gamarra, a casa recebeu nos últimos quatro anos cerca de 500 pessoas. Hoje residem cerca de 20 pessoas na casa. Diego explica que a casa é um lugar familiar, onde às vezes um viajante precisa simplesmente descansar, ficar um pouco sossegado para depois retomar sua viagem. Ali, os artistas encontram esse aconchego.

Nossa equipe de reportagem visitou as três experiências de moradias compartilhadas, e conversou com moradores para saber como é o cotidiano dentro desses espaços. A arquiteta Erika Hatano explica que coliving significa conviver, enquanto cohousing quer dizer co-habitar. “Na prática, a gente entende que coliving é toda forma de viver junto, de morar junto”, diz.

Veronique Forat, co-fundadora e CEO da startup de moradia compartilhada Coliiv, complementa que a moradia compartilhada é uma tendência forte em outros países, principalmente nas áreas urbanas, por alguns motivos, como: o metro quadrado nas grandes cidades está muito caro, com o crescimento das cidades; o transporte encarece e a mobilidade é mais complicada. Para ela, a moradia compartilhada resolve uma série de problemas e os brasileiros são abertos a novos estilos de vida.

O Caminhos da Reportagem vai ao ar neste domingo, às 20h, na TV Brasil. 

A íntegra do Caminhos da Reportagem fica disponível no site do programa.

(Fonte: Agência Brasil)

Sábado, 11 Setembro 2021 20:08

Ideias inspiradas na própria natureza

Permacultura: um caminho sustentável possível para o Cerrado

 Hoje (11) é Dia do Cerrado, em mais um ano de pandemia, que nos lembra diariamente o quanto estamos inseridos em um sistema além do ser humano e que é preciso cuidar de todos os aspectos desse sistema. A permacultura, um conceito criado ainda na década de 70, foi a ferramenta escolhida por muitos responsáveis pela preservação do que ainda resta do segundo maior bioma brasileiro.

O brasiliense Cláudio Jacinto é um deles e, há mais de 20 anos, mergulhou fundo no método criado pelos Australianos Bill Mollison e David Holmgren. Desde então, cuidar da terra, das pessoas e partilhar o que se produz de forma justa são princípios básicos na agenda do engenheiro florestal.

Ele conta que antes mesmo de entrar em contato com a permacultura já sentia uma necessidade de buscar mais igualdade social, mas não encontrava o caminho para isso. Foi na faculdade de engenharia florestal que teve contato com o conceito do que ele mesmo define como uma “metodologia científica para o planejamento de ocupações humanas sustentáveis”. Segundo ele, uma ciência baseada em conhecimentos de engenharia, ciências agrárias, arquitetura e inspirada por saberes tradicionais antigos para que seres humanos ocupem o planeta sem exaurir os recursos.

Cláudio explica que essa “cultura permanente” também considera que o ser humano é parte integrante de todo esse sistema e precisa ter suas necessidades atendidas, mas não da forma como acontece atualmente.

“É construir um modo de vida que seja sustentável, sendo que o conceito de sustentável é que o que eu faço hoje para construir a minha casa, para produzir a minha comida, para gerar e consumir a minha energia, para ter água disponível e ter um destino adequado para água utilizada, minimamente essas quatro necessidades básicas; sejam feitas de um modo que a geração futura e as próximas possam continuar fazendo do mesmo jeito”, explica.

A ideia é tão viável que muitas das soluções apresentadas pela permacultura são amplamente utilizadas em diversas áreas do conhecimento e apontadas como soluções para problemas ambientais como o aquecimento global. São ações como melhor utilização dos recursos naturais e locais na construção de habitações, substituição da monocultura por agroflorestas, diversificação da matriz energética por meio das fontes renováveis e melhor utilização do ciclo da água.

Com as ideias adquiridas em um curso extracurricular na universidade, Cláudio conseguiu criar a primeira disciplina de permacultura em universidade pública do país, dentro do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Brasília; passou a lecionar permacultura, e hoje mantém uma Organização Não Governamental que leva iniciativas permaculturais às comunidades mais carentes, por meio dos recursos provenientes de ações socioeducativas.

Água

Um dos projetos desenvolvidos por Cláudio Jacinto, em Brasília, foi a implantação da Unidade Demonstrativa de Permacultura do Jardim Botânico de Brasília. Uma réplica de uma casa de pau-a-pique, em formato hexagonal, inspirada nas colmeias das abelhas; que tem um sistema completo de abastecimento e tratamento da água.

O educador ambiental do Jardim Botânico de Brasília Lucas Miranda explica que além de cumprir a função de explicar a permacultura ao público que participa do circuito educativo, a unidade demonstrativa é uma vitrine para mostrar que é possível pôr em prática as ideias trazidas pela filosofia permacultural. “Ela é uma casinha, ela é superlinda, ela tem a estética assim muito bonita e ela, principalmente, fecha esse ciclo da água. Então, cuidar da água, o Cerrado é o berço das águas, então a gente cuidar da água já é muito importante”, diz.

Habitação

A arquiteta Talita Maboni também teve contato com o conceito ainda na faculdade, quando decidiu aprofundar os conhecimentos sobre a bioconstrução junto à comunidade quilombola Kalunga, que vive em Goiás. Em dois anos de convivência, ela aprendeu técnicas de construção com terra e bambu e, depois de formada, fundou um coletivo feminino com as arquitetas Natália Cortes e Marina Patury.

Juntas, elas desenvolvem projetos que buscam na natureza soluções para atender às necessidades humanas da melhor forma. “A bioconstrução nada mais é do que um resgate desses saberes. Claro, que hoje em dia a gente já introduz algumas tecnologias que vão aprimorar essas técnicas, que vão deixá-las mais eficientes”, explica Talita Maboni.

Segundo Lucas Miranda, além da inspiração na natureza e também no conhecimento buscado nos povos tradicionais, a permacultura também se preocupa em não criar excedentes, evitando um processo de desperdício, que ainda pode gerar poluição no meio ambiente.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção civil.

Preservação

No caso da Unidade Demonstrativa de Permacultura do Jardim Botânico, além de ter sido construída com paredes da pau-a-pique, uma técnica de construção tradicional do Brasil que utiliza a terra e o barro, elementos abundantes e que não geram poluição; a estrutura também resgatou elementos de resíduos da construção civil e integrou no sistema de tratamento sanitário. “A gente ainda intercepta esse lixo e dá um destino mais adequado do que o lixão, do que o aterro sanitário. Não deixa ele ser jogado no Cerrado de qualquer forma”, diz Miranda.

Para Talita Maboni, trabalhar com projetos que aplicam o conceito de permacultura por meio da bioconstrução é ir além da preservação ambiental, pois o patrimônio humano também pode durar muitos anos se as técnicas forem empregadas da forma certa. Talita diz que é preciso desmitificar a ideia de que bioconstrução é sinônimo de insalubridade ou pouca durabilidade. “É a forma mais rica que se tem pra construir. É você saber ocupar o espaço, saber olhar para ele e ver como vocês podem trabalhar em conjunto”, diz.

Impacto Ambiental

Todas as soluções e ações propostas pela permacultura são possíveis de serem adotadas em qualquer lugar ou forma de vida escolhida pelas pessoas, segundo Cláudio Jacinto. “Eu acredito que todas as pessoas que têm a consciência ambiental podem colocar um pouquinho em prática sem precisar virar um permacultor que foi morar no mato e abandonou tudo e planta a sua própria comida”, explica e conclui “a permacultura propõe um novo jeito de fazer tudo que precisamos fazer para viver.” (Fonte: Agência Brasil)

Sábado, 11 Setembro 2021 05:00

O Festival do Peixe

Conhecido mundialmente por sua tradicional culinária ribeirinha, que tem como base o peixe do rio, além de ser ponto de encontro para os pescadores amadores e profissionais, que seguem Pantanal afora em busca de aventura, Mato Grosso, por meio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, em Mato Grosso (Abrasel-MT), aderiu à Campanha Semana do Pescado, que acontece de 15 a 30 de setembro, e foi idealizada nacionalmente pelo extinto Ministério da Pesca e Aquicultura.

O objetivo da campanha é estimular ainda mais o consumo, e por aqui, a programação terá várias ações com destaque para o Festival Gastronômico na segunda quinzena deste mês em vários restaurantes do Estado, que irão oferecer pratos à base de pescado a preços promocionais.

"A Abrasel sempre participa de ações que envolvem alimentos e o pescado é um produto que o consumidor adora, pois se trata de um dos mais saudáveis que temos e, já que os bares e restaurantes são grandes consumidores e revendedores, nossa participação é fundamental. Lembrando que uma boa parte dessa ingestão é de pratos elaborados pelos mesmos. Também é deles que vêm diversas inspirações para criação dos almoços e jantares em família", destaca Lorenna Bezerra, presidente da Abrasel-MT. 

Pensando na pluralidade da cadeia produtiva do país, neste ano as ações foram descentralizadas para além dos grandes centros de produção e consumo de pescado, atingindo todas as cidades brasileiras. No nosso Estado, as tradicionais peixarias e os restaurantes de comida japonesa impactam diretamente na cadeia regional e facilitam para que a compra seja feita diretamente com o produtor.

Lorenna acrescenta que diversos restaurantes fazem parcerias com fornecedores e até mesmo piscicultores para melhor viabilizar a margem de lucro. “Temos alguns peixes cujo consumo se tornou muito alto e com isso as compras tiveram que ser realizadas com grandes fornecedores. A comida japonesa e o consumo de peixe cresceram muito e tivemos um aumento do número de fornecedores e melhora na qualidade e nos preços”, finaliza.

Serviço

O que: Festival do Peixe

Quando: de 15 a 30 de setembro

Onde: Restaurantes de Mato Grosso

 

Sábado, 11 Setembro 2021 05:00

‘Criança Feliz’

Programa oferece oficina de confecção de brinquedos recicláveis.

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência - por meio do programa Criança Feliz - realiza entre os dias 13 e 14 de setembro uma oficina sustentável para confecção de brinquedos. Serão empregados materiais recicláveis no desenvolvimento da atividade.

“Antigamente, os brinquedos eram vistos apenas como um passatempo, algo sem necessidade, mas a realidade é outra. Especialistas concordam que são peças fundamentais para o desenvolvimento das crianças em diversas áreas”, explica  a coordenadora do programa Criança Feliz em Cuiabá, Michelle Machado.

A ação será voltada às famílias assistidas pelo programa em Cuiabá tendo como objetivo proporcionar um melhor desenvolvimento às crianças assistidas, além de fortalecer ainda mais o vínculo familiar. “Como estamos trabalhando de forma remota, em razão da pandemia do coronavírus, a prática de atividades envolvendo os pais e as crianças, favorece e muito no progresso no nosso trabalho. Além do mais, o Criança Feliz trabalha justamente isso, um desenvolvimento e um aprendizado eficaz desse público”, pontuou Michelle.

Será feita uma reunião on line nessas datas especificadas com as famílias atendidas, nas quais passaremos vídeos feitos pelos visitadores confeccionando um brinquedo a ser escolhido por cada equipe.

A reunião virtual do dia 13 (segunda-feira) será com as famílias assistidas nas unidades dos Centros de Referência de Assistência Social- Cras dos bairros Jardim Araçá, CPA e Jardim União. Já na terça-feira (14), os participantes serão dos Cras dos bairros Pedregal, Planalto, Pedra 90 e Nova Esperança. Nos dois dias, o horário das atividades será das 14 às 17 horas.

Cada equipe teve a opção de escolha de qual brinquedo confeccionar. No Cras Jardim Araçá será confeccionado Jogo da memória com tampas de garrafas pet. No Cras do CPA será produzido um Brinquedo lúdico com caixa de papelão. No Jardim União, foi escolhido o tabuleiro geométrico. No Pedregal será um Brinquedo de classificação das cores primárias. O Bilboquê de garrafas pet será feito no Centro de Referência do bairro Planalto. As famílias assistidas no bairro Pedra 90 será confeccionado o basquete na caixa. E por fim, no Cras Nova esperança será feito um pebolim manual.

O vídeo poderá ter duração de no máximo 15 minutos por equipe, devendo cumprir a seguinte ordem: apresentação da equipe, apresentação do brinquedo, materiais utilizados materiais utilizados, confecção e demonstração de como utilizar o brinquedo.

“O mundo do "faz de conta", no qual as crianças imaginam que estão vivenciando determinadas situações, estimula a criatividade e vários outros fatores. Quanto mais a criança tiver que pensar, imaginar, memorizar, criar estratégias, lidar com suas frustrações, melhor será o seu desenvolvimento. O ato de brincar, vale lembrar, está previsto no Estatuto da criança e do Adolescente- ECA, ou seja, é um direito da criança”, finalizou.

 

Página 1 de 31