Turismo

Turismo (26)

Prazo para se inscrever encerra dia 17. As aulas, ao vivo, serão ministradas por webconferência, uma vez por semana.

Termina no dia 17 de julho o prazo para inscrições em cursos de inglês e espanhol, oferecidos, gratuitamente, pelo Ministério do Turismo a guias e condutores de turismo de todo o país. Para se inscrever acesse https://ficturismo.ifto.edu.br/

No total são ofertadas 3.800 vagas, que objetivam a capacitação dos profissionais do turismo no atendimento aos visitantes estrangeiros. Bem como, visam a valorização do potencial de cada trabalhador e comunidades locais. Caso o número de inscritos ultrapasse o de vagas, será realizado um processo seletivo. 

Os cursos são ofertados em parceria com Instituto Federal do Tocantins (IFTO). A carga horária de 200h contemplará temas transversais que serão adaptados aos idiomas, aproximando-se assim da realidade profissional dos estudantes. As aulas gravadas serão disponibilizadas na plataforma Moodle do IFTO. As aulas ao vivo serão ministradas via webconferência, uma vez por semana.

As capacitações atendem profissionais de todas as regiões brasileiras, com o apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da Federação Nacional dos Guias de Turismo (Fenagtur) e do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Alto Paraíso-GO, parceiros da iniciativa.

 

O potencial turístico de Mato Grosso deverá ser exibido nas telas dos cinemas do estado. É o que prevê o Projeto de Lei 111/21, de autoria do primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM). Em tramitação na Comissão de Indústria, Comércio e Turismo, a proposta entrará na pauta de votação no segundo semestre.

Se aprovado, o projeto tornará obrigatória à exibição de informações sobre o turismo mato-grossense nas telas dos cinemas, antes do início de cada filme nos cinemas locais, com a duração de um minuto.

Dessa forma, conforme Botelho, os vídeos publicitários ou informações sobre o turismo a serem projetados deverão ser fornecidos pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer – SECEL.

“Uma importante ferramenta para mostrar nas telas dos cinemas o potencial turístico do nosso estado, com natureza exuberante e lugares incríveis para serem apreciados”, destaca o deputado, ao acrescentar que o turismo deve ser visto como uma fonte inesgotável de renda e emprego, bem como fator de desenvolvimento econômico e cultural.

Botelho defende ações que fomentem a economia, especialmente, a implementação de ações que promovam as belezas naturais de cada município, tornando possível a exploração do turismo sustentável, bem como a cultura local.

“O cinema é um meio importante à divulgação das atrações de entretenimento e lazer, a exemplo dos atrativos turísticos das nossas cidades. Além de incentivar investimentos, gerando emprego e renda, capacitação da mão de obra, dentre outras benesses”, afirma Botelho, ao destacar que também ajudará a aquecer setores de hotelaria, gastronomia, transporte turístico, idiomas, comércios e artesanatos.

 

Segunda, 28 Junho 2021 05:00

Turismo ecológico

Imensa cascata fica localizada dentro de reserva indígena e em meio à vegetação da floresta mato-grossense. Cachoeira Salto Belo é dos atrativos naturais em Campo Novo do Parecis.

Campo Novo do Parecis (distante a 439 km de Cuiabá) é uma daquelas pequenas e tranquilas cidades de Mato Grosso que deve fazer parte do seu roteiro de turismo, pois reúne locais encantadores. Umas dessas opções é a Cachoeira Salto Belo, que possui uma paisagem rodeada de imensas árvores com uma grande queda d’água. Este cenário natural fica localizado dentro da reserva indígena Aldeia Sacre ll, uma rica área de vegetação preservada, habitada pelos índios.

Os visitantes podem apreciar os 45 metros de altura do despencar das águas de cor esverdeada. Paisagem ideal para que busca por diversão ou descanso conectado com natureza. No local, existe uma trilha de acesso atrás da cortina d´água, com possibilidade de mergulho nas águas do Rio Sacre.

As visitas nesta localidade são permitidas somente mediante autorização prévia e acompanhamento de guia local. Para chegar em Salto Belo, é necessário percorrer uma estrada de 80 km para chegar até a aldeia, além do pagamento de taxas para a travessia.    

Este cenário paradisíaco também é uma excelente opção para quem gosta de praticar esportes perto da natureza. A estrutura da cachoeira permite uma descida de rapel ou caiaque. Em 2008, a Cachoeira de Salto Belo foi palco para o atleta brasileiro, Pedro de Oliva, que encarou o desafio de descer os 45 metros da queda d’água no seu caiaque. A aventura esportiva colocou o atleta no ranking do record mundial de saltos nesta modalidade.

Agora que você já sabe da existência deste lugar é hora de planejar e conhecer de perto tudo que falamos sobre este lugar.

Sobre a cidade de Campo Novo do Parecis

Campo Novo do Parecis fica situada no Norte de Mato Grosso, a jovem cidade vai completar 33 anos no dia 04 de julho e possui uma população estimada de 36 mil habitantes. É conhecida pelo seu potencial agrícola, sendo uma das maiores produtoras de girassol do Brasil, além das grandes lavouras de soja. Possui hotéis e pousadas, além de espaços disponíveis para acampamento.

A cidade preserva os seus atrativos naturais de turismo que fica dentro de áreas indígenas. São 14 aldeias, sendo que 7 delas atuam com o turismo, pois estão próximas aos belos rios de águas cristalinas.

 

 

Empresários, funcionários e guias de turistas podem fazer de forma gratuita e online o Curso de Atendimento ao Turista para melhorar o seu negócio. Por isso, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, por meio da Adjunta de Turismo, apoia a parceria do Ministério do Turismo (Mtur) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ).

“O turismo, com o avanço da pandemia, acabou sendo um dos mais prejudicados economicamente. Por isso, nesse momento estamos trabalhando na retomada do setor, apostando em ações que deem mais segurança para os turistas e empresários. É preciso que os profissionais do setor turístico se capacitem, como em cursos como estes, para que possam se destacar”, afirma o secretário Adjunto de Turismo de Mato Grosso, Jefferson Moreno.

A secretaria adjunta também realizou em maio rodadas de negócios on-line com o objetivo de amparar, estimular e estruturar os destinos para uma retomada do setor no Estado.

“Estudos apontam que os turistas pretendem viajar para regiões próximas, pela segurança em usar transporte rodoviário e não precisar ficar tanto tempo em trânsito ou aglomeração. Então, esse é o momento de quem não conhece Mato Grosso conhecer e de quem trabalha no setor se destacar. O empresário deve estar com o estabelecimento preparado e usando o selo ‘Turismo Responsável ’, que mostrará para o turista que aquele local segue as medidas necessárias e importantes para evitar o contágio”, aconselha o secretário Jefferson Moreno.

O curso de Atendimento ao Turista tem carga horária de 80 horas e na grade curricular estão temas como noções de inglês, técnicas de persuasão, planejamento de finanças, fidelização de clientes, estratégias de marketing, ética, segurança e saúde.

O aluno interessado deve acessar este site http://bba.turismo.gov.br/representante e se inscrever para fazer o curso imediatamente. O projeto está disponível no link para inscrições até 30 de dezembro de 2021. Para emitir o certificado, o aluno deve finalizar o curso até 6 de março de 2022.

 

 

Salto das Nuvens encanta com queda d’água em meio a paisagem de árvores exuberantes. Imensa cascata fica localizada dentro de uma fazenda, em meio à vegetação da floresta mato-grossense, a 25 km do Centro da cidade de Tangará da Serra.

Quando o assunto é paisagens naturais, Mato Grosso é um dos estados que mais se destaca, com uma imensa variedade de belas cachoeiras, localizadas dentro de florestas preservadas, o que eleva ainda mais o potencial em ecoturismo na nossa região.

Um dos lugares onde podemos encontrar uma dessas maravilhas é na cidade de Tangará da Serra, distante a 242 km de Cuiabá. A cachoeira Salto das Nuvens possui um cenário que encanta e desperta a vontade de qualquer pessoa em conhecer de perto suas cascatas de enorme volume d’água, de tom escuro, formadas pelo Rio Sepotuba.

O local já é marca registrada, cartão postal da cidade, e fica localizado dentro de uma fazenda, a 25 km do Centro do município. Quem deseja apreciar o despencar das águas deve procurar um guia ou uma agência de viagem, pois é cobrada uma taxa que dá direito a permanência por um dia no local e banho de cachoeira. Também é possível se hospedar nos chalés localizados na mesma propriedade. 

Na Salto das Nuvens há, ainda, uma passarela que permite o turista chegar bem próximo da foz, além de ser um cenário interessante para o registro de uma bela fotografia. 

A propriedade onde fica a cachoeira Salto das Nuvens possui uma estrutura com restaurante que fornece todas as refeições. Mas é permitido que o visitante entre com lanches e bebidas em sua mochila no dia do passeio.

O local pode ser uma bela opção de lazer para curtir o final de semana ou para quem estiver planejando um roteiro de turismo em contato com a natureza.

Sobre a cidade

Tangará da Serra está localizada na Região Sudoeste de Mato Grosso, conhecida como Médio Norte, e foi criada em 13 de maio 1976. A jovem cidade tem população estimada em 105. 771 mil habitantes. A base econômica do munícipio tem como atividades predominantes a soja e a cana-de-açúcar, além da pecuária e a prestação de serviço.

Uma curiosidade é que o nome da cidade também possui ligação com a natureza, já que o nome é originário do pássaro Tangará, uma bela ave de cor preta, azul e vermelha presente na região.

 

 

 

Projeto cultural Aldeia Wazare Terra Indígena Utiariti foi protocolado junto à Funai Regional no último dia e será enviado para aprovação em Brasília.

O primeiro projeto turístico-cultural indígena de Mato Grosso, foi protocolado na tarde da última sexta-feira (21) na sede da Funai em Cuiabá. O projeto Haliti Paresi, idealizado pelo cacique Rony Paresi, da Aldeia Wazare, tem como madrinha a primeira-dama do Estado, Virginia Mendes. 

Presente no evento de protocolização do projeto, a primeira-dama falou sobre seu sonho em conhecer de perto a cultura indígena, e destacou seu Programa Social SER Cidadão Indígena.

“Nosso programa SER significa superação, esperança e respeito, e é isso que os povos indígenas merecem e representam. Eu sempre fui uma grande admiradora da cultura indígena e, graças a Deus, tive a honra de conhecer várias aldeias ao longo dessa gestão. Me sinto cada vez mais encantada pela história e por tudo o que os índios representam para nosso Estado e para o país”, afirmou Virginia.

De acordo com o cacique Rony Paresi, o projeto é resultado de um trabalho de dez anos desenvolvendo o turismo na região. O plano de visitação, segundo ele, foi elaborado por diversos parceiros para garantir a regulamentação junto à Funai.

“É um momento histórico, pois foi um grande desafio realizar esse projeto de forma sustentável para valorizar a cultura indígena da Aldeia Wazare, com muita responsabilidade. Quero agradecer ao apoio da primeira-dama para que esse projeto ganhasse a força que merece”, disse o cacique.

O coordenador regional da Funai, Benedito Araújo, explicou que recursos federais serão disponibilizados para o projeto, assim que aprovado pela fundação.

“Será o primeiro plano de visitação em terra indígena legalizado em Mato Grosso. Desde 2011 a aldeia promove o turismo e, em 2015, foram determinados ritos para que tudo ficasse dentro da lei. A aldeia está seguindo essas normas e será muito importante para a valorização indígena”, declarou o coordenador.

Benedito ainda fez questão de destacar ter sido a primeira visita de uma primeira-dama na sede da Funai de Mato Grosso em 23 anos.

"Isso deve ser ressaltado, porque também é histórico e pela primeira vez em muitos anos temos uma primeira-dama que realmente está olhando para os povos indígenas de Mato Grosso, com a atenção que merecem. Tenho que agradecer à senhora, dona Virginia, por reforçar as ações com muita sensibilidade em prol dos povos indígenas", completou ele.

A suplente de senador, Margareth Buzetti, reforçou que a aprovação do projeto é uma forma de preservar a cultura indígena e afirmou que irá trabalhar na articulação junto à Funai para a autorização do plano de visitação na aldeia Wazare o mais rapidamente possível.

"Esse projeto é de suma relevância, porque permite o desenvolvimento econômico e sustentável dos povos indígenas da região de Campo Novo do Parecis e irá servir de exemplo para que outras comunidades trabalhem para buscar esse mesmo desenvolvimento", declarou Margareth. 

A secretária de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho, reforçou as ações do Governo de Mato Grosso em terras indígenas.

“Ano passado foram entregues 23 mil cestas básicas em comunidades indígenas e 20 mil cobertores. Já este ano, estamos refazendo essas entregas e a primeira-dama faz questão de estar junto nessas entregas para poder escutá-los e saber das demandas, pois buscaremos atender dentro das possibilidades do Estado”, disse Rosamaria.

 

Durante o evento, a primeira-dama ainda anunciou que em breve serão oferecidos cursos de capacitação para a Aldeia Wazare, que foi uma reivindicação dos indígenas Paresi, durante visita dela à aldeia.

“Ouvi das mulheres indígenas, mais especificamente da Waldirene Paresi, esposa do cacique Rony, que me pediu pessoalmente, durante uma reunião, que a qualificação era muito necessária. E, por isso, estamos programando para agosto o início dos cursos, caso a pandemia esteja controlada. Vamos ouvir quais os cursos de qualificação mais necessários nas aldeias para que possam melhorar a qualidade de vida das comunidades”, reforçou Virginia.

O projeto

A proposta se pauta no ecoturismo e no etnoturismo de forma sustentável. Uma das grandes preocupações do cacique Rony é a de que a atividade seja sustentável não apenas como um conceito vazio e publicitário, mas que de fato atenda a aspectos econômicos sem abrir mão dos desenvolvimentos social e ambiental.

“Turismo não é só tirar foto, dançar e se pintar, mas sim responsabilidade. Tem que ter um objetivo. Pensar que mensagem e que resultado você busca através do turismo. Não só financeiro, mas cultural, social e ambiental, que torne possível uma conceituação de direcionamento com relação aos povos indígenas, sua cultura e todas as relações que nos cercam”, elucidou.

 

 

 

 

Rota das Águas mapeia 230 atrativos naturais do estado. O site, lançado este mês, reúne informações que facilitam a vida de quem deseja conhecer MT como cachoeiras, hotéis, restaurantes, agências e condutores de turismo.

Mato Grosso é rico em biodiversidade. É um estado privilegiado por ter em seu território os biomas: Cerrado, Pantanal e Amazônia. As belezas naturais são incontáveis. Tem opção para quem busca por turismo de aventura, de contemplação, rural, gastronômico, etnoturismo, ecoturismo e muito mais.

Nesse sentido, o projeto Rota das Águas, montou um circuito turístico com mais de 2 mil quilômetros, que promove os atrativos naturais de Chapada dos Guimarães, Nobres, Poconé, Rondonópolis, Jaciara, Juscimeira, Poxoréu, Cáceres, Vila Bela da Santíssima Trindade, Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis, Barra do Garças e Nova Xavantina.

O projeto foi contemplado pelo Edital Mato Grosso Criativo, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), e traz ainda atrativos localizados na Serra de São Vicente e no Distrito de Mimoso.

O site rotadasaguasmt.com.br, lançado em abril deste ano, reúne informações que facilitam a vida de quem deseja conhecer Mato Grosso, como cachoeiras, hotéis, restaurantes, agências e condutores de turismo, com localização, horário de funcionamento, custo e contato para agendamento da visitação em 230 atrativos.

Idealizado por Tiemi Otomura e André Torres, o projeto se concretizou a partir de um amplo levantamento dos atrativos naturais, com informações provenientes das Secretarias Municipais de Turismo, empreendimentos locais e usuários das redes sociais.

De acordo com André Torres, a maior dificuldade de quem viaja é encontrar informações precisas para realizar um planejamento sobre o destino. “A Rota das Águas é a organização das informações em um percurso guiado pelas águas dos rios. No site do projeto Rota das Águas você encontra um grande mapa digital com a localização de 230 atrativos naturais”, destaca Torres.

 

 

Monumento Marco Zero na Comunidade São Gonçalo Beira Rio recebe concretagem. Secretária Carlina Jacob tem percorrido obras e equipamentos culturais e esportivos para fiscalizar andamento das ações e agilizar entregas.

O Monumento Marco Zero, localizado na Comunidade São Gonçalo Beira Rio,  recebeu ação de concretagem. A estrutura de 17 metros relembra a chegada dos primeiros bandeirantes a Cuiabá. Após a conclusão do Marco pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer a área será revitalizada pela Empresa Cuiabana de Limpeza Urbana.

A secretária Carlina Jacob tem percorrido obras e equipamentos culturais e esportivos para fiscalizar andamento das ações e agilizar entregas. Em visita ao Monumento do Marco Zero, Carlina ressaltou a importância da preservação da memória local e seu uso para o fomento do Turismo e da Cultura regional como geradores de emprego e renda.

Três batelões, como são chamadas embarcações esguias que percorriam as águas do Rio Cuiabá há 300 anos. Uma estrutura de 17 metros fincada as margens do rio na Comunidade São Gonçalo. Este é o Monumento do Marco Zero, símbolo do princípio de uma cultura local que perdura, que resiste ao tempo e que é passada de geração em geração pelos moradores da região.

“Esta é uma obra muito significativa, não só para São Gonçalo, mas para Cuiabá, para Mato Grosso. Aqui se deu início a história da nossa capital, é importante destacar esse princípio de uma história que já completou seus 300 anos, isso é parte da nossa gente, é identidade e tem que ser celebrado. Revitalizar este espaço, construir esta simbologia vai fomentar ainda mais as atividades econômicas de São Gonçalo, dar destaque aos artistas e artesãos locais, é valorização da nossa cultura, dos nossos artistas gerando emprego e renda”, pontuou a secretária de Cultura, Esporte e Lazer.

Para o presidente da Associação de Moradores da comunidade São Gonçalo Beira Rio, seu Dalmi Lucio de Almeida, morador da comunidade há 60 anos, a obra é aguardada com ansiedade e vai marcar para a posteridade a história da Comunidade.  

Com a realização da concretagem da estrutura, a obra avança para a finalização do Monumento com a confecção dos bicos das três embarcações. Após o término da estrutura, a Empresa Cuiabana de Limpeza Urbana fará a revitalização do entorno, onde será instalada uma praça com mirante para o Rio Cuiabá.

 

Os esforços até então, foram para preservar empregos, renda e manter em funcionamento o segmento,  um dos mais afetados pela pandemia.

O Governo de Mato Grosso, por meio da Agência de Fomento – Desenvolve MT, liberou em 2021 mais de R$1.3 milhão em créditos à micro e pequenos empreendedores do turismo, pela linha de crédito FUNGETUR (Fundo Geral do Turismo), repasse do Ministério do Turismo, voltada aos segmentos de hotelaria, gastronomia, eventos, serviços, receptivos, transporte, parque aquático entre outros.

Dentre os requisitos para acesso ao financiamento, a empresa precisa estar registrada no Cadastur (Cadastro os prestadores de serviço do turismo), ativa há pelo menos 12 meses. O cadastro pode ser feito no site do Ministério do Turismo pelo link  https://cadastur.turismo.gov.br/hotsite/#!/public/capa/entrar sem custo ao empreendedor.

Podem ser contratadas operações para capital de giro, investimento, modernização e reforma, compra de bens e equipamentos:

- Obra civil:  para implantação do negócio, modernização e reforma;

- Bens:  Aquisição de bens e compra de máquinas e equipamentos;

- Giro:  Capital de Giro;

- Veículos Utilitários

As condições oferecidas estão entre as melhores do mercado em termos de prazos para pagamento e taxa de juros, como 5% a.a. + Selic.

O empresário que tiver interesse em simular o financiamento da linha de crédito pode acessar o site da agência www.desenvolve.mt.gov.br/fungetur. Na plataforma é possível simular o valor desejado e obter o valor das parcelas a serem pagas.

Aqui você conhece as condições de taxa, prazo e carência da linha Fungetur

Finalidade

Valor

Prazo de Carência

 

Prazo Total

Taxa de Juros

   Informações

 

OBRA CIVIL

 

até R$ 1milhão

Até

24 meses

 

Até

72 meses

5,00% a.a.   +SELIC

Saiba mais

Solicite seu crédito

 

 

Finalidade

Valor

Prazo de Carência

 

Prazo Total

Taxa de Juros

   Informações

 

BENS

até R$ 1 milhão

Até

12 meses

 

Até

60 meses

5,00% a.a.   +SELIC

Saiba mais

Solicite seu crédito

 

 

Finalidade

Valor

Prazo de Carência

 

Prazo Total

Taxa de Juros

   Informações

 

GIRO

até R$ 100 mil

Até

12 meses

 

Até

48 meses

5,00% a.a.   +SELIC

Saiba mais

Solicite seu crédito

Finalidade

Valor

Prazo de Carência

 

Prazo Total

Taxa de Juros

   Informações

 

VEÍCULO UTILITÁRIO

até R$ 1milhão

Até

03 meses

 

Até

60 meses

5,00% a.a.   +SELIC

Saiba mais

Solicite seu crédito

 

 

Dentre os clientes atendidos pela Desenvolve, a AM Transporte de Turismo, empresa do segmento de transporte turístico, de propriedade do Sr. Adriano Medeiros Barbosa, estabelecida há 6 anos no mercado em Cuiabá, foi um dos beneficiários do FUNGETUR.

O empresário conta que a retomada do setor ainda está lenta e, que apenas 10% das viagens com destinos turísticos foram retomadas.  Antes da pandemia, a empresa fazia uma média de 18 viagens ao mês, agora faz uma viagem.

“Precisei buscar outras alternativas, o setor caminha lentamente ainda, o capital de giro está me ajudando a manter a empresa nesse momento’’, conta o empresário. Ele aproveitou a ocasião para reformar parte da empresa e ampliar o local de atendimento ao cliente, e espera ansioso a retomada do setor.  

Para o presidente da Desenvolve MT Jair Marques, foi necessário a ampliação das linhas de créditos ofertadas pela Desenvolve. “Além do crédito emergencial, disponibilizar recursos para a retomada dos investimentos, existindo ainda a possibilidade de ampliar a oferta de novos recursos ao setor, pelo maior programa investimentos lançados pelo Governo do Estado, o Mais MT”, conta.

O presidente disse ainda que é possível vislumbrar um cenário promissor a curto e médio espaço de tempo aos empresários dos segmentos do trade, até porque Mato Grosso é pujante em equipamentos e servido pelos biomas mais importantes do planeta; Amazônico, Cerrado, Pantanal, além do Araguaia. 

 

 

A peruana Susy Miranda Cordova, 40, guia de turismo, mora em Cuiabá há 31 anos. A turismóloga foi reeleita recentemente presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do Estado de Mato Grosso (SINGTUR MT). Nesta entrevista ao Blog da Condessa, Cordova comenta sobre o turismo como uma das vocações de Mato Grosso devido a grande oferta de atrações para diferentes públicos. Porém, faz uma ressalva: “Mesmo assim, muitos problemas ainda são enfrentados pelos profissionais da área”.

Blog da Condessa – Você segue como representante, no estado, da empresa peruana Expresso Internacional Ormeño?

Susy Miranda Cordova - Não represento mais a empresa Ormeño por dois motivos: não estão de acordo com as normas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e também pelo fato da fronteira estar fechada até os dias de hoje devido a pandemia. É provável que a empresa brasileira TRANSACREANA faça o mesmo roteiro e possivelmente eu serei a representante. Ainda está por se ver isso.

Blog da Condessa - O isolamento social impactou severamente no turismo. Qual a sua avaliação diante dessa situação?

Susy Miranda Cordova - Um impacto mundial onde obrigou cada ser neste planeta a se deparar com algo novo. Tivemos que fazer muitas adequações. A principal, ficar em casa. E, com isso, a valorizar mais a família.

Blog da Condessa - Falta um plano de ação setorial?

Susy Miranda Cordova -  Não  tínhamos. Fomos pegos desprevenidos. No entanto, o município e o estado se mobilizaram para poder obter este plano emergencial

Blog da Condessa - Você avalia as alternativas como brandas de retomada do setor?

Susy Miranda Cordova - Para nosso segmento está caminhando bem lento. Infelizmente no trade turístico, que abraça 51 segmentos, o nosso foi um dos  mais  impactados. Se não há turistas tanto internacional como nacional não temos trabalho e por conseguinte uma renda certa, já que 80%dos profissionais são autônomos.

 Blog da Condessa - Como o Sindicato  de Guias de Turismo de Mato Grosso  está atuando nesse momento de pandemia?

Susy Miranda Cordova - Nossa classe, por ser autônoma  e sem vínculo empregatício, foi apoiada pela área social do município e estado. O SINGTUR solicitou apoio através de cestas básicas. Fomos atendidos. As cidades beneficiadas foram:Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Chapada dos Guimarães, Nobres e Barra do Garças.

Blog da Condessa - Com a eleição da nova diretoria, com você como presidente reeleita, quais os novos projetos para esse ano? Por favor, detalhe os mais importantes.

Susy Miranda Cordova - No último dia 3 foi realizada uma assembleia geral extraordinária onde foi deliberada algumas pautas e uma delas era a escolha da nova diretoria. Desta vez fui votada por todos os presentes para continuar na dianteira da classe. Acredito que a minha atuação na gestão passada foi bem encaminhada. Na eleição passada, o presidente havia renunciado e com isso tivemos um remanejamento  interno onde foi escolhido pela diretoria eu assumir até finalizar a chapa.

Blog da Condessa - Muitos negócios tiveram redução no faturamento ou não receberam nada e a preocupação maior é de como manter o negócio. E quanto à situação dos guias de turismo em Mato Grosso?

Susy Miranda Cordova -  É alarmante, pois somos autônomos. O impacto financeiro foi muito devastador. O governo apresenta propostas de financiamentos, empréstimos, mas não chega ao objetivo final que somos nós. É muito burocrático, ainda mais por que 90%estão inadimplentes em função da situação que vivemos atualmente.

Blog da Condessa - Há números que indicam a atual situação de desemprego de guias?

Susy Miranda Cordova - Vou me basear pela Chapada. Cada um tem uma realidade. 90% dos guias não foram aptos a guiar no Parque.  Com isso não podem gerar recurso para eles. Já o Pantanal também está pensando só no público estrangeiro,  não no público nacional.

Blog Da Condessa - Há como minimizar a crise do setor? Quais as cidades mais afetadas?

Susy Miranda Cordova -  Acredito que seria possível se tivéssemos facilidades para trabalhar e não empecilhos para isso ocorrer. Não queremos nada de graça. Queremos apenas oportunidade de sair desta situação dignamente.

Blog da Condessa - Na sua avaliação, qual será o caminho daqui pra frente?

Susy Miranda Cordova - Capacitar para melhor atender, rezar muito para que sejamos vistos como profissionais, bem como empatia com nossa classe.

Blog da Condessa - Resta a incerteza em meio à pandemia?

Susy Miranda Cordova - Não sabemos o que irá acontecer daqui  pra frente. Está muito cedo para visualizar uma melhora.

Blog da Condessa - O turismo é uma das vocações de Mato Grosso, devido a grande oferta de atrações para diferentes públicos?

Susy Miranda Cordova - Mato Grosso é um estado privilegiado por todos os seus atrativos. Temos três biomas  juntos e quatro polos. Temos um potencial turístico ímpar. Falta ter um senso nesta situação que vivemos.
Um exemplo: Machu Picchu deixou a entrada grátis para o público nacional para que assim possa ter o turismo interno. E MT? Aumentou tudo ao invés de congelar as tarifas ao menos. Temos inúmeros problemas para ser adequados .É questão de querer se ajeitar a está situação

Blog da Condessa - Ao viajar para uma cidade desconhecida, principalmente em grupo, é importante a contratação de um guia de turismo credenciado?

Susy Miranda Cordova -  Sem dúvida. Às vezes o barato acaba saindo caŕo.
Muitos querem fazer do "jeitinho brasileiro " e quando algo de ruim acontece acaba queimando o destino final e o sonho de muitos. Turismo é realização de sonhos, e o guia de turismo como embaixador do destino é transformar em  realidade este sonho. A ideia é que seja repleto de felicidade. Muitos grupos saem de Cuiabá ou vem para MT sozinhos.
Correndo riscos gravíssimos. Atente ao turismo legal e consciente.
O governo do estado está pleiteando isso e o SINGTUR está lutando para o ordenamento do segmento turístico.

 

Página 1 de 2