Variedades

Variedades (41)

Animais domésticos têm troca de olhares mais intensa com os donos, diz estudo

 Um estudo conduzido na Universidade de São Paulo (USP) mostrou que diferentes experiências de vida podem alterar a maneira como os animais direcionam o olhar e se comunicam com os humanos para conseguir objetos inalcançáveis. Ao comparar 60 cachorros de raças e idades variadas, a pesquisa concluiu que 95,7% daqueles que viviam dentro de casa usaram alternância de olhar pelo menos uma vez, enquanto os cães que vivem fora de casa se comunicaram com menor intensidade (80%).

Já cachorros de abrigo, que têm pouco contato com humanos, interagiram ainda menos, sendo 58,8%.

Publicado na revista Behavioural Processes e apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o estudo analisou a ação de olhar para o objeto ou alimento desejado, olhar para o tutor e voltar a olhar para o objeto, como forma de demonstrar o que queria, um tipo de comunicação muito comum entre o animal e o ser humano. Este é o primeiro experimento que avalia a diferença entre cães que convivem diariamente com humanos dentro de casa e animais que habitam apenas as áreas externas das residências e têm interação menos intensa com os tutores.

"Nós que temos nossos pets observamos muito e, para nós, parece uma coisa muito óbvia que eles se comuniquem conosco pelo olhar, que eles entendam. Mas, do ponto de vista científico, é uma coisa muito complexa, uma espécie entender os sinais comunicativos da outra, conseguir produzir sinais específicos para se comunicar conosco. Os cães são muito diferentes da maioria das outras espécies, mesmo as domesticadas. Eles são diferentes de gatos, ovelhas, porcos", disse Juliana Wallner Werneck Mendes, que realizou o experimento no Laboratório do Cão do Departamento de Psicologia da USP durante seu mestrado.

Juliana comparou cães de estimação que vivem dentro de casa com aqueles que ficam em quintais e garagens, tendo menos contato com os tutores, e cães de uma organização não governamental (ONG) de resgate de cães. "A conclusão foi os que vivem dentro de casa e têm estímulo constante com seus humanos, aprenderam que a troca de olhares é uma forma eficiente para conseguir o que querem. Os cães de quintal têm a mesma capacidade, mas não praticam como os outros."

Os cães de abrigo têm a mesma capacidade, mas têm menos oportunidade de exercitar isso porque convivem com as pessoas só nos momentos de alimentação e limpeza. "Eles usam menos, o que é interessante do ponto de vista científico, pois, segundo alguns autores, por causa da domesticação, os cães se comunicam automaticamente, e nós vemos que há o efeito do aprendizado. Isso mostra que as várias experiências de uma vida inteira vão resultar em comportamentos diferentes."

De acordo com Juliana, a facilidade aumenta para os cães treinados em agility - esporte com obstáculos que fortalece os laços afetivos entre os animais e os donos. Além disso, métodos de treinamento positivos e não punitivos exercem mais estímulo para uma comunicação mais eficiente com seus tutores. "A questão toda é a falta de estímulo, que faz com que eles usem menos esse comportamento, não porque não podem, mas porque não têm exercitado isso ao longo da vida. Mesmo assim, é interessante que os cães com menor estímulo mostrem que podem fazer. Com um pouco de exposição, eles aprendem bem rápido."

Juliana destacou que está havendo mudança na forma como os humanos interagem e treinam seus cães para pensar em bem-estar, o que é essencial. “Temos que reconhecer também que eles têm suas diferenças e que o bem-estar de um é diferente do de outro. Podemos usar isso para uma interação específica, mais paciente, levando em conta a necessidade do cão, e não só do humano", finalizou.

 

O evento será no dia 12 de dezembro e vai arrecadar doações em prol da Fundação Abrigo Bom Jesus.

A dupla sertaneja Anselmo e Rafael fará uma live às 16h, no dia 12 de dezembro. O evento celebra os 24 anos de carreira da dupla. Os fãs irão assistir hits como “Amor sem juízo”, “Eu não te esqueci” e “Modão do Zezé e Luciano”. O projeto é um dos contemplados no edital MT Nascentes, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

A live terá a participação de artistas convidados que vão ajudar a contar um pouco da trajetória da dupla. O repertório contará com 10 sucessos que farão parte de um DVD. Anselmo e Rafael tem 9 CDs, dois DVDs e mais de 4 milhões de visualizações no YouTube.

Preocupados com o social, o show também vai arrecadar doações financeiras que serão revertidas em produtos de primeira necessidade para a Fundação Abrigo Bom Jesus, em Cuiabá, que atende cerca de 80 idosos. A doação será por meio de código QR Code que será disponibilizado na tela do vídeo.

“Com a pandemia tudo parou, primeiramente colocamos a cabeça no lugar com tudo que estava e ainda está acontecendo pelo mundo e fomos buscar projetos, ideias e estudar, mas sempre com fé em Deus, que tudo voltará ao normal. Continuamos trabalhando na música, que é o nosso sonho’’, diz Anselmo.

Serviço

Live Anselmo e Rafael

Quando: 12 de dezembro de 2021(domingo), às 16h

Transmissão pelo canal da dupla Anselmo e Rafael no Youtube

 

Sábado, 30 Outubro 2021 05:00

A fantástica coleção de bonecas

Rodeada por milhares de bonecas e  brinquedos de várias épocas, a aposentada Teresinha Barros construiu o seu Museu das Bonecas e Brinquedos. O local, em Cuiabá, é aberto a visitações.

A aposentada Terezinha Barros, 70, construiu um mundo mágico e de fantasia com recursos próprios que fascina e é apreciado por crianças e adultos, o Museu das Bonecas e Brinquedos localizado em Cuiabá-MT.

Rodeada por milhares de bonecas em diferentes tamanhos, modelos, brinquedos de várias épocas e etnias, as muitas coleções que preserva em seu museu.

A colecionadora lembra até hoje da ocasião em que ganhou sua primeira boneca e que marca o início desta paixão.

“Coleciono há 52 anos. Eu era a filha do meio numa família composta por outras duas irmãs. Minha irmã mais velha ganhava bonecas porque era a mais velha e a mais nova por ser a mais nova e eu ficava só na expectativa. Ganhava presentes apenas em datas especiais. Aos 13 anos, enfim, ganhei minha primeira boneca. Foi em 1964. No meu aniversário. Meu padrinho que me presenteou. Coloquei o nome de Marília. Hoje, está no museu. Na sequência, cresci e comecei a trabalhar. A partir daí, iniciei o processo de colecionar”, recorda Teresinha.

São aproximadamente seis mil itens expostos no museu entre bonecas e brinquedos. Entretanto, há mais mil brinquedos de meninos em uma sala paralela.

São bonecas de biscuit alemãs e francesas do século passado, as de louça, de celulóide, de massa, em vi-vinil, de borracha, de plástico duro e de pano.

“Tenho uma boneca francesa, a Jumeau, de 1876”, conta Teresinha.   A coleção da Susy e Barbie também impressiona pela quantia e variedades. “A última vez que contei eram mil unidades de Barbies, incluindo a primeira de 1959”.

É no Museu das Bonecas e Brinquedos de Cuiabá que consta a única boneca da Emília do Sítio do Pica Pau Amarelo, exibido pela TV Tupi, na década de 60. 

Com seu estranho fascínio, elas estiveram ao lado do homem em quase todas as civilizações e se transformaram, com sua arte, fantasia e religiosidade um espelho fiel da história humana.

Entre as raridades, há celebridades como a Miss Universo Ieda Maria Vargas em traje típico e de gala. “Temos o Roberto Carlos, Wanderléa, Ronnie Von, princesa Diana, as atrizes Shirley Temple e Marilyn Monroe, entre outras. A colecionadora considera a boneca internacional Catarina a sua maior preciosidade.

São vitrines e expositores, divididos em nove ambientes diferentes.

Bonecas, brinquedos e um bom momento nostalgia. O acervo da aposentada Terezinha Barros, que é uma verdadeira colecionadora de emoções, traz muito mais do que apenas raridades, é composto por emoção e nostalgia.

“Colecionar é a emoção de caçar a relíquia de memórias, de levar boas lembranças a quem visita meu museu e depara-se com uma boneca que foi de infância. Enfim, colecionar é emocionar-se”, finaliza Teresinha.

Universo lúdico

As bonecas existem há milhares de anos, desde os tempos das cavernas. E, no começo de sua história, elas não serviam para brincar. Tinham, quase sempre, uma função religiosa, só podendo ser manuseadas por sacerdotes e curandeiros.

Bom, se as civilizações antigas usavam as bonecas para fins religiosos, quando será que elas começaram a servir para brincar?

A dúvida persiste, mas sabemos que, no século 18, quando as indústrias começaram a se multiplicar pela Europa, as bonecas se popularizaram como brinquedos infantis.

Visitação 

Após praticamente dois anos fechado, o museu voltou  agora a funcionar aos sábados das 14h às 17h. Para a manutenção do espaço é cobrada a taxa de R$ 30 adultos e R$ 20 crianças.

O Museu das Bonecas e Brinquedos está instalado na Rua Bom Jesus de Cuiabá, 90, no bairro Santa Marta em Cuiabá-MT.

 

 

 

Sábado, 23 Outubro 2021 05:00

A graça e a leveza da dança

Estão abertas as inscrições para o curso “Técnicas de Danças, o Valor Terapêutico da Arte”, com a dançarina Léa Baracat. As aulas acontecem aos sábados das 16h às 17h30 e nas quartas-feiras das 18h às 19h30.

Após alguns anos de estudos sobre danças e sobre os benefícios que elas trazem para o ser humano, a dançarina Léa Baracat decidiu elaborar o projeto “Técnicas de Danças, o Valor Terapêutico da Arte”. A ideia é por meio das técnicas de danças proporcionar bem estar e melhor qualidade de vida aos participantes do curso. “Durante as aulas são utilizadas  técnicas da dança do ventre e da cigana artística, algumas posturas de Yoga, bem como o trabalho com a respiração”, disse Baracat.

Dentre os muitos benefícios das duas modalidades de danças consta a melhoria na flexibilidade física, no comportamento postural e na noção espacial. Contribui também para a queima de calorias e para o fortalecimento da musculatura corporal. Além disso, ativa a circulação sanguínea , aprimora a coordenação motora. “Já do ponto de vista psicológico e emocional traz alegria e paz - o organismo libera os hormônios endorfina e serotonina.  Facilita a expressão de sentimentos, muitas vezes difíceis para a pessoa se expressar verbalmente. Promove o autoconhecimento físico e emocional. Estimula a redescoberta das potencialidades adormecidas e a criatividade. Por fim, desenvolve a agilidade e concentração”, enumera a dançarina.

O curso é ofertado por módulos. Já no primeiro módulo há uma evolução, um desenvolvimento nos movimentos aprendidos. “Na sequência,  avançamos para o próximo. Ressaltando que não há pressa nesse processo, pois o mais importante são os resultados que as danças trazem na melhoria da qualidade de vida dos seus participantes”, enfatizou.

Segundo Léa, as aulas devem ser bem orientadas e voltadas para o prazer de dançar, de executar os movimentos de maneira lúdica, criativa e prazerosa.

 Na aula de dança do ventre a aluna aprende a fazer o movimento, observando e sentindo como ele está se desenvolvendo no corpo. “Não há certo ou errado na dança do ventre, mas sim a correta postura e a postura inadequada. Portanto, reforço sempre para as alunas essa questão. Também tem o quesito estética devido a influência do ballet clássico,  portanto a graça e a leveza também fazem parte da dança”, disse a dançarina. 

Ela orienta suas alunas a sempre se olharem no espelho e perceberem as posturas, os movimentos e como seus corpos executam estes movimentos.

 Ensinar técnicas durante as  aulas é importante, pois quando se pratica sem entender como realmente o movimento é feito, isso poderá  limitar quando precisar aprimorar o movimento.

“Como diz a minha querida professora Márcia Dib: a técnica é como fazer algo. Ou seja, de que forma você fabrica uma cadeira, uma faca, como se executa tal movimento? Isso é importantíssimo para não só aprimorar os movimentos, como também prevenir lesões corporais, evitando assim que a aluna sinta dor durante as aulas”, observou.

De acordo com Baracat, é possível fazer o curso para quem nunca dançou. “Basta querer. A professora Nilza Leão sempre ressalta que ninguém por nenhum motivo é impedido de dançar”.

Mais informações  pelo (65)98465-7578

 

Escolas de samba desfilarão nos dias 27 e 28 de fevereiro.

 A venda de ingressos para o primeiro desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro desde o início da pandemia de covid-19 foi aberta hoje (14). Os valores variam de R$ 115 para cadeiras numeradas no setor 12 (dispersão) a R$ 500 para arquibancada numerada no setor 9 (meio do Sambódromo).

O carnaval do ano que vem será nos dias 26 (sábado), 27 (domingo), 28 de fevereiro (segunda-feira) e 1º de março (terça-feira).

Os desfiles do grupo especial estão marcados para os dias 27 (domingo) e 28 de fevereiro. Também é possível garantir vaga no desfile das campeãs, que será no dia 5 de março, sábado. Os ingressos estão sendo vendidos pela internet.

Desfiles

Os bilhetes para os desfiles de domingo valem da noite do dia 27 até a madrugada do dia 28. Nesse primeiro dia, passam pela Marquês de Sapucaí as escolas de samba Imperatriz Leopoldinense, Estação Primeira de Mangueira, Acadêmicos do Salgueiro, São Clemente, Unidos do Viradouro, Beija-Flor de Nilópolis.

Já os ingressos para a segunda-feira valem da noite do dia 28 até a madrugada do dia 1º.  Para esse dia, estão previstos os desfiles de Paraíso do Tuiuti, Portela, Mocidade Independente de Padre Miguel, Unidos da Tijuca, Acadêmicos do Grande Rio, Unidos de Vila Isabel.

 

Game disponibiliza oferta em Cuiabá para comemoração do Dia das Crianças. A iniciativa da promoção é oferecer acessibilidade ao lazer e promover a arrecadação de brinquedos que será destinada para associações que atendem crianças carentes na capital.
 
Com a proximidade do dia das crianças, as empresas começam a disponibilizar serviços para que seus clientes possam comemorar a data de forma especial e em grande estilo. O Escape 60’, por exemplo, estará com uma promoção que dará a um participante a oportunidade de jogar game de forma gratuita.

Com o objetivo de arrecadar brinquedos, entre os dias 11 e 17 de outubro, o Escape 60’ vai dar uma entrada, sem custo, para um participante que for acompanhado de quatro pagantes que levarem um novo brinquedo. A ação promocional está disponível para todas as seis salas do Escape Cuiabá, que fica localizado no Shopping Estação.

O Escape 60’ é um jogo de fuga onde pessoas ficam presas em salas temáticas por até 60 minutos e precisam, em equipe, desvendar enigmas e mistérios para escapar daquela determinada situação. A idade mínima para participar da sala é 15 anos. As salas tem capacidade para abrigar entre 4 e 8 pessoas.

A iniciativa da promoção compõe o conjunto de esforços da unidade do Escape 60’ de Cuiabá em oferecer acessibilidade ao lazer e promover a arrecadação que será destinada para associações que atendem crianças carentes na capital. Portanto, é só juntar sua equipe, seguir as regras citadas e jogar o game.

“A promoção é válida para todos participantes de qualquer faixa etária que queiram participar novamente ou conhecer o game. Só é preciso que a equipe cumpra com os critérios, agende a sala ou compareça na unidade com o brinquedo. A proposta é levar alegria para os participantes e para as crianças que receberão o brinquedo através desta ação. As crianças são um público que gostam bastante de participar dos jogos de fuga e pensamos essa promoção de forma especial”, pontua o Diretor do Escape 60’ Cuiabá, Leandro Bittencourt.

Através do site Escape 60’ e do telefone (65) 3052-0060 é possível buscar informações acerca da promoção e realizar o agendamento.

Sábado, 02 Outubro 2021 05:00

Uma conexão diferente com a alimentação

O veganismo é considerado uma postura política e não uma dieta. Entenda os tipos de dieta vegetariana e o que é veganismo.

Há alguns anos, a negociação para uma alimentação mais baseada em verduras, legumes e frutas era difícil entre nutricionistas e pacientes. Mas esse cenário vem mudando cada vez mais. De acordo com dados da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), em todas as regiões brasileiras - e independentemente da faixa etária -, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne, por vontade própria, pelo menos uma vez na semana.

Uma pesquisa de 2018, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) ao Ibope, mostrava que 14% dos brasileiros se consideravam vegetarianos e estavam dispostos a escolher mais produtos veganos (entenda a diferença) também. Especialistas e pessoas que adotam esse tipo de dieta reforçam que a alimentação sem carne acaba influenciando diretamente na qualidade de vida. 

Segundo a nutricionista Shila Minari , as dietas vegetarianas adequadamente planejadas, incluindo as totalmente vegetarianas ou veganas, são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem proporcionar benefícios para a saúde na prevenção e no tratamento de certas doenças. Quando corretamente planejadas, elas podem ser adotadas em todas as etapas da vida, incluindo a gravidez, a lactação, a infância e a adolescência, bem como ser seguida por atletas.

“É preciso entender sua escolha, se informar, aprender a substituir e a se alimentar de forma variada e adequada”, destaca a jornalista Mariana Camargo, de 34 anos, que é vegetariana há nove anos. Antes de adotar a dieta vegetariana, nem tomate ela comia. Hoje, ela conta, rindo, que ama escolher brócolis no mercado e testar receitas novas para variar cada vez mais o cardápio.

Grávida de uma menina, ela diz que encontrou resistência ao manifestar sua decisão de manter o estilo de vida durante a gestação, por julgarem sua escolha. “A orientação era sempre de ter mais cuidado. Cheguei a ser aconselhada a comer carne por um dos médicos. Mas sou vegetariana há muitos anos e, nesse tempo, aprendi a substituir, me cuidar e me alimentar adequadamente”. Mariana explica que faz a mesma suplementação de uma gestante que come carne: “Não tive nenhum problema. Pelo contrário, a alimentação vegetariana nos incentiva a comer menos processados e mais verduras e legumes frescos, o que é muito positivo para a mãe e para o bebê”. 

A empresária Maria Cleomana Targino conta que seu primeiro contato com o vegetarianismo aconteceu quando uma amiga vegetariana afirmou que a alimentação baseada em produtos de origem animal, que Cleomana até então adotava, não era saudável. “Depois disso, a vontade de buscar informações sobre a alimentação vegetariana cresceu cada vez mais”, explica. Por trabalhar em casa, Cleomana diz que não enfrenta tantas dificuldades para se alimentar no dia a dia.

“A minha alimentação é à base de grãos, vegetais, sementes. Sempre estou indo à feira e buscando novas especiarias também”, diz a empreendedora, que já é vegetariana há seis anos e planeja uma transição para o veganismo. 

A nutricionista Lara Natacci, mestre e doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e integrante da Comissão de Comunicação da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), explica as diferenças entre a dieta vegana e vegetariana. “A dieta vegetariana é aquela onde a gente não inclui carne, frango e peixe. As pessoas que fazem a dieta vegetariana normalmente consomem leite e derivados e ovos. Existe o vegetariano estrito, que não consome nenhum alimento de origem animal, então ele não consome carne vermelha, carne de frango, carne de peixe, não consome nem ovos e nem leite e derivados. Temos também o vegano, que não consome nenhum alimento de origem animal e nenhum produto de origem animal também”, exemplifica Lara Natacci. 

Entenda os tipos de dieta vegetariana:

Ovolactovegetarianos

Não ingerem nenhum tipo de carne (nem frango, peixe ou frutos do mar), mas consomem laticínios e ovos. Esse tipo de vegetarianismo é o mais comum.

Lactovegetarianos

Além de não ingerir nenhum tipo de carne – como os ovolactovegetarianos -, os lactovegetarianos excluem os ovos da dieta. É o tipo de vegetarianismo predominante em países como a Índia, de acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira.

Vegetarianos estritos

Não ingerem nenhum tipo de carne, laticínios ou ovos.

E o que é o veganismo?

Por motivações éticas, os veganos não consomem nada de origem animal em nenhuma área de sua vida. Alimentação, vestuário, espetáculos ou qualquer outro tipo de atividade que envolva sofrimento animal é excluída da vida de uma pessoa vegana. O veganismo é uma postura política e não uma dieta.

Para Lara Natacci, o maior cuidado que deve ter alguém que queira fazer esse tipo de alimentação é buscar a orientação de um profissional especializado, o que ajuda a alcançar uma alimentação equilibrada e bem planejada, além das informações para fazer as substituições necessárias. “Não adianta nada deixar de consumir carne no nosso prato para consumir, em seu lugar, um alimento muito rico em carboidrato e que não seja rico em proteína”, diz a nutricionista. 

Ela lembra que muitos alimentos de origem animal são mais ricos em gordura saturada. Esse tipo de alimentação pode contribuir para o desenvolvimento de alguns tipos de doenças crônicas não transmissíveis, principalmente as cardiovasculares.

Sobre os aspectos nutricionais da dieta, a nutricionista Shila Minari reforça que pessoas vegetarianas também podem ter problemas por fazerem escolhas alimentares erradas. Shila aconselha a inclusão de leguminosas e fontes de proteína não animal na alimentação. “Suplementos de vitamina B12 muitas vezes são necessários para os vegetarianos. Essa é a única vitamina que não se consegue suprir com esse tipo de alimentação”, explica. 

Para ter uma dieta balanceada e não compensar a falta de proteína animal com outros alimentos pobres em nutrientes, ela aconselha acompanhamento especializado. “É importante que quem vá começar uma dieta vegetariana faça acompanhamento nutricional".

O mercado voltado especificamente para esse público também vem sendo mais explorado. Misael Heron e Julyana Pinheiro são de Brasília e criaram o Cozinha Muju em 2019, com produtos artesanais e autorais. “A nossa venda era baseada em molhos e geleias, sem uso de produtos de origem animal. Com o tempo, a gente foi expandindo o cardápio e incluímos pães de fermentação natural e alguns doces. Hoje funcionamos como uma pequena padaria sem nada de origem animal”, destaca Julyana. 

“Os cardápios que a gente faz são semanais e respeitam a sazonalidade dos produtos. Além disso, as frutas e as hortaliças usadas nos preparos vêm direto dos pequenos produtores locais e orgânicos da região”, complementa Misael.

Quer começar?

Para Mariana, a relação com o alimento deveria ser a mesma em qualquer tipo de alimentação. Ela explica que, no vegetarianismo, as pessoas tendem a criar uma conexão diferente com a alimentação. “Acho que esse cuidado deveria ser o mesmo para qualquer escolha alimentar. Deveríamos olhar para o que comemos e saber escolher as melhores opções, variar alimentação, explorar combinações e transformar o alimento em cuidado pessoal”, diz. 

A "Segunda sem Carne", iniciativa da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), pode ser uma alternativa para quem quer começar a adotar esse tipo de dieta ou diminuir o consumo de proteínas de origem animal. Outro caminho é a dieta flexitariana: há uma diminuição no consumo de alimentos de origem animal, mas as pessoas não deixam de consumir definitivamente esses alimentos. “Seria realmente um intermediário entre a dieta vegetariana e a dieta onívora, e já traz alguns benefícios tanto para a nossa saúde, quanto para o planeta”, completa Lara Natacci. 

“É muito importante que a gente tenha essa opção, porque muitas vezes quando a gente faz mudanças muito bruscas na alimentação ou nos nossos hábitos, não consegue sustentá-las em longo prazo. Por isso, fazer pequenas mudanças já pode gerar bons resultados”. (Fonte: Agência Brasil)

Sexta, 24 Setembro 2021 05:00

“Patrulha Canina” em Cuiabá

Atração das telinhas vem com estações temáticas inspiradas nos personagens do desenho em Shopping da capital.

Desde o último dia 18, o Shopping Estação Cuiabá conta com uma atração para agitar a criançada. Um espaço com a temática completa do famoso desenho Patrulha Canina traz brincadeiras e desafios divididos em quatro estações para a faixa etária de 3 a 12 anos.

Nos episódios de Patrulha Canina, exibidos pelo canal Nickelodeon, Ryder é um garoto que lidera os filhotes Marshall, Skye, Chase, Rubble, Rocky e Zuma para que, juntos, realizem missões de resgate que exploram temas como cidadania, coragem e convivência.

Logo no acesso ao evento, as crianças encontram a Torre de Controle, parada obrigatória para uma foto especial. Para quem é bom de mira, as habilidades poderão ser testadas no Acerte o Alvo e Pinball, atividades que acontecem nos carrinhos do Chase e Rubble. E tem ainda os desafios do Marshall, que convidará os pequenos para se aventurarem em uma simulação de combate a incêndio com um compressor de ar, e da Skye, que propõe uma divertida brincadeira com bolinhas flutuantes.

“Desenhos sempre mexem com o imaginário infantil e até mesmo dos adultos. Além de ser divertido, a Patrulha Canina traz temas relevantes e importantes. Tenho certeza que esta será mais uma atração que as crianças vão adorar”, diz Laíza Carvalho, gerente de marketing do Shopping Estação Cuiabá. 

Os ingressos poderão ser adquiridos no local do evento, pelo valor de R$ 25,00, para 20 minutos de permanência (tempo mínimo) + R$ 1,00 a cada 1 minuto adicional (após os 20 minutos).

 O evento segue todos os protocolos indicados pelas autoridades sanitárias: uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool 70%, limpeza frequente dos equipamentos, distanciamento social.

 Evento Patrulha Canina

Período: 18 de setembro a 31 de outubro de 2021

Horário: De segunda a sábado, das 10h às 22h | Domingos e feriados das 12h às 20h

Capacidade: 08 crianças por turma - o circuito completo tem duração média de 20 minutos

Local: Praça de Eventos – Piso L1

Classificação indicativa: crianças de 3 a 12 anos

Valores: 20 minutos por R$ 25,00 (tempo mínimo) + R$ 1,00 a cada 1 minuto adicional (após os 20 min.)

 

 

Terça, 21 Setembro 2021 16:03

“Voz Animal”

Unimed Cuiabá e AVA-MT são parceiros no cuidado com pets. A AVA abriga, atualmente 332 animais (219 cães e 113 gatos), e precisa garantir a manutenção dos canis e gatis.

A Unimed Cuiabá, através do setor de Sustentabilidade, é parceira da Associação Mato-grossense Voz Animal (AVA-MT), que realiza resgate de animais domésticos, cães e gatos, abandonados. Aos pets são oferecidos cuidados veterinários, abrigo e posteriormente, têm suas imagens divulgadas para adoção responsável, via redes sociais.

O interesse e cuidado com a comunidade está no DNA da Cooperativa, por isso acolher a demanda e participar desta ação foi fundamental. “Entendemos a necessidade da proteção e cuidado com os animais. Cresce o número de pets abandonados e isso também nos preocupa, pois são vidas. A atuação da AVA-MT é reconhecida, por isso juntamos forças nesta ação e convidamos cooperados, colaboradores e clientes a ingressar conosco nesta parceria, seja com doações ou adoção responsável”, explicou o diretor-presidente da Unimed Cuiabá, Dr. Rubens Carlos de Oliveira Júnior.

A AVA abriga, atualmente 332 animais (219 cães e 113 gatos), e precisa garantir a manutenção dos canis e gatis. A presidente da Associação, médica Maria das Dores Gonçalves da Silva, lembra que além da alimentação e cuidados com a saúde dos pets, a entidade necessita também de materiais de limpeza, já que o processo de despoluição do ambiente tem que ser diário e esse é um grande investimento. “Além disso, o abrigo precisa alimentar os animais e cuidar da saúde. Tudo isso representa custo elevado. Para manter a estrutura precisamos de ajuda, e por isso parcerias como a da Unimed Cuiabá são imprescindíveis”, relata a médica cirurgiã.

DOAÇÕES

A Associação recebe todos os tipos de contribuição, para realizar depósitos ou transferências:

PIX: 05.803.633/0001-51 (CNPJ)

Unicred: Banco 136/ Agência: 2305 – Conta Corrente: 29114-5

Banco do Brasil: Agência: 3325-1 – Conta Corrente: 136000-0

As doações podem ser entregues na Clínica Veterinária Bellu’s, localizada na Av. Uirapuru, Quadra 6, nº 7, no bairro Recanto dos Pássaros, que é parceira da ONG.

 

Domingo, 22 Agosto 2021 05:00

‘Loja de Leitura’

Shopping da capital cria espaço para público doar e pegar livros gratuitamente. Ação foi desenvolvida com incentivo do historiador Clóvis Matos para ampliar os hábitos de leitura.

O Shopping 3 Américas inaugurou no mês de agosto uma loja diferente. Intitulada de ‘Loja da Leitura’, o espaço foi desenvolvido pelo mall em parceria com Clóvis Matos, historiador, produtor cultural com forte atuação na inclusão literária mato-grossense.

A intenção do projeto é promover a leitura e, com isso, ampliar o conhecimento do público em geral, já que não faltam opções de gêneros literários. “Temos ficção, não-ficção, livros para o público infanto-juvenil, para gestantes, livros técnicos de áreas como Direito e também livros religiosos. Ou seja, não faltam opções. Os primeiros livros doados, aliás, foram do próprio Clóvis Matos”, destaca a presidente da Associação dos Lojistas do Shopping 3 Américas, Acilene Clini. 

Na prática, o público poderá levar os livros disponíveis para casa, sem custo algum. “Não é necessário que o leitor devolva o livro, ficará ao critério dele. Ele pode pegar gratuitamente e se achar interessante, devolvê-lo. O que nós queremos realmente com o projeto é incentivar este hábito, já que sabemos que, infelizmente, o brasileiro ainda lê pouco”, explica a gerente de marketing, Tamara Behling. 

Um país de poucos leitores - De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil divulgada em 2020, o brasileiro lê, em média, cinco livros por ano, sendo aproximadamente 2,4 livros lidos apenas em parte e, 2,5, inteiros. Além de uma média baixa, o país ainda perdeu cerca de 4,6 milhões de leitores, conforme a mesma pesquisa. 

De 2015 para 2019, a porcentagem de leitores no Brasil caiu de 56% para 52%. Já os não leitores, ou seja, brasileiros com mais de 5 anos que não leram nenhum livro, nem mesmo em parte, nos últimos três meses, representam 48% da população, o equivalente a cerca de 93 milhões de um total de 193 milhões de brasileiros.  

Doações

Também dentro da Loja da Leitura haverá um espaço de doação de livros. “Temos uma estante com os livros já selecionados para que o público pegue e outro espaço com caixas, onde os frequentadores do 3 Américas poderão doar os livros. É claro, nosso pedido é que os mesmos encontrem-se em um estado bom fisicamente, para que outras pessoas possam levá-los”, completa Tamara. 

O Shopping 3 Américas informa que para interessados em doar grandes quantidades de livro, o mall poderá fazer a coleta. Para tanto, basta entrar em contato via WhatsApp (65) 99336-1143 ou ainda pelo Instagram https://www.instagram.com/shopping3americas

Para quantidades menores, basta deixar os livros na caixa de doações da Loja da Leitura. 

Pandemia

 Vale lembrar que não será possível ler no espaço, apenas doar ou retirar livros. “Devido à pandemia, preferimos não ter a possibilidade da permanência na Loja da Leitura. Futuramente, nossa ideia é que o espaço possa sim ser compartilhado também para que nosso público fique mais tempo ali dentro e aproveite a leitura”, informa Acilene Clini. 

Horário de funcionamento

A Loja da Leitura funcionará no mesmo horário que as demais lojas do Shopping 3 Américas. Confira: 

  • De segunda à sexta-feira: das 10h às 22h;
  • Aos sábados, domingos e feriados: das 14h às 20h. 

Local – A Loja da Leitura está localizada no Piso 1 do Shopping 3 Américas, ao lado da Kopenhagen.

 

Página 1 de 3