Esporte

Esporte (25)

Sexta, 26 Novembro 2021 11:32

A segunda maior corrida de rua do Estado

Abertas inscrições para a 6ª Corrida do Bope da Polícia Militar.

Estão abertas as inscrições para a 6ª Corrida do Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar (Bope). As vagas são limitadas. Os interessados em participar do evento devem preencher atentamente os dados da ficha inscrição.  

O valor da inscrição é de R$ 95 para o público geral e militar. Já para os pequenos atletas que toparem participar da versão Bope Kids, a inscrição é de R$ 65. 

O evento promovido pelo Bope é considerado a segunda maior corrida de rua do Estado. A competição acontecerá no dia 20 de fevereiro de 2022.

Para esta 6ª edição da corrida, os policiais prometem várias surpresas e uma megaestrutura aos participantes, que toparem o desafio proposto pelos policiais “caveiras” da PMMT.

Para garantir a vaga na competição e saber mais informações basta acessar o site http://morro-mt.com.br

 

Delegação mato-grossense participa de competição nacional. As Paralimpíadas Escolares é realizada em São Paulo.

De 23 a 27 de novembro, estudantes de oito municípios mato-grossenses representam o Estado na etapa nacional das Paralimpíadas Escolares 2021. A competição, que é considerada a maior do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar, é organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e ocorrerá em São Paulo (SP).

Para garantir a participação delegação mato-grossense na competição nacional, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) providenciou a mobilização, organização e a viagem dos atletas com deficiência, técnicos e dirigentes.  

“As pessoas com deficiência têm todo carinho dessa gestão do Governo do Estado e de toda nossa equipe na Secel. Vamos trabalhar cada vez mais para que mais e mais atletas mato-grossenses possam participar dessa competição. Estamos torcendo pelos resultados, mas principalmente pela vivência que esses atletas terão nesse momento tão especial do desporto paralímpico nacional”, expõe o secretário adjunto de Esporte e Lazer da Secel, Jefferson Carvalho Neves.

Disputando nas modalidades adaptadas de atletismo, natação e tênis de mesa, a delegação mato-grossense conta com atletas dos municípios de Alta Floresta, Alto Araguaia, Canarana, Castanheira, Cuiabá, Paranatinga, Rondonópolis e Várzea Grande. Uma equipe da Secel também faz parte do grupo que representa o Estado.

Em 2020, o evento não foi realizado devido à pandemia de Covid-19. Na última edição, em 2019, Mato Grosso conquistou 13 medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze.

Na edição deste ano, mais de 900 atletas de todas as regiões do país disputam em 13 modalidades: atletismo, basquete em cadeira de rodas (formato 3x3), bocha, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, parabadminton, parataekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.  

A cerimônia de abertura das Paralimpíadas Escolares 2021 será realizada na noite desta terça-feira (23.11), no Anhembi, em São Paulo. Sem presença de público, a festividade será transmitida ao vivo nos canais do Youtube e Facebook do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), a partir das 19h. 

Já as competições vão começar na quarta-feira (24.11), no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. 

 

Capital é palco de quatro campeonatos.

Os vencedores do 12º Campeonato Brasileiro de Boxe, 5º Campeonato Brasileiro de Boxe Feminino Juvenil, 13º Campeonato Brasileiro de Boxe Masculino Cadete  e 1º Campeonato Brasileiro de Boxe Feminino Cadete, realizados na capital mato-grossense, foram conhecidos no fim de semana. Os atletas participaram do torneio que contou com apoio da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer.

O ginásio Gustavo Cid Nunes Cunha, instalado no bairro Lixeira, recebeu as adequações necessárias para contemplar a disputa, que reuniu os melhores atletas da categoria de base no país, representando de 18 estados. 

O evento na capital foi o primeiro torneio realizado após a suspensão das atividades em decorrência da pandemia do coronavírus e, Cuiabá, marcou presença conquistando medalhas de bronze. Uma delas foi a do competidor, Samuel Antônio de Jesus Ferreira, 16 anos, que alcançou o terceiro lugar na categoria 54 quilos.

“Estava esperando ansiosamente por esse torneio. Comecei a treinar há pouco mais de dois anos. Participei pensando em conquistar o primeiro lugar, mas não foi dessa vez. Vou treinar ainda mais para participar do campeonato nacional ainda esse ano”, ressaltou Samuel.  

A emoção tomou conta do jovem boxista Alisson da Silva, 15 anos, que ganhou medalha de ouro na categoria 50 kg. Ele representou o estado da Bahia.

Emocionado, conta que apesar de já ter vencido em outros campeonatos e que já  lhe renderam outras cinco premiações, na capital mato-grossense percebeu que a interação com o público foi intensa. “O público participa, e isso nos motiva”, declarou.

A participação no Campeonato Brasileiro Cadete (masculino e feminino) foi exclusiva para atletas não profissionais nascidos entre 2005 e 2006. Já a disputa no Campeonato Brasileiro Juvenil (masculino e feminino) destinou-se aos  atletas não profissionais nascidos entre 2003 e 2004. “O Campeonato Brasileiro de Boxe é a mais tradicional e importante competição de pugilismo Olímpico do Brasil. O torneio nas categorias Cadete e Juvenil é essencial para promover o desenvolvimento do futuro do esporte nacional. Quem for campeão ou vice campeão tem a oportunidade de disputar fora do Brasil”, explicou diretor da Federação Mato-grossense de Boxe, Sebastião da Silva Borges.

“Cuiabá é referência em abrigar as principais competições de base do boxe brasileiro. Assim como o boxe, a prefeitura tem investido na realização de campeonatos e torneios a fim de incentivar a prática e valorizar os atletas aqui da capital. É motivo de grata satisfação saber que a capital está servindo de modelo para outras capitais do Brasil”, disse a secretária municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Carlina Jacob.

Confira abaixo o resultado das finais: 

12º Campeonato Brasileiro de Boxe

Masculino Juvenil

51kg

Ederson Oliveira (SP) 4:1 Wendel Barbosa (RJ)

54kg

Ronald Ribeiro (ES) KO R1 Ricardo Souza (BA)

60kg

Pablo Capistrano (ES) 5:0 Daniel Pessoa (BA)

63,5kg

Hebert Soares (GO) 3:2 Paulo Mota (RJ)

67kg

Alyssonn Sylva (GO) 5:0 Maxwell Ferreira (SP)

75kg

Felipe Ignácio (SP) 3:2 Jomário Cruz (BA)

86kg

Ricardo Filho (ES) RSC R3 Iranildo Barbosa (PA)

5º Campeonato Brasileiro de Boxe Feminino Juvenil

51kg

Victoria Lima (SP) 5:0 Alana Lima (PA)

57kg

Rayssa Carneiro (PR) 5:0 Rafaela Silva (RR)

13º Campeonato Brasileiro de Boxe Masculino Cadete

50kg

Alisson Santos (BA) 4:0 Givaldo Neto (SC)

54kg

Kelvy Alecrim (SP) 4:1 Alecssandro Domingos (PB)

60kg

Samuel Santos (BA) 3:2 Luis Barcelos (RJ)

66kg

Bruno Dias (SE) 3:2 Allan Firmiano (SP)

75kg

Dimithely Lago (TO) 3:2 Bryan Almeida (SP)

1º Campeonato Brasileiro de Boxe Feminino Cadete

48kg

Nicoli Oliveira (SC) RSC R3 Liana Santos (BA)

52kg

Rayssa Antunes (RJ) RSC R3 Ketelyn Santos (SP)

60kg

 Maria Jesus (BA) 3:2 Cristiane Costa (PA)

 

Quinta, 11 Novembro 2021 05:00

Posso correr com Diabetes?

A 1ª Corrida e Caminhada Contra o Diabetes, com organização da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional de Mato Grosso (SBEM) e apoio  da Associação Mato-grossense de Atenção ao Diabético (Amad) tem como objetivo a inclusão da corrida de rua às pessoas com diabetes, bem como despertar o interesse a prática da atividade física como inserção e a conscientização a promoção a saúde e melhora da qualidade de vida. Confira a seguir entrevista com a endocrinologista Nara Gaban Carvalho Nishi, 33, que atende na Clínica Humana em Sinop-MT.

Blog da Condessa - Corrida e diabetes: uma modalidade segura?

Nara Nishi – Sim. Certamente. Porém, por se tratar de uma doença crônica, que pode vir associado a complicações, é importante que os paciente que apresenta alto risco cardiovascular inicie as atividades de forma leve, bem como  os pacientes que apresentem complicações como retinopatia, necessitam de controle antes de iniciar os exercícios físicos. 

Blog da Condessa -  Existem certos cuidados a serem observados?

Blog da Condessa - Corrida e diabetes: uma modalidade segura?

Nara Nishi - Sim, com certeza, porém por se tratar de uma doença crônica, que pode vir associado a complicações é importante que os paciente que apresentam alto risco cardiovascular, iniciem as atividades de forma leve. E os pacientes que apresentem complicações, como retinopatia, necessitam de controle antes de iniciar os exercícios físicos. 

Blog da Condessa - Existem certos cuidados a serem observados?

Blog da Condessa - Corrida e diabetes: uma modalidade segura?

Nara Nishi - Sim, com certeza, porém por se tratar de uma doença crônica, que pode vir associado a complicações é importante que os paciente que apresentam alto risco cardiovascular, iniciem as atividades de forma leve. E os pacientes que apresentem complicações, como retinopatia, necessitam de controle antes de iniciar os exercícios físicos. 

Blog da Condessa - Existem certos cuidados a serem observados?

Nara Nishi Sim. É importante verificar a glicemia capilar antes de realizar exercício e, principalmente, aos usuários de insulina existe um risco de hipoglicemia mesmo após varias horas da prática do exercício. E caso a glicemia esteja aumentada, atividades vigorosas podem elevar os níveis de glicemia pós- exercício. Portanto, é importante se alimentar adequadamente e manter-se hidratado. É prudente não realizar exercício com a glicemia muito elevada e junto ao seu médico ajustar a insulina conforme a necessidade e o tipo de exercício físico.  

Blog da Condessa - Quem tem diabetes pode praticar corrida?

Nara Nishi - Não só pode como deve, dependendo das limitações que apresentar. 

Blog da Condessa - Quais os benefícios e vantagens?

Nara Nishi - Além do emagrecimento e melhora da disposição, a atividade física pode melhorar a glicemia de jejum, o colesterol, assim como melhora a resistência à insulina - hormônio responsável por transportar a glicose para dentro da célula e ser utilizado como energia. 

Blog da Condessa - Você é a coordenadora/presidente da comissão organizadora  da 1ª Corrida e Caminhada Contra o Diabete que acontece no dia 21 de novembro?

Nara Gaban Carvalho Nishi – Sim. Sou a idealizadora do evento e encontrei parceiros que defendem essa causa, com a organização da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, regional Mato Grosso. 

Blog da Condessa - Comente, por favor,  sobre a inscrição, o trajeto, percursos, a partir de que idade, custo de inscrição.

Nara Nishi - As inscrições estão abertas e devem ser realizadas até o dia 19 de novembro no site canal do ciclista (www.canaldociclista.com.br). O percurso é de 6 km para corrida e 3 km de caminhada. Não tem idade mínima. O custo é de R$60,00 (+ 5,00 da taxa do site). O evento não tem fins lucrativos, portanto toda a renda arrecadada será doada para compra de insumos para pacientes com diabetes. 

Blog da Condessa - Qual o objetivo?

Nara Nishi - O objetivo da corrida é conscientizar a população da necessidade de realização de exercício físico tanto para prevenção diabetes quanto para controle dessa doença crônica, em busca sempre de qualidade de vida.

Blog da Condessa - Todos os atletas que participarem e finalizarem a corrida receberão medalha?

Nara Nishi - Sim, haverá premiação com medalhas a todos os atletas participantes e troféus aos primeiros colocados de cada categoria, além de brindes. 

Blog da Condessa - Há números de casos de diabéticos no estado?

Nara Nishi - Os diabéticos alcançam 13 milhões de pessoas no Brasil, e no estado do Mato Grosso estima-se que em torno de 60 mil pessoas com idade acima de 20 anos que tenham diabetes.

 

Sexta, 05 Novembro 2021 05:00

TJMT apoia projeto de Equoterapia

Terapia assistida por cavalo traz benefícios para praticantes e reeducandos. O centro atende crianças, adolescentes, adultos ou idosos.

Praticando Equoterapia, terapia assistida por cavalo, há cerca de 30 dias, a dona Darci Glória Oliveira, 73 anos, que sofre da Doença de Parkinson, relata melhora da disposição, do sono e se diz mais tranquila. A aposentada nunca havia tido contato com o cavalo, mas ao buscar mais da qualidade de vida se surpreendeu com os resultados, e o melhor de tudo, sem pagar nada por isso.

 “Melhorei muito desde que comecei a equoterapia eu era muito nervosa, e vejo que estou melhor a cada aula. Gosto daqui, o pessoal é muito atencioso. São todas excelentes pessoas”, avalia a idosa.

 Dona Darci e outros 39 praticantes são beneficiados pelo projeto de Equoterapia realizado por reeducandos do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), com apoio do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, via o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) e Juizado Volante Ambiental e vários parceiros.

 O projeto começou em 2020, quando os reeducandos e agentes penitenciários foram qualificados para trabalhar com o método terapêutico que utiliza o cavalo em abordagens interdisciplinar (psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, e profissional de equitação), buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais.

 De acordo com o coordenador do GMF, juiz da 2ª Vara de Execuções Penais, Geraldo Fidelis, a equoterapia do CRC é o resultado da comunhão de boas vontades. “Em Mato Grosso descobrimos que nada se faz sozinho, para tudo há de se fazer parcerias”, definiu. Ele explicou que a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) capacitou recuperandos e agentes penitenciários em técnicas das áreas de saúde, educação e equitação utilizadas na Equoterapia. Os cinco cavalos usados na prática foram doados pela Cavalaria da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) ofertou os cursos “Doma racional de equinos” e “Rédeas” para cinco recuperandos.

 A estrutura do centro de equiterapia (baias, pista de atendimento, recepção), que funciona anexa ao CRC, foi construída com repasse de recursos oriundos da aplicação da pena de prestação pecuniária feito pelo Judiciário ao Conselho da Comunidade. Toda madeira usada no espaço foi doada pelo Juvam.

 “O Judiciário contribuiu financeiramente para o projeto, buscou apoio da universidade, ajudou na fiscalização para a triagem dos praticantes e o resultado mostra que dá certo. Os reeducandos foram diplomados pela UFMT. Estão aptos a trabalhar em prol da sociedade, estão pagando a sua pena com o esforço, e auxiliando a recuperar a saúde das pessoas que não teriam como pagar pelo tratamento”, reflete o magistrado.

 Os atendimentos são realizados de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h, de forma gratuita. O centro de equoterapia atende crianças, adolescentes, adultos ou idosos e a procura pelo serviço é grande, tanto que o projeto já tem fila de espera. “Temos a intenção de ampliar o número de atendimentos e suprir a demanda. Todo o atendimento é feito por voluntários e o praticante não tem nenhum custo para realizar a equoterapia. Nossa maior recompensa é ver que essas famílias saem agradecidas pelo tratamento”, afirma o diretor do CRC, Winkler de Freitas Teles. “Conseguimos concretizar um trabalho gigante no projeto de equoterapia do CRC. Foram oito dias de curso de capacitação para os reeducandos e contamos com vários profissionais parceiros no projeto que trabalham de forma voluntária. São fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogo, veterinário, zootecnista e outros”, cita.

 Além dos voluntários, atuam no centro de equoterapia cinco ressocializandos, que se beneficiam com a remição de pena. A cada três dias trabalhados diminui-se um dia de pena. Um deles é o fisioterapeuta do projeto, Osiel de Andrade Filho. “Começamos com 10 praticantes e atualmente já são 40. A maioria dos praticantes tem Transtorno do Espectro Autista (TEA), problemas neurológicos e síndromes. A equoterapaia traz muitos benefícios como equilíbrio, melhora autoestima o tônus muscular”, explica.

 Osiel destaca que o projeto traz benéficos também para quem atua nele. “Só de eu sair da cela, um lugar fechado, e vir para um local aberto já é maravilhoso. Agora ajudar o próximo com aquilo que estudei, o meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) foi sobre Equoterapia com criança com encefalopatia crônica não progressiva do tipo espástico é muito gratificante. Uma oportunidade incrível”, completa.

 “Hoje o CRC oferece cursos para os reeducandos, considero esse trabalho de extrema importância para a ressocialização do indivíduo. Só tenho a agradecer pela oportunidade de participar do projeto de equoterapia. Estou tendo um aprendizado e vou poder retornar para a sociedade com uma profissão, com mais conhecimento”, avalia Jovanilço Sovalterra Carvalho, conhecido pelo apelido “Jacaré”, outro reeducando que atua no projeto, como equitador (instrutor de equitação para a equoterapia).

 A ressocialização do reeducando é prioridade do Poder Judiciário de Mato Grosso que tem atuado para promover a humanização e melhoria das condições do sistema penitenciário no Estado para evitar a reincidência.

 

 

Projeto abre mundo de oportunidades jovens das cidades de Cuiabá e Várzea Grande.

O sucesso do projeto social da Polícia Militar “Jiu-Jitsu Rotam”, iniciativa coordenada pelos policiais do Batalhão Rotam, foi assunto do PMCAST de sexta-feira (29.10). Esta semana, a PM precisou encerrar o processo de inscrições para novos alunos, antes do prazo estipulado, devido à grande procura e o preenchimento quase que imediato das 100 vagas disponíveis. 

O projeto abre portas de oportunidades e de cidadania, através da modalidade esportiva, para 200 crianças e adolescentes das cidades de Cuiabá e Várzea Grande. A maioria dos alunos já conquistou o título de atletas do jiu-jitsu, com o apoio dos policiais militares e da família também assistida pela iniciativa.

E para conhecer um pouco mais do ‘ Jiu- Jitsu Rotam’ a equipe do PMCAST foi até a sede da unidade especializada da PMMT, no tradicional bairro Dom Aquino, entrevistar o sargento e professor de Jiu-Jitsu, Roderiky Cardoso, fundador desta importante ação social da PM.

No 5º episódio do podcast oficial da PM, o sargento e atletas levam você até o “Dojo dos Águias” e contam como é transformar e ser transformado através do Jiu-Jitsu; modalidade esportiva ocidental de combate, que utiliza técnicas de golpes de alavancas, torções e pressões para derrubar e dominar um oponente. 

No podcast, você vai saber como foi intercâmbio cultural dos atletas, ação promovida pelos policiais militares, que levou os de atletas do projeto para treinar no Rio de Janeiro, visando às próximas competições.

Quer saber mais?   

Acesse o episódio exclusivo da entrevista nas principais plataformas de áudio gratuitamente. Basta acessar os links abaixo e seguir o PMCAST:

Spotify:  https://cutt.ly/IRJAaR0

Google Podcast: https://cutt.ly/qRJAxM8

Anchor:https://cutt.ly/DRJAmOX

 

 

 

 

Capital será de pela primeira vez sede da final da competição.

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura  Esporte e Lazer, é parceira da 87ª Edição do Campeonato Brasileiro de Xadrez Absoluto Masculino e 60ª Xadrez Feminino.  A capital sediará, entre os dias 28 de outubro e 4 de novembro de 2021, as finais do Campeonato Brasileiro de Xadrez. O evento é organizado pela Empresa Contaud (Taça Contaud).

As competições serão realizadas no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá.

“Sediar um evento desse porte vem ao encontro do nosso trabalho frente à pasta do esporte municipal. É mais uma forma de valorizar e incentivar a prática de esportes que nesse caso é o jogo de xadrez. Com toda certeza, Cuiabá tem grandes especialistas na área”, disse a secretária municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Carlina Jacob.

“A presente final é a coroação de um processo de trabalho desenvolvido durante o presente ano pela Secretaria de Cultura e Esportes, da Prefeitura de Cuiabá,  com o intuito de elevar o nível de jogo dos enxadristas cuiabanos e incentivar a prática deste deporte na população sob a minha coordenação”, declarou o mestre internacional, Luís Rodi.

As premiações entregues serão num total de R$ 52 mil  (cinquenta e dois mil reais) em premiação, sendo R$ 36 mil para o xadrez absoluto e R$ 16 mil para o feminino. A capital é reconhecida em âmbito nacional por albergar uma das principais provas abertas do país. O torneio Contaud em todas as edições contou com a participação de destacados exponentes do jogo ciência sul-americano, incluindo os melhores do Brasil.

Cuiabá é recordista quanto ao número de participantes, com mais de duzentos enxadristas na prova absoluta e mais de cinquenta no feminino. Entre eles o atual campeão absoluto, grande mestre Alexandre Fier, e a atual campeã feminina, mestre internacional Juliana Terão. “A presente edição, ademais de consagrar ao campeão de Brasil, vai ter a novidade de permitir aos três primeiros classificados da prova, tanto na categoria absoluta quanto na feminina, integrar as equipes olímpicas brasileiras que nos representarão em Moscou 2022. Para os mato-grossenses é uma grande oportunidade de participar, compartilhando espaço e se enfrentando com os melhores do país, o que permite ganhar experiência e até uma atuação de destaque”, acrescentou Luís Rodi.

No site oficial, https://campeonatobrasileiroxadrez.blogspot.com/ é possível encontrar o folder e regulamento de ambas as competições, assim como realizar o procedimento de inscrição nas provas que são abertas para participantes de todos os níveis.  

 

Segunda, 04 Outubro 2021 05:00

A volta dos cruzeiros marítimos

Para a temporada 2021/2022, que vai de novembro até abril do próximo ano, estão previstos sete navios.

Suspensos no país desde o início da pandemia de covid-19, os cruzeiros marítimos retornarão à costa brasileira em novembro, anunciou no último dia 2 à noite o Ministério do Turismo. Em nota, a pasta informou que uma portaria será assinada nos próximos dias.

Após a publicação da portaria, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) editará uma norma com os protocolos sanitários. As viagens também deverão respeitar as regras das cidades onde os navios atracarem.

Entre os protocolos a serem definidos pela Anvisa, estão a realização de testes antes do embarque em todos os passageiros, vacinação e testagem dos tripulantes, uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida nos navios, desinfecção e higienização constantes nas embarcações e fornecimento de ar fresco sem recirculação (nos moldes dos filtros especiais dos aviões).

A liberação dos cruzeiros ocorre três semanas depois de a Anvisa ter se posicionado contra a medida. Em 10 de setembro, a agência havia informado que as evidências sanitárias e epidemiológicas ainda não apontavam a retomada dos cruzeiros como ação segura. Naquele momento, não havia previsão de uma nova reavaliação da medida.

Segundo o Ministério do Turismo, a autorização para a temporada de cruzeiros 2021/2022 envolveu a aprovação conjunta de medidas dos Ministérios da Saúde, da Justiça, da Infraestrutura, da Casa Civil e da Presidência da República. A expectativa, informou o governo, é gerar R$ 2,5 bilhões para a economia e criar 35 mil empregos, o que representaria crescimento de 11% em relação à temporada 2019/2020.

Estimativas

Para a temporada de cruzeiros 2021/2022, que vai de novembro até abril do próximo ano, estão previstos sete navios, informou o Ministério do Turismo. As embarcações devem ofertar mais de 566 mil leitos, 35 mil a mais que na temporada 2019/2020, e farão cerca de 130 roteiros e 570 escalas em portos brasileiros. Entre os destinos previstos, estão Rio de Janeiro, Santos, Salvador, Angra dos Reis, Balneário Camboriú, Búzios, Cabo Frio, Fortaleza, Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Itajaí, Maceió, Porto Belo, Recife e Ubatuba.

Por meio de um vídeo gravado nos Emirados Árabes Unidos, onde participa da Expo Dubai 2020, o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou a liberação dos cruzeiros.

“A temporada está autorizada pelo governo. O presidente Bolsonaro determinou empenho total para que conseguíssemos liberar, porque os navios geram em torno de 42 mil empregos no Brasil, entre diretos e indiretos. Teremos uma temporada belíssima este ano”, declarou Machado.

 

Dourado entra e Tigre permanece como critério de maior ganhador de títulos do Estado de Mato Grosso.

Com a entrada em vigor da nova medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) no último dia 27, que altera o Decreto nº 6.187 da Timemania, abriu mais uma vaga para o time do coração em Mato Grosso, Cuiabá Esporte Clube e Mixto Esporte Clube estarão na lista.

De acordo com as novas regras o Mixto tem vaga garantida mesmo estando na segunda divisão do mato-grossense, por ser o time com maior número de títulos de campeão estadual do Estado. Já o Cuiabá entrará nas apostas por ter participado da Série B, no biênio anterior, e está disputando a Série A.

Com isso Mato Grosso ganha uma nova rivalidade entre os dois times mato-grossenses, agora pela melhor colocação na tabela no Timemania. A quem diga que os mixtenses já preparam as ofensivas para vencer em números de apostas dos torcedores do Cuiabá e continuar se mantendo à frente nas apostas. Os jogos servirão para medir a intensidade da torcida das duas agremiações, e acirrar mais a rivalidade dos dois times.

O Mixto conquistou em sua história 24 campeonatos mato-grossense e o Cuiabá 9, e está na série A do Campeonato Brasileiro e participou em 2019 da série B.

O Mixto emitiu nota sobre matérias veiculadas na imprensa que tiravam o Mixto da Timemania, segue NOTA.

Quanto a notícias incorretas veiculadas excluindo o Mixto da timemania.

O Mixto Esporte Clube, instituição fundada em 20 de maio de 1934, clube maior campeão estadual nas categorias masculino e feminino vem a público esclarecer que;

Com relação a diversas reportagens veiculadas na mídia afirmando que o Cuiabá substituirá o Mixto na Timemania:

A diretoria do Tigre das Vargas informa que tais alegações são inverídicas, o Mixto Esporte Clube preenche requisito de ser maior campeão estadual, exigência essa que já existia e manteve-se retirando o limite de ano até 2006, uma vez que o Decreto apenas atualizou dois artigos, sendo o outro a retirada da limitação até o ano de 2007 para os clubes da série A e B, agora ficando Biênio para quem não tem maior número de campeonatos no Estado.

Mixto permanece na Timemania no próximo ano, como cumpridor do critério de maior ganhador de títulos do Estado de Mato Grosso. (Fonte: LEGISWEB)

Segue decreto que versa sobre o tema: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=420822 Novo Decreto presidencial Nº 10811 de 27/09/2021

Pres. Dr. Vinicius Falcão

Vice Pres. Dr. Fause Chauchar

 

Quinta, 02 Setembro 2021 05:00

O interesse dos jovens pelo skate

Nova modalidade olímpica tem chamado a atenção dos jovens. Porém, especialista alerta para os cuidados que a atividade radical exige.

Com o sucesso dos skates nas olimpíadas de 2021, sediadas no Japão, onde os atletas brasileiros conquistaram 12 medalhas distribuídas nas modalidades park e street masculina e feminina, aconteceu uma maior procura pela prática do esporte, com isso, aumentou também o número de lesões ortopédicas nos iniciantes.

O presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, regional Mato Grosso (SBOT-MT), médico ortopedista Dr. Vitor Spalatti explica que, por ser uma atividade radical a prática exige alguns cuidados. “Em primeiro lugar, é preciso buscar um instrutor profissional e garantir um treinamento adequado, para só então se inserir nesse esporte que vem inspirando uma gama de jovens interessados em aprender sobre a nova modalidade olímpica”, ressalta ele.

Como tudo na vida, é necessário sair da zona de conforto para evoluir, mas que seja de forma gradual e nunca se arriscar demais ou tentar algo fora do alcance de suas habilidades, pois isso pode levar a lesões graves. Mais da metade dos ferimentos envolvem abrasões, contusões e fraturas, acometendo o cotovelo, o punho e o antebraço.

As mais comuns são entorses, que podem ser acompanhados de lesões nos ligamentos, principalmente dos joelhos e tornozelos. Já as fraturas acontecem com maior frequência nos punhos e cotovelos.

Para se prevenir de possíveis acidentes, é recomendado o uso dos equipamentos de proteção como capacetes, cotoveleiras, joelheiras, luvas e tênis apropriados, que são extremamente úteis e evitam a maioria das lesões mais sérias, além de dar conforto, estabilidade e um estilo a mais.

“Utilize skates que sejam regulamentados e não deixe de revisar e ajustar as peças com frequência para manter o equipamento seguro. É importante salientar que como qualquer outro esporte, antes de começar, é bom fazer um aquecimento antes e procurar sempre locais adequados para a atividade”, destaca o ortopedista Dr. Vitor Spalatti.

Em caso de dores, quedas ou lesões, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia orienta a busca por um médico ortopedista titular SBOT.

 

Página 1 de 2