Negócios

Negócios (25)

Evento online tem a duração de cinco dias.

 A partir de hoje (5) universitários de todo o país têm a oportunidade de encontrar empresas que procuram estagiários e profissionais. É a Feira de Recrutamento e Carreira, que há 20 anos ajuda estudantes a se preparem para o mercado de trabalho. Assim como no ano passado, o evento será online, gratuito e aberto. A feira vai até o dia 9 de abril, das 12 às 20 horas.

O evento é organizado por estudantes da FEA Júnior, empresa júnior da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo, em São Paulo. A ideia é que o evento ajude quem está buscando se desenvolver e aprender, a procurar estágio, e a entender como funcionam os processos seletivos de emprego, a rotina das empresas e como montar um currículo.

"Este ano estamos mantendo a feira online, respeitando a pandemia e o isolamento social. Em relação ao último ano, a novidade é que agora temos influencers entre as palestras, que podem tirar dúvidas sobre processos seletivos, mercado de trabalho e tudo que os participantes precisarem. Também temos intérpretes de libras e os "momentos empresas", que são atividades do tipo stands, onde os estudantes poderão conversar diretamente com as empresas.

Ano passado foi um teste, este ano aperfeiçoamos tudo que deu certo, aprendemos com os erros e criamos um evento bem maior, com o triplo de empresas e quase o dobro de duração!", disse a gerente da feira Jade Brandão Villar Lemes.

Para participar, é preciso se inscrever na página da Feira de Recrutamento e Carreira, onde também tem a programação completa. Ao longo dos cinco dias, o estudante vai participar de palestras e workshops diretamente com representantes de empresas nacionais e multinacionais. No perfil da FEA Júnior no Instagram é possível acompanhar as novidades sobre o evento.

Entre as empresas já confirmadas estão a empresa de bebidas Ambev, as multinacionais americanas Mars e P&G, a plataforma de dados Bloomberg, a escola de negócios BTC, a fintech de meios de pagamentos Stone, o banco Itaú, o banco de investimento BR Partners, a consultoria de inteligência e marketing DP6, a Companhia de Estágios PPM Human Resources, a plataforma de investimentos Empiricus Research, a fintech Vitreo, a empresa brasileira Consan (açúcar, álcool, energia, lubrificantes e logística), a empresa Aperam (aços e ligas de níquel), a multinacional de consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing Accenture, a empresa de pneus Pirelli, a empresa de mercado de habitat Saint-Gobain, a consultora de gestão global Bain&Company, a empresa brasileira de software Totvs, a empresa de revestimentos e tintas holandesa Azko Nobel, a Organização da sociedade civil de interesse público Ensina Brasil, a plataforma de soluções integradas Accountfy.

 

Técnicas de upcycling e customização.

O reaproveitamento de materiais é tema da iniciativa que levará dicas, aprendizados e reflexões sobre a importância de práticas sustentáveis na moda. Aprovado em edital da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), o projeto Upcycling Customização: Aliadas da Sustentabilidade’ prepara uma série de oficinas e apresenta, nesta sexta-feira (19.03), a palestra Moda & Sustentabilidade: um encontro inevitável.

Na palestra, que será transmitida às 19h30 por meio de plataforma virtual, o publicitário Rodrigo Nunes Matos vai expor reflexões sobre o conceito de sustentabilidade e moda que acompanham as mudanças na forma de pensar, criar e produzir os produtos.

"O que o mundo está nos dizendo? Repensar o conceito de sustentabilidade tem se tornado cada vez maior nos últimos anos e em especial no momento único que a humanidade está passando. Falar de moda aliada à sustentabilidade se torna inevitável no dia a dia", explica o palestrante.

Para participar da palestra, não há necessidade de inscrição prévia, basta acessar o link na data e horário agendados. Apesar de ter como público principal os empreendedores, profissionais dos setores de moda e artesanato, a palestra é aberta a todos os interessados.

O projeto

‘Upcycling Customização: Aliadas da Sustentabilidade’ foi selecionado na categoria criações funcionais do edital MT Criativo promovido pela Secel com recursos federais da Lei Aldir Blanc.

O projeto tem o objetivo de apresentar técnicas de upcycling e customização para dar novas perspectivas a materiais e resíduos têxteis que seriam inutilizados e em peças de roupas que seriam descartadas precocemente. Para isso, está em execução a gravação de cinco módulos de uma oficina que será transmitida no YouTube a partir de abril. 

Abertos para acesso do público, os workshops mostrarão métodos de como criar e customizar acessórios e peças do vestuário.  Com o reaproveitamento de itens antigos, como resíduos têxteis e roupas em desuso, o upcycling vai além do reciclar pois recria de maneira inovadora, agregando um novo conceito ao produto com criatividade.

As oficinas serão ministras pela tecnóloga em confecção têxtil, Verena Fazolo, que também é gestora de produção do projeto, e pela designer de moda Jane Kliztke. Ainda é prevista a criação de um book digital que vai mostrar os processos para o desenvolvimento das peças e o resultado final.

“Os participantes irão aprender a criar ecobag, bolsas, peças do vestuário utilizando resíduos têxtil, como retalhos e peças inutilizadas. Peças que por vezes estavam esquecidas, que seriam descartadas precocemente, por ter um furinho, ter manchado, por não servir ou por não gostar mais, passarão por um redesign, remodelagem, ganhando vida nova com muita criatividade”, detalha Verena.

Serviço

Palestra Moda & Sustentabilidade: um encontro inevitável

Data: sexta-feira (19.03), às 19h30

Transmissão online: link meet.google.com/cyv-nuyy-znm

 

 

Segunda, 01 Fevereiro 2021 05:00

Programa MT Produtivo fortalece apicultura

Escrito por

As primeiras 100 caixas, montadas com madeira apreendida pela Sema e construídas por reeducandos, foram entregues para apicultores de quatro cidades de Mato Grosso

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), iniciou projeto para incentivar a ampliação da atividade apícola no Estado. O Programa MT Produtivo-Apicultura prevê disponibilizar 6 mil caixas de mel a agricultores familiares e indígenas de todas as regiões do Estado em 2021.

A expectativa é de que Mato Grosso salte das atuais 471 toneladas de mel/ano para 651 t/a. O que representaria um aumento de quase 40% na produção melífera, uma vez que cada caixa deverá produzir anualmente uma média de 30 quilos de mel. O Estado ocupa atualmente o 14º lugar na produção nacional de mel.

Em uma primeira etapa, 1,5 mil caixas serão entregues aos apicultores. Neste mês de janeiro, 100 caixas de mel já foram distribuídas para produtores dos municípios de Santo Antônio do Leverger, Poconé, Barão de Melgaço e Confresa. As caixas foram montadas com madeira apreendida em fiscalizações realizadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e construídas pelos reeducandos da Fundação Nova Chance.

“Nesse último município inclusive haverá a participação da comunidade indígena no nosso trabalho de fortalecimento da apicultura, e também iremos agregar nossa ação com indígenas da região do Xingu e comunidades quilombolas”, explica o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Silvano Amaral.

Ele acrescenta ainda que os beneficiados com as caixas de mel já atuam na atividade apícola, porém com baixa produção ou para consumo próprio.

O apicultor Adauto Guimarães Pimenta, que possui caixas de colmeia na região pantaneira, foi um dos que receberam caixas de colmeia e avalia a ação como um apoio necessário pelo momento difícil que ele e outros da região estão enfrentando.

“Essas caixas me ajudarão a recuperar os enxames perdidos. Estou ansioso para a chegada da próxima florada e torcendo para que a vegetação pantaneira se recupere o quanto antes”, diz o apicultor, que viu reduzir 70% da sua produção no ano passado.

Os investimentos na apicultura fazem parte do programa Mais MT, que nos próximos anos destina R$ 185 milhões somente para as ações do programa MT Produtivo, para aquisição de equipamentos e maquinários, implantação da assistência técnica on-line, apoio às cadeias produtivas e ampliação dos canais comerciais. No total, o Mais MT investirá R$ 265 milhões em agricultura familiar e regularização fundiária em 4 anos.

Segundo o superintendente de Agricultura Familiar da Seaf, George Lima, todas as regiões do Estado serão contempladas e o critério de escolha para o repasse das caixas priorizará povos indígenas, comunidades tradicionais, assentados, com aptidão, capacidade de investimento para a atividade melífera, ligados a entidades ligados a agricultura familiar e que estejam em áreas propícias para a atividade.

“A nossa exigência é de que eles se comprometam em aceitar as orientações técnicas que serão repassadas para melhor resultado da coleta do mel”, comenta George Lima.

Ele explica ainda que esses investimentos irão não somente aumentar a renda dos produtores familiares, mas também ajudar no equilíbrio e sustentabilidade do meio ambiente.

"A produção de mel exige a manutenção das florestas em pé e a conservação dos recursos hídricos, pois as abelhas necessitam das floradas e de água, o que no final essa atividade promove uma inclusão econômica sustentável”, acrescenta George Lima.

 

 

O Parque Tecnológico Mato Grosso, que é gerido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), foi citado pela pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), como como um forte apoiador das Startups no Estado.

A Abstartups realiza este levantamento anual e elabora um diagnóstico da realidade de cada região. Em 2020, o Parque foi citado como importante elo de conexão e interlocução no ecossistema de inovação e tecnologia do Estado, dando suporte aos empreendedores e comunidades mato-grossenses.

A superintendente de Desenvolvimento Científico Tecnológico e de Inovação da Seciteci, Lectícia Figueiredo, explica que dentro dos seis aspectos pontuados no diagnóstico estão: densidade, cultura, talento, acesso à mercado, acesso à capital e ambiente regulatório.

“O Parque foi citado no pilar de densidade que se refere à estrutura de suporte, estrutura de formação e grupos de conhecimento, portanto o destaque do Parque é para este apoio ofertado às empresas inovadoras. Isso reforça que todas as adequações e investimentos que estamos fazendo realmente agrega estas startups num ambiente propício para inovação e de empreendedorismo” falou.

Participaram do diagnóstico 38 cidades de 21 Estados do Brasil. Ao todo 27 ambientes de inovação foram citados: 06 ambientes de Minas Gerais, 04 de Santa Catarina, 03 de São Paulo e 02 de cada um dos demais estados: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Os dois ambientes diagnosticados em Mato Grosso, foram Cuiabá e Sinop com taxa de adoção de 60% e 61% respectivamente, o que coloca o Estado dentro da média dos demais ambientes no Brasil, sendo que Sinop se destaca por estar acima da média.

Esta análise da comunidade e ambiente inovador é uma ferramenta para a atuação das lideranças e de todos os envolvidos com a comunidade que poderão ter uma visão documentada do momento atual e uma auto reflexão de como os agentes se avaliam e percebem a atuação dos seis pilares da sua própria comunidade.

Rogério Nunes, coordenador do Parque Tecnológico, ressalta que este reconhecimento mostra a importância do Parque para o desenvolvimento de empresas com bases tecnológicas, como as Startups.

“Este diagnóstico que vem de um associação nacional, mostra que estamos no caminho certo e que as nossas ações estão surtindo efeito, no intuito de promover o amadurecimento destes empreendedores”, falou.

Com base neste diagnóstico serão realizadas ações com vistas a promover a evolução do ambiente de Cuiabá em cada um dos pilares apresentados.

 

 

Mais de 60% dos pequenos empresários pretendem investir em 2021.

Pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que 63% dos donos de micro e pequenas empresas pretendem investir no próprio negócio em 2021. As entrevistas foram realizadas entre os dias 20 e 24 de novembro, com 6.138 donos de pequenos negócios de todos os estados e do Distrito Federal.   

Segundo o levantamento, os empresários têm intenção de aplicar recursos, principalmente, em divulgação, modernização de produtos e processos, ampliação da oferta de produtos, serviços, atendimento e capacidade produtiva.

Apesar de a maioria dos micro e pequenos empresários pretenderem aplicar recursos no negócio em 2021, 27% deles afirmaram não ter condições de fazer investimentos em 2021, e 10% disseram que tem intenção de guardar dinheiro para uma emergência. 

“A pandemia trouxe o censo da necessidade da precaução para a rotina dos empresários, uma postura que passa a fazer parte do dia a dia dessas empresas. Acreditamos que esta foi uma lição que veio para ficar”, destacou o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Queda de faturamento

A pesquisa do Sebrae mostrou ainda que, em novembro, houve uma quebra no ritmo de recuperação do faturamento das micro e pequenas empresas. Pela primeira vez, depois de seis meses de  diminuição da queda de faturamento, a baixa no faturamento médio registrou nova aceleração (passou de uma queda de 36% em setembro, em relação ao mesmo mês de 2019, para uma baixa de 39% em novembro). 

Segundo o levantamento, houve ainda um crescimento da proporção de empresários que disseram estar com muitas dificuldades para manter o negócio em operação (de 43%, em setembro, para 47%, em novembro). 

Inovações e pandemia

A pesquisa do Sebrae confirmou também o comportamento dos empresários em implementar inovações em seus negócios como forma de superar os problemas gerados pela pandemia de covid-19. Segundo o levantamento, entre setembro e novembro, cresceu de 39% para 43% a proporção de empresas que passaram a oferecer novos produtos ou serviços em razão da pandemia. 

O estudo apontou também o aumento, nesse período, de 67% para 70%, de empresas que vendem utilizando a internet. De acordo com os entrevistados, o WhatsApp é a plataforma mais utilizada (84%), seguida pelo Instagram (54%) e Facebook (51%). O uso de sites de e-commerce próprios cresceu de 18% para 23%, entre junho e novembro.

 

Alerta o best-seller Marcos Piangers ao falar sobre o futuro do trabalho e o trabalho do futuro, no evento on-line promovido pela Faculdade de Tecnologia Senai Mato Grosso (Senai MT). De acordo com ele, adaptabilidade, liderança, criatividade e resoluções de problemas são habilidades essenciais para garantir espaço no mercado de trabalho que será, cada vez mais, composto por tecnologia e inteligência artificial.

Em consonância com Piangers, o doutor em educação Guto Niche afirmou que “em tempo de revolução tecnológica e digital, o protagonismo humano volta a ser foco”. ‘O futuro das profissões’ foi organizado pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL MT) e debateu questões essenciais para liderar o mercado do futuro.

‘Como você se posiciona frente a diversas mudanças tecnológicas? A Fatec é a única faculdade em Mato Grosso que trabalha as tecnologias nas mais diversas formas. Possuímos diversos cursos, desde Big Data e Internet das Coisas, e podemos oferecer um reposicionar profissional’, disse a diretora geral da Fatec Senai MT, Lélia Brun.

Para o presidente do Sistema Fiemt, Gustavo de Oliveira o futuro requer domínio técnico e a habilidade de se adaptar. “Toda e qualquer atividade precisa de um nível de planejamento e previsibilidade, mas sempre vai precisar de gente capaz de se adaptar aos novos contextos”, enfatizou.

Além dos impactos da revolução tecnológica no mundo do trabalho e nas profissões, o superintendente do IEL MT destacou a mudança no perfil comportamental das pessoas que buscam valores e propósitos que melhorem o mundo.  “Nesse sentido, as instituições que compõem o Sistema Fiemt tem muito para contribuir com empresas e pessoas para que todos tenham um futuro com excelentes resultados financeiros, sociais e ambientais”.

Cases de sucesso

O doutor em educação Guto Niche conduziu a apresentação de cases de sucesso. Participaram a Gerente de Planejamento Estratégico da Mika da Amazônia, Enizeth Teixeira, e o Head of Product Management da Nuvem Tecnologia, Ricardo Torres, e os estudantes Izabel dos Santos e Luan Lima, além do diretor acadêmico da Fatec Senai MT, Rubens de Oliveira.

Quando se pensa em tecnologia, Torres destaca que não há limites para novas profissões: “É uma infinidade de opções, profissões são criadas a todo momento. E temos profissionais que estão se formando e outros que já se formaram na Fatec e são um diferencial para nós”. O estudante de Agrocomputação Luan Lima destacou que cada vez mais produtores utilizam tecnologia no campo.

“Tudo que é tecnologia tem uma lógica por trás, e isso que é interessante no curso, porque assim conseguimos criar soluções e resolver problemas que não conseguiam. A Fatec botou o pé na roça e entendeu o que o profissional precisava ter de conhecimento e habilidades para que pudesse atender as demandas do mercado”, disse Lima.

Para os especialistas, o mercado do trabalho do futuro será feito de empatia e tecnologia. “O Futuro que eu espero é o tecnológico, e a Fatec tem nos preparado para ser o profissional que as indústrias precisam. É importante cuidar de pessoas e Gestão de Recursos Humanos é isso”, finaliza Izabel.

 

 A Rede Comper de Supermercados celebra 48 anos em outubro e vai presentear os clientes com R$ 250 mil em vales-compras, sementes de ipê, além de ofertas diárias. Entre os dias 29 de setembro e 31 de outubro de 2020, a cada 100 reais em compras os clientes receberão um número da sorte e no caso do e-commerce receberão três. Os números deverão ser cadastrados no site da campanha  www.aniversariocomper.com ou no app ‘Aniversário Comper 2020’.

De acordo com Vitor Moreira, gerente nacional de marketing do Comper, os 250 vales-compras de R$ 1.000,00 serão creditados no cartão da rede, que é o Vuon. Para os clientes que não tiverem o cartão será emitido um novo.

 A campanha conta com vários acelerados, um deles é o Cartão Vuon; nesse caso a cada 100 reais em compras, o cliente recebe 3 números da sorte para poder cadastrar e concorrer. Outra aposta para aumentar as chances de ganhar é comprando produtos das marcas participantes, nessa dinâmica a cada 3 produtos participantes de uma marca dentro da compra no valor igual ou superior a 100,00 reais nas lojas ou delivery  do Supermercados Comper, o cliente recebe mais um número da sorte.

 Apostando na inovação e na interatividade, o Comper se utilizará da estratégia de geolocalização por meio da mídia programática (Google, Youtube, Facebook e Instagram), para que uma oferta da promoção chegue no celular das pessoas que transitam próximo aos outdoors do aniversário da rede.

 Sustentabilidade

A Rede Comper ainda distribuirá cem mil sementes de Ipês para os clientes que fizerem suas compras no valor igual ou superior a R$100,00 para deixar nas regiões em que atua um mundo ainda mais verde. À medida que as árvores forem crescendo, as pessoas poderão fazer postagens mencionando o Comper com #mundomaisverdecomper para que o conteúdo seja inserido nas mídias sociais da rede.

 Fundação – O Comper, que integra o Grupo pereira, foi fundado em 1972 no município catarinense de Itajaí. Em 1995 a rede inaugurou a sua primeira loja em Cuiabá/MT. A rede comper gera mais de 2 mil empregos diretos em Mato Grosso em um total de 5 mil postos de trabalhos diretos nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e no Distrito Federal em 28 lojas. O Grupo Pereira, conta com mais de 14 mil funcionários espalhados pelo Brasil em 80 unidades de negócios

 

 

 Limitados pelas restrições impostas pelo isolamento social da pandemia do novo coronavírus, os consumidores brasileiros tiveram que se adaptar, e os comerciantes e empresários que dependem deles também. 

Uma nova pesquisa feita pelo Sebrae, revelada com exclusividade à Agência Brasil, mostra que microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas de 18 estados brasileiros mudaram procedimentos e hábitos já estabelecidos em seus negócios para tentar manter o ritmo econômico durante a pandemia. Segundo o estudo, o foco dos consumidores em relacionamentos online veio para ficar.

Os dados são da pesquisa “Pequenos Negócios e o Enfrentamento da Crise do Coronavírus”, um levantamento qualitativo realizado em duas etapas - entre abril e junho deste ano - em 11 segmentos empresariais, majoritariamente formados por microempresas (54% do total de pesquisados). Os ramos de atuação foram: varejo, alimentação, moda, beleza e turismo.

A pesquisa destaca a digitalização dos negócios, mas também mostra que vários ramos, como o de moda, adotaram uma abordagem “híbrida”, com fortalecimento de experiências presenciais e o intenso uso de canais online em vendas e relacionamento com o mercado.

Empresários do ramo de alimentação afirmaram que ainda estão procurando o modo mais viável de realizar negócios mostrando para os clientes que as medidas sanitárias necessárias para afastar o perigo de contágio do novo coronavírus estão sendo tomadas.

Turismo virtual

Para o turismo, pequenas experiências em roteiros regionais tendem a movimentar a economia. Atividades e pontos turísticos ao ar livre, em grupos reduzidos, são o foco de empresários do setor. Os tours virtuais também se consolidaram, e apresentam boa resposta dos consumidores nas redes sociais. Uma experiência chamada “QuarenTour Colaborativo” leva visitantes a lugares turísticos da cidade do Rio de Janeiro. Os clientes são convidados a colaborar com valores entre R$ 10 e 20 para ajudar nos custos da empresa, que não está funcionando normalmente por causa da pandemia.

“A ideia surgiu como uma forma de manter o relacionamento com nosso cliente e de nos manter no mercado. A participação tem sido boa e as pessoas têm contribuído”, informou Gabriela Palma, sócia da empresa Sou + Carioca, que guia os passeios virtuais.

A empresa também tem realizado lives com a participação de especialistas de diversas áreas e lançou um e-book com sugestões de 50 lugares diferentes para conhecer no Rio de Janeiro com vendas disponíveis por meio de plataforma online. “Estamos preparados para retornar com tranquilidade, assim que possível. Sabemos que o turismo local tem boas expectativas na retomada e como já trabalhamos com isso há cinco anos, temos tudo pronto para atender nosso cliente”, destacou.

 

Com o objetivo de evitar maior aglomeração, o Mercado do Porto ampliou o horário de funcionamento. O atendimento ao público ocorre de terça a sexta-feira, das 05 às 17 horas e aos fins de semana, das 05 às 14 horas. Válido lembrar que, todas as medidas de biossegurança previstas pela Organização Mundial de Saúde, com controle de acesso de pessoas, aferição da temperatura e disponibilização de álcool gel desde a entrada de acesso como em todas as barracas estão sendo tomadas a fim de evitar a proliferação do novo coronavírus.

Nas segundas-feiras, o Mercado do Porto fica fechado para higienização do ambiente e das barracas. O local conta atualmente com 149 permissionários. Por ser considerado atividade que realiza serviços essenciais, está em funcionamento desde o início da adoção de medidas restritivas estabelecidas e sancionadas pelo prefeito Emanuel Pinheiro, no mês de março.

Por conta da retomada das atividades dos setores econômicos, sancionada por meio de decretos pelo prefeito Emanuel Pinheiro, os restaurantes instalados no Mercado também estão em funcionamento, com atendimento presencial e também pelo sistema delivery.

Apesar de uma maior flexibilização, com a retomada de vários segmentos econômicos, o rigor da fiscalização no local também está mantido. Está sendo realizado o controle desde o acesso na entrada principal, sendo permitida a entrada obrigatoriamente com o uso de máscaras. Não só para os funcionários do Mercado como para os clientes e repositores. “Todos os permissionários foram orientados a seguir as formas de prevenção, importância da higienização, lavando as mãos com bastante frequência e se possível fazer uso do álcool gel e deixar disponível para os clientes”, destacou a secretária municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Débora Marques.

Além disso, ressaltou Débora, cada permissionário deverá ter na banca álcool gel para uso particular e também disponível para o consumidor. Sem se esquecer da importância do distanciamento mínimo entre as pessoas e evitar a aglomeração. “Sem falar dos três lavatórios populares que foram instalados no Mercado do Porto. Iniciativa do prefeito Emanuel Pinheiro a fim de facilitar o acesso à higienização das mãos, sendo essa uma das mais importantes formas de prevenção ao novo Covid-19”, observou a secretária.

Se por ventura, algum permissionário descumprir com o acordo que foi firmado, ele irá sofrer uma sanção administrativa, recebendo uma multa ou até a perda da exploração do mercado. “Não é isso que o prefeito Emanuel Pinheiro quer. O que nós queremos é esse trabalho em parceria. Juntos iremos vencer esse momento de crise e o Mercado, local histórico da nossa Capital, vai poder continuar oferecendo um serviço eficiente com produtos de qualidade à toda população cuiabana”, concluiu.

Sexta, 07 Agosto 2020 05:00

“Amor com Açúcar”

Escrito por

É o nome da doceria de Celma Malheiros, em Cuiabá (MT). Criar doces, tortas exige uma estrutura interna perfeita e uma imagem externa que seduz os olhos

“Escolhi esse nome para o meu negócio de doces personalizados por representar nosso sentimento pelo que fazemos”, revela a profissional que transforma doces em verdadeiras obras, esculturas saborosas e inusitadas. A artesã de delícias valoriza as tradições, a cultura e a arte local. O pão de mel na viola de cocho é simplesmente sublime, bem como os bombons homenageando os pescadores e o biscoito em 3 e 4 D.

Há três anos que Celma atua no ramo. “Eu era designer de interiores. Aposentei e resolvi trabalhar  em casa com algo que sempre gostei que é criar peças exclusivas. Gosto de tudo que se refere a arte e a cozinha”, disse. Já a inspiração veio através de confeiteiras nacionais e internacionais.

A ‘Amor com Açúcar’ não trabalha com delivery. “Só fazemos doces personalizados e sob encomenda com horário marcado para exclusividade de nossos clientes. Fazemos bombons, pão de mel, alfajor, brownie, cones trufados, pirulitos, maçã do amor , pittfull, entre outros”, informa a confeiteira.

Nada melhor do que a comida de um povo para expressar suas origens, suas crenças e potências. A Celma Malheiros investe em doces temáticos e exclusivos em seu ateliê. “Trabalhamos com todo tipo de tema para aniversários, batizado, casamento”.

Celma Malheiros não se cansa de estudar, aprender. A magia dos doces a motiva a buscar conhecimento. “Fiz e faço muitos cursos de aperfeiçoamento para trazer o melhor para os meus clientes. Acredito que não basta ser lindo, tem que ser saboroso”, garante a doceira.

Para o Dia dos Pais, há novidade. “Estamos fazendo muitos biscoitos no sabor de especiarias personalizados. Cada um com detalhe exclusivo para cada papai”, conta Celma.

Criar doces, tortas exige uma estrutura interna perfeita e uma imagem externa que seduz os olhos. “Fazer um doce perfeito e cria-los em cada detalhe é uma experiência única para cada doce que sai de nosso ateliê. Os detalhes de um doce e a emoção de ser traduzido conforme o sonho de nossos clientes nos dá muito orgulho do que fazemos, de realizar sonhos”, destacou Celma Malheiros.

Segundo a confeiteira de doces decorados, o trabalho é hercúleo. “Vocês não imaginam o trabalho que dá para fazer cada doce, quantas horas de dedicação, atenção e cansaço. São muitas noites sem dormir e muita delicadeza e detalhes. Mas todo esse esforço se dilui ao ver os olhos brilhando e a satisfação do cliente. Isso paga qualquer sacrifício. Não tem preço escutar ou ver um elogio na hora ou no dia seguinte”, comemora Celma Malheiros.

SERVIÇO

Instagram: amorcomaçucar.celma

Fone: (65) 992075320

Página 1 de 2