Economia

Economia (125)

A proposta é financiar estudos e projetos inovadores de empresas, startups e empreendedores individuais do estado.

O Governo de Mato Grosso por meio da Agência de Fomento – Desenvolve MT firmou no último dia 10, uma parceria com o Instituto Senai de Tecnologia em Mato Grosso.

A agência vai atuar como agente financeiro da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) oportunizando recursos para os atores do ecossistema de inovação do estado, como empresas âncoras, parcerias, startups, empreendedores individuais interessados em financiar os seus negócios e projetos.

O Conecta Finep é uma linha de crédito de adesão imediata para as empresas vinculadas a Tech Hub Senai Mato Grosso, com dispensa de apresentação de projetos o que facilita e agiliza o acesso ao recurso.

De acordo com a coordenadora de Inovação e Tecnologia do Senai Mato Grosso e do IST Tech Hub, Elena Gomes Ferreira a presença da agência é fundamental para fortalecer o processo de inovação dentro do estado. “Trazer recursos aos empreendedores viabilizarem seus projetos e conseguir inovar dentro dos seus processos, é fundamental”.

O atendimento aos empreendedores será feito na sede do Instituto Senai de Tecnologia em Cuiabá, localizado na Av. Getúlio Vargas, nº 426 Centro, que conta com o espaço Tech Hub um ambiente colaborativo que traz um conceito inovador de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

“ A Desenvolve MT está preocupada e atenta em contribuir com o ecossistema inovador do estado, firmando parcerias que agregam, como é o caso do instituto”, explica o presidente da agência Jair Marques.  

 

 

A Secretaria de Fazenda (Sefaz) realiza nesta quinta-feira (10.06), a partir das 8h30, o sorteio mensal do Programa Nota MT. Serão R$ 550 mil distribuídos em mil prêmios de R$ 500 e cinco de R$ 10 mil.

O concurso contemplará consumidores que são cadastrados no Programa Nota MT e que solicitaram o CPF na nota, em documentos fiscais emitidos entre os dias 1º a 31 de maio deste ano.

Este será o primeiro dos dois sorteios desse mês. Dia 24 haverá o sorteio especial de São João que irá distribuir 5 prêmios de R$ 50 mil.

Nessa edição mensal, concorrem 1.849.451 de bilhetes gerados a partir de compras de 292.043 contribuintes, tendo sido registrado um aumento no número de bilhetes equivalente a 11,61% em relação ao sorteio mensal de abril.

Do total geral de bilhetes que concorrem aos prêmios, 7.834 são de bilhetes de passagem eletrônicos (BPEs), que são gerados a partir de compras de passagens de ônibus nas linhas intermunicipais e interestaduais (exceto da Região Metropolitana de Cuiabá), que o consumidor solicita a inclusão do CPF na nota de compra.

O sorteio será realizado na sala de reuniões do Complexo 3 A, da Secretaria de Fazenda, com transmissão ao vivo pelas redes sociais do Governo de Mato Grosso e da Sefaz.

Em 2021 o programa Nota MT vai distribuir ao todo, R$ 7,6 milhões em prêmios distribuídos entre sorteios mensais e especiais. Até o momento 20.009 consumidores já foram contemplados.

Para participar dos sorteios, o consumidor deve fazer o cadastro no site www.nota.mt.gov.br ou pelo aplicativo Nota MT, disponível para Android e IOS e indicar uma instituição cadastrada para receber uma doação, caso o usuário seja sorteado. Também deve solicitar que seu CPF seja informado no Documento Fiscal Eletrônico (NFC-e, NF-e ou BP-e) no momento da aquisição da mercadoria ou bilhete eletrônico de transporte interestadual ou intermunicipal.

 

 

Empresária há dez anos no ramo de entretenimento, em Cuiabá, Roberta Araújo F. Auad, 29 anos, disponibilizava aos clientes serviços gráficos customizados de ingressos, pulseiras, comandas para shows, festas e bares. Sem faturar praticamente nada desde meados de março de 2020, ela viu a necessidade de se reinventar para seguir em frente com o seu negócio.

Em meio às dificuldades, o crédito emergencial concedido pelo Governo de Mato Grosso para quem é Microempreendedor Individual (MEI) foi fundamental para manter a empresa no mercado. “Se a gente não tivesse conseguido o empréstimo, talvez hoje eu não estaria com as portas abertas. Estamos tentando seguir em frente. O dinheiro veio para segurar o custo fixo, até o setor de eventos se recuperar’’, conta Roberta.

No momento, a empresa que chegou a contar com sete funcionários antes da pandemia, agora possui apenas os proprietários tocando o negócio. A expectativa é de que o cenário mude e o estabelecimento possa voltar a atender os clientes em breve.

Proprietária do Desapegando com Classe, brechó de peças premium, localizada em Sinop, no bairro Jardim Maringá, a microempreendedora Lidiane Motta também teve que agir e mudar os planos do seu empreendimento.

“Quando eu pensei que ia ganhar dinheiro para crescer, eu tive que sobreviver. As vendas caíram e eu tive que moldar para não fechar as portas’’, afirma a empresária.

Os desafios trouxeram força e foco para o negócio de Lidiane, que mudou a loja de local, investiu em ferramentas digitais que possibilitaram estreitar o relacionamento com clientes, e com isso conseguiu manter as vendas pelas redes sociais mesmo com a pandemia.

A empresária conta, ainda, que a proposta do Governo de Mato Grosso em liberar o crédito emergencial para os empreendedores foi a tranquilidade que ela estava procurando naquele momento para organizar ainda mais o seu negócio.

“A linha de crédito de capital de giro da Desenvolve MT me trouxe paz em um momento difícil. Eu não ia conseguir me organizar e focar no meu negócio, pensando no aluguel que tinha que pagar no mês. Com o crédito eu consigo respirar e planejar melhor as minhas ações”, explica. 

O brechó de roupas é um mercado que vem se destacando há alguns anos no Brasil. A crise econômica, e o apelo sustentável vêm impulsionando os consumidores adquirirem roupas e acessórios neste formato.

O Desapegando com Classe trabalha com roupas de grife com um preço acessível. As lojas de Sinop procuram a empresária na troca de coleção, para não ficarem com as mercadorias paradas. “É um bom negócio para todos e com esse formato eu consigo fomentar o comércio’’.

Wellington Ricelli, sócio proprietário da hamburgueria temática Poltrona Nerd, em Cuiabá, no bairro Jardim das Américas, também é um dos microempreendedores beneficiados.

A empresa completa três anos em agosto deste ano, e há um ano e meio teve que fechar as portas ao público e abrir espaço para o serviço de delivery.

O empresário conta que devido à forte presença da hamburgueria no meio digital, eles conseguiram ter uma atuação de vendas positiva desde o começo da pandemia.

“Recorremos ao recurso da Desenvolve MT para nos ajudar na retomada da economia. O crédito vem para nos dar folego e estruturar a empresa para abrir as portas novamente e atender ao público”, comenta Wellington.

Os empresários reabriram as portas ao público no último dia 04 cumprindo protocolos de biossegurança.

Ele conta ainda que a pandemia trouxe uma maior aproximação entre ele e o sócio, na tentativa de fazer o negócio dar certo. “Fomos para a cozinha, aprendemos a fazer os lanches e com isso conhecemos melhor as necessidades da empresa’’.

Novos hábitos

Para o consultor do Sebrae Mato Grosso, Fábio Apolinário, a pandemia forçou as empresas a adotarem novos hábitos e novos modelos de negócios, e a gestão deve ser repensada daqui para a frente.

“O empresário tem uma nova realidade que ele precisa encarar. O delivery e a presença digital não têm mais volta. O consumidor já se acostumou com esse ambiente com a nova forma de negócio e de comprar", explica o consultor. 

Ele diz ainda, que o empresário precisa fazer a gestão do seu negócio e aproveitar que o consumidor acabou sendo obrigado a experimentar e sempre tentar gerar novidades. Reduzir estoque, fazer liquidação, reduzir custo, postergar endividamento e acima de tudo pensar em reserva de caixa para enfrentar as situações inesperadas.

 Crédito Emergencial

O crédito emergencial foi anunciado pelo Governo para dar o apoio às micro e pequenas empresas de Mato Grosso durante a pandemia.

Duas linhas de crédito foram disponibilizadas para o Microempreendedor Individual (MEI), no valor de até R$ 10 mil, com juros zero para pagamento das parcelas em dia.

Para o micro e pequeno empresário do ramo de bares, restaurantes e eventos, o valor de empréstimo de até R$ 50 mil, com seis meses de carência para começar a pagar e bônus de adimplência.

De abril a 29 de maio de 2021, a Desenvolve MT já analisou mais de 7 mil empresas que solicitaram o crédito via portal. Aos empreendedores do estado já foram liberados até o momento R$ 3,5 milhões, e R$ 9.924.350,00 estão em processo de liberação.

Para saber mais informações sobre as linhas de crédito e demais dúvidas, acesse o site http://www.desenvolve.mt.gov.br ou ligue para a central de atendimento (65) 3613-7900.

 

 Depois de dois adiamentos, o Banco Central (BC) confirmou que, a partir desta segunda-feira (7), começará a funcionar o registro centralizado das receitas de lojistas com as vendas realizadas por cartão.

Segundo a instituição financeira, a medida deve beneficiar principalmente micro e pequenas empresas, que poderão ter acesso a créditos com juros mais baixos ao oferecerem parte do que têm a receber aos bancos.

Em nota, o BC informou que a medida aumentará a concorrência entre as instituições financeiras, permitindo a redução do spread bancário – diferença entre as taxas pagas pelas instituições para captarem recursos e as taxas cobradas dos clientes.

O comerciante poderá dividir as agendas de recebíveis, em lotes de dezenas ou centenas de transações, e negociar com várias instituições financeiras ao mesmo tempo, até conseguir o melhor empréstimo.

Os recebíveis valem tanto para as vendas com cartão de crédito e de débito. Como as empresas credenciadoras vão registrar essas transações, os comerciantes poderão conseguir empréstimos ao oferecer os recebíveis para cobrir eventuais inadimplências ou até revender as receitas que têm direito a receber nas vendas com maquininhas.

Atualmente, existem três empresas autorizadas a atuar como credenciadoras de recebíveis no país: CIP, Cerc e Tag. As companhias, no entanto, alegaram dificuldades na montagem dos sistemas e pediram ao Banco Central os adiamentos da entrada em vigor do registro.

Inicialmente prevista para 3 de novembro do ano passado, a data havia passado para 17 de fevereiro e foi novamente adiada para 7 de junho, data confirmada pelo BC.

Por causa do segundo adiamento, o BC multou uma das companhias em R$ 30 milhões e obrigou a empresa a assinar um termo de compromisso em que prometia resolver as dificuldades tecnológicas até o início de junho.

A autarquia estima que os recebíveis de cartões têm potencial para movimentar até R$ 1,8 trilhão por ano, dos quais R$ 1 trilhão correspondem às transações com cartões de crédito e R$ 800 bilhões ao fluxo com cartão de débito.

O novo sistema também deve aumentar a segurança para as instituições financeiras. Atualmente, um mesmo recebível pode ser dado como garantia para mais de um banco. Com o registro centralizado, isso não será mais possível.

Programa já repassou R$ 568 mil às Apaes em todo Mato Grosso.

Desde o primeiro sorteio, agosto de 2019, o Programa Nota MT já repassou R$ 2.618.300,00 para 191 instituições nele cadastradas, o equivalente a 20% das premiações aos sorteados. Desse total, R$ 568.700,00 já foram repassados à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de 45 municípios mato-grossenses.

Ao todo, existem em funcionamento no Estado 67 Apaes filiadas à Federação Nacional da APAE. Restam ainda para repassar R$ 27.800,00 relativos às indicações dos sorteados neste mês de maio, que serão depositados na primeira quinzena de junho.

“Nos deixa muito satisfeitos perceber que o Nota MT está cumprindo sua função social, apoiando instituições que atendem diferentes segmentos, em todas as regiões do Estado. É importante que os cidadãos continuem pedindo o CPF na Nota, se cadastrem no programa e as instituições façam o mesmo para virem a ser beneficiadas, como é o caso das Apaes”, afirma o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

A APAE de Cuiabá é quarta colocada em recebimento de recursos entre as 191 instituições cadastradas junto à Secretaria de Trabalho, Assistência social e Cidadania (Setasc). Até agora a entidade já recebeu do Programa Nota MT, o valor de R$ 83.100,00. Segundo a coordenadora pedagógica da instituição na Capital, Eliete Jandres de Morais, diante um cenário de pandemia sem precedentes na história da instituição, que completa 53 anos no mês de outubro, com a diminuição de doações físicas que completavam as despesas da instituição, o Nota MT veio colaborar com o pagamento de despesas diversas.  

“Com os recursos do Nota MT conseguimos pagar o gás, alimentos, compra de materiais de expediente e pedagógicos. Mesmo diante de tantos desafios em meio a pandemia do novo corona vírus a APAE Cuiabá não deixou de atender as famílias e os filhos destas famílias, e o Nota MT está sendo um parceiro substancial para nossa instituição”, destaca Eliete Jandres de Moraes.

Com a dificuldade de captar recursos na pandemia, os recursos do Nota MT ajudam as Apaes a exercerem sua função social. A maior parte aplica os repasses na manutenção das despesas diárias.  A APAE de Barra do Garças foi indicada a receber R$ 34.100,00. A presidente da entidade Diana Milhomem, conta que os repasses foram de grande importância, pois devido a pandemia ficam impossibilitados de fazer os eventos, e com isto conseguem cumprir com os compromissos, desde luz, telefone e manutenção dos automóveis.

“Além de tudo, conseguimos efetuar parte do pagamento de funcionários e também compramos itens de alimentação para complementar cestas básicas que foram doadas para as famílias de nossos alunos. Agradecemos em nome de todos os nossos assistidos e seus familiares o Programa Nota MT e as pessoas que indicaram a APAE”, ressalta Diana Milhomem.

Outra unidade que os recursos do Nota MT ajudaram muito foi a de Tangará da Serra. Entre outras coisas, dos R$ 71.300 recebidos, parte deles foi utilizado para climatização das salas, com a aquisição de 17 aparelhos de ar condicionado.

E os exemplos vem também de vários outros municípios. A APAE de Guarantã do Norte foi uma das primeiras instituições a entrar no Programa Nota MT. Logo após o lançamento do Nota MT, as voluntárias fizeram uma ampla divulgação na cidade, convidando a população para se cadastrar e indicar a APAE como entidade beneficiada.

Com isso, numa cidade com cerca de 30 mil habitantes, a APAE de Guarantã já recebeu R$31.100,00. Com o dinheiro recebido a instituição construiu um banheiro adaptado para crianças de zero a 13 anos, ampliou a área do almoxarifado, comprou equipamentos, reformou um dos veículos, e restaurou e pintou as mesas e cadeiras usadas pelas crianças em suas atividades. Atualmente, com parte dos recursos, está sendo construída uma piscina para auxiliar nos exercícios com os alunos.

“O programa Nota MT foi de suma importância para a APAE de Guarantã do Norte, pela relevância dos valores recebidos, para desenvolver nosso trabalho. Estamos passando por um período difícil com a pandemia do coronavírus, e esses valores deram um fôlego para a instituição continuar com os atendimentos de nossas crianças especiais”, destaca Roseli Cavalett Sala, diretora da APAE no município.

Já a APAE de Carlinda, município do extremo Norte mato-grossense, com um pouco mais de 11.000 habitantes, usou para custeio em geral. Os recursos também tiveram relevância para a manutenção e desenvolvimento de outras ações. Em Pedra Preta, na região de Rondonópolis, o dinheiro recebido foi utilizado na compra de materiais pedagógicos e a de Pontes e Lacerda, no Oeste do Estado, utilizou na compra de materiais de construção para melhoria da infraestrutura da escola. Em Alta Floresta os recursos foram utilizados para despesas gerais, consumo e manutenção, assim como de Terra Nova e Brasnorte.

Cadastramento das entidades

Para participar do Programa Nota MT, as entidades sociais têm que se cadastrar junto à Setasc. Mais informações sobre o cadastramento acessar nos sites da Sefaz ou da Setasc.

 

 

 

Sábado, 29 Mai 2021 05:00

Nota MT sorteia R$ 800 mil em prêmios

Escrito por

Compras até 31 de maio concorrem aos dois próximos sorteios no mês de junho; serão realizados os sorteios mensal Maio e especial de São João.

Os consumidores cadastrados no Nota MT têm até o dia 31 de maio para realizar compras com o CPF na nota e concorrer aos sorteios que serão realizados durante o mês de junho, que vão distribuir R$ 800 mil em prêmios. No dia 10 de junho acontece o sorteio mensal de maio, com premiações de R$ 500 e R$ 10 mil, e no dia 24 de junho será realizado o sorteio Especial de São João, com cinco prêmios de R$ 50 mil.

Para cada compra realizada pelos participantes e devidamente associadas ao CPF cadastrado no Nota MT serão gerados dois bilhetes eletrônicos, um para a premiação mensal e outro para o sorteio especial. É importante lembrar que só concorrem aos valores as pessoas devidamente cadastradas no Programa Nota MT.

De acordo com a Secretaria de Fazenda (Sefaz), órgão responsável pelo Programa Nota MT, os documentos fiscais aceitos são as notas fiscais (NF-e e NFC-e) e os bilhetes de passagem eletrônicos (BP-e), utilizado no transporte interestadual e intermunicipal de passageiros. Além de ser necessário incluir o CPF, existe uma limitação de dois documentos emitidos por dia, em estabelecimentos diferentes.

O sorteio mensal de maio, que acontece no dia 10 de junho, terá como referência os bilhetes gerados a partir das compras realizadas entre os dias 01 e 31 do referido mês.  Já no dia 24 de junho serão sorteados os prêmios especiais de R$ 50 mil, para os quais estarão concorrendo os documentos fiscais emitidos no período de 01 de março a 31 de maio. Conforme as regras já estabelecidas, os sorteios especiais contemplam os documentos acumulados ao longo de três meses, aumentando as chances dos participantes.

Os sorteios são realizados a partir do resultado da Loteria Federal, de onde é extraído o número que define os bilhetes ganhadores da campanha. Quem ainda não está cadastrado no Nota MT, se inscrever pelo site ou aplicativo para celular, realizar compras com a inclusão do CPF até o final de maio e participar dos próximos sorteios.

Solidariedade

Além de concorrer aos sorteios de prêmios em dinheiro, os consumidores cadastrados no Nota MT ainda ajudam a entidade social de sua preferência, que recebe o valor referente a 20% da premiação. 

As instituições e/ou associações interessadas em fazer parte do banco de dados, ou atualizar informações, devem mandar um e-mail para o endereço: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo./ colocar no título “Atualização Cadastral – Nome da entidade” ou acessar a página virtual da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

 

 

Sábado, 29 Mai 2021 05:00

A conexão entre agência e empresário

Escrito por

Desenvolve MT capacita agentes para ampliar oferta de crédito no interior de Mato Grosso.

Dezessete colaboradores de prefeituras do interior do Estado e entidades do comércio (Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso e Associação Comercia de Cuiabá), participaram do treinamento on-line realizado no último dia 27, promovido pela Agência de Fomento de Mato Grosso – Desenvolve MT. A parceria é fruto do termo de cooperação entre prefeituras, entidades e a Desenvolve MT.

O treinamento faz parte da estratégia de expansão da rede de agentes de crédito e correspondentes para levar as linhas de crédito aos empresários de Mato Grosso com atendimento presencial em todo o Estado.

Em 2020, os municípios do interior atingiram um índice alto de recursos repassados aos empreendedores. Mais de R$ 6milhões em crédito foram concedidos, com destaque para Rondonópolis, Barra do Garças, Lucas do Rio Verde, Sinop, Querência, Tangará da Serra, Cáceres, Poconé, Alta Floresta, Nova Mutum, Juara, São José do Quatro Marcos entre outros.  

Durante a capacitação, o presidente da Desenvolve MT, Jair Marques, destacou a importância do trabalho do agente de crédito no seu município. “O trabalho do agente é fundamental para fazer a conexão entre a agência e o empresário, possibilitando fomentar a economia local gerando emprego e renda na região’’, comenta.

Os agentes de crédito e correspondentes capacitados são parceiros da Desenvolve MT que irão atuar nas respectivas entidades, na oferta de crédito e apoio aos associados e empresas que atuam nos segmentos representados da indústria, do comércio, setor de serviços.

O treinamento foi ministrado pela agente de fomento, Mary Milena Taki, com duração de duas horas por meio de uma plataforma de ensino on-line. Durante a aula, os participantes conheceram as linhas de crédito bem como o todo o processo de preenchimento de cadastro e documentos.

Conheceram também o sistema da plataforma online, local onde é solicitado o crédito e inserido os documentos do empreendedor para análise.

A plataforma online é um produto que foi desenvolvido para trazer agilidade no processo de contratação do crédito, permitindo que todos os municípios de Mato Grosso possam ter acesso sem precisa se deslocar.

Cada correspondente é treinando para dar suporte em todo o processo de solicitação de crédito facilitando assim o encaminhamento das propostas de crédito para a Desenvolve MT.

Como é o caso da agente de crédito em Marcelândia, Viviane Perin Cavalcante, ela já está fazendo atendimento aos empreendedores da sua região. “Já atendi mais de 15 empreendedores, a grande maioria é microempreendedor individual, que procura o crédito para capital de giro, alguns empreendedores já estão na fase final do processo, comenta.

Esse é o terceiro treinamento realizado desde o ano passado, ao todo já foram capacitados 54 correspondentes entre federações, associações e prefeituras.

 

 

A vereadora Michelly Alencar (DEM) defende a criação de um pacote de medidas econômicas para ajudar os setores de eventos, turismo e hoteleiro de Cuiabá. Na sessão ordinária do último dia 6 a parlamentar convidou dois representantes destes segmentos que falaram sobre os impactos da pandemia nestas categorias.

Entre as pautas reivindicadas à Prefeitura está a isenção do IPTU e Alvará de Funcionamento para essas empresas. A prefeitura prorrogou e parcelou essa cobrança. No entanto, eles precisam de isenção, pois não terão condições de pagar esses impostos.

Conforme o presidente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes de Mato Grosso, Luis Carlos Nigro, Mato Grosso já perdeu cerca de 30 mil postos de trabalho em toda a cadeia produtiva ligada ao segmento de turismo, eventos, hotéis, bares e restaurantes.

Michelly pediu sensibilidade da Prefeitura neste momento de crise e solicitou de forma imediata a isenção desses dois impostos. “É um momento de união de forças. Hotéis e restaurantes estão fechando as portas. Precisamos de um pacote de medidas para apoiar essas pessoas que fazem um trabalho importante para a cidade, geram emprego e movem a economia”, disse a vereadora.

De acordo com Nigro, o próximo ano será fundamental para o reerguimento do setor e que o Poder Público precisa auxiliar na promoção de eventos. Ele informou que está sendo criada uma associação de turismo da baixada cuiabana com o objetivo de promover e captar eventos para a cidade. “Nossa cidade tem um histórico de realizar grandes eventos e congressos. Temos que fomentar isso novamente, pois promove toda a cadeia produtiva. Isso traz uma exposição muito positiva para Cuiabá, que é a porta de entrada para todo o turismo do Estado”, explicou.

Presidente do Sindicato das empresas de Eventos e Afins de Mato Grosso (Sindieventos), Alcimar Moretti, afirmou que o setor de eventos foi o primeiro a parar com a pandemia e será o último a retomar suas atividades. Para ela, é fundamental políticas públicas para o setor que gera emprego e movimenta a economia. Como medida imediata, ela pede a isenção do pagamento de IPTU e Alvará.

Também foi solicitado isenção de ISS para o segmento hospedagens, alimentação e setor de ventos isenção da taxa de publicidade pelo prazo de dois anos e redução para 50% pelo período de cinco anos prorrogação da validade do alvará sanitário e redução do valor cobrado e doação de cestas básicas para guias de turismo, garçons, cozinheiros e pessoal da área de eventos.

 

Com a suspensão de atendimentos presenciais, devido à covid-19, alunos usam as redes sociais para sanar as principais dúvidas dos contribuintes.

 Acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da Universidade de Cuiabá (Unic), passam a dar dicas importantes sobre a declaração do Imposto de Renda de forma online. A iniciativa surgiu depois que as atividades de atendimento à comunidade foram suspensas devido à pandemia da Covid-19. O objetivo principal é produzir conteúdo até o final do prazo de entrega da declaração (31 de maio), sanando as dúvidas mais frequentes do contribuinte. Todo o material é divulgado nas redes sociais da universidade.

 O professor e coordenador do curso, Eden Aristoflavy Maranhão Praeiro, conta que o ‘Projeto Imposto de Renda’ é coordenado pela professora Fernanda da Silva Rodrigues, executado pelos alunos o 7° e 8° semestres e possui a supervisão dos professores. “A ideia não é apenas avisar a população sobre o prazo. Trata-se de uma contribuição com informações relevantes, explicando dúvidas que são pontuais e que eram sanadas dentro de laboratório”. Nos vídeos, os acadêmicos explicam as despesas que devem ser deduzidas; a idade mínima dos dependentes; qual a faixa mínima para declarar; e outros assuntos, que normalmente confundem o cidadão no ato de preencher e enviar os arquivos.

 Ele conta que os estudantes realizavam atendimentos, tiravam dúvidas, orientavam a população e davam suporte para que a comunidade realizasse a própria declaração, de forma presencial. Para ter acesso ao serviço, o interessado deveria apenas realizar a doação de 1kg de alimento não perecível, que seria destinado à instituição carente. O coordenador do projeto credita que manter a ação online é uma forma de fornecer o atendimento, ainda que não exista o contato próximo. “Não podemos atuar presencialmente, por segurança. Então essa é a forma de amparar a comunidade, levando conhecimento e garantindo a saúde de todos”, completa.

Diversas famílias tiveram suas vidas impactadas pelas ações do LabCom A Lente. Laboratório de comunicação e cultura promove inclusão digital e fomenta economia local.

Há dois meses, a cartela de clientes cresceu consideravelmente depois que a Horta Santa Edwiges despontou na internet. Foi Diomara Gabrielle, filha de uma das 18 famílias de agricultores que fez com que o negócio entrasse no radar de potenciais consumidores, atraídos pelo conteúdo disponibilizado por ela nas redes sociais.

Aluna do Laboratório de Comunicação e Cultura (LabCom) A Lente, Diomara descobriu um novo mundo de possibilidades e aplicou o aprendizado em favor da comunidade. As vendas de hortaliças e verduras oriundas da agricultura familiar tiveram um salto. 

“Foi uma forma que encontrei de retribuir. Minha família está lá desde seu surgimento, há 30 anos. Agora, estamos recebendo novos clientes. Muita gente chega lá porque nos encontrou na internet”.

Ela conta que o estímulo veio da equipe do projeto, que além de subsidiar jovens em situação de vulnerabilidade, motivou a criação de uma rede colaborativa. Além do auxílio na horta e na quitanda da mãe, a jovem de 20 anos dedicou os últimos quatro meses às aulas do LabCom.

“Eu nunca soube como usar o Instagram, o Facebook. Aplicativos de celular então, não tinha noção de como fazer. Nem o Word eu dominava. Mas isso tudo mudou”, diz confiante. Diomara não apenas criou as redes da horta como também desenvolveu a logomarca, produz as peças de divulgação e publica.

O projeto foi selecionado no edital Conexão Cultura Jovem promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) para implantação e gestão de laboratórios de comunicação e cultura (LabCom) em comunidades com índices de vulnerabilidade social. O LabCom A Lente atendeu jovens de três comunidades periféricas de Chapada dos Guimarães, que fica a 65 km de Cuiabá.

O titular da Secel-MT, Alberto Machado, acompanhou a realização do projeto e se surpreendeu com o alcance do LabCom. 

“A gente vê a política pública de cultura sendo executada no seu mais alto grau. Além de garantir o auxílio aos bolsistas e ensiná-los conteúdo que pode garantir oportunidades no mercado de trabalho, a equipe impulsionou uma rede colaborativa que agitou o cenário de Chapada. Bonito de se ver”, destaca o secretário.

Transformando vidas

A idealizadora do projeto Bruna Obadowski, avalia que ainda há muito por vir. “A semente foi lançada. Tanto para eles quanto para nós. Aprendemos mutuamente com esse processo e estamos prontos para desenvolver novas edições do LabCom. O conteúdo pedagógico foi lapidado de uma maneira surpreendente para nós. A comunicação e a cultura transformam vidas”.

Além do caráter social da inclusão digital, Bruna destaca ainda que no chamamento público que fizeram e também na seleção, a prioridade foi atender jovens de bairros periféricos de Chapada dos Guimarães. 

“Não foram apenas 20 bolsistas contemplados com o recurso de R$ 1.600,00, foram 20 famílias que precisavam do auxílio em um momento tão crítico da pandemia. Muitos, só tinham esse suporte, então para nós, foi uma questão de garantir que essa política pública cultural garantisse a sobrevivência deles”, ressalta Bruna. 

E deste modo, o LabCom atendeu todas as premissas do edital, que era de distribuição de renda, transversalidade cultural e assistência social.

“E como é o caso de Diomara, a contrapartida do Estado e da nossa equipe possibilitou também agentes comunitários que impulsionaram negócios em um momento em que pequenos empreendedores precisavam dessa ajuda, de dar visibilidade e impulsionar vendas”.

Além disso, até mesmo as compras de suprimentos para a realização e manutenção do projeto foram realizadas dentro da própria comunidade, fomentando a economia local. Indo além, ao comentar os valores agregados à iniciativa, o LabCom também garantiu apoio a profissionais da comunicação e cultura que ministraram cursos ao longo de sua realização.

Auxílio na pandemia

Para Samara Moreira dos Santos, o projeto cumpriu seu objetivo. A estudante de 18 anos quer garantir melhores perspectivas de vida ao filho. Ela foi mãe aos 14 anos e teve que desistir da escola para cuidar do filho e trabalhar como camareira. Dividindo a casa com o irmão e realizando trabalhos de serviços gerais em casas de família que se tornaram cada vez mais escassos, o auxílio ajudou muito a jovem que mora no bairro São Sebastião.

“Além de aprender tanta coisa que eu nem imaginava fazer, o recurso veio em boa hora para que eu pudesse garantir uma comprinha básica para alimentar o meu filho”. Do conteúdo absorvido, além de aprender a se comunicar, ela destaca que não vê mais os noticiários como antes. “Nem prestava atenção, agora eu penso na informação, como o jornalista fez para produzir aquela matéria. Eu mesma produzi uma durante as aulas do LabCom”, orgulha-se do olhar mais crítico.

Colega de projeto, Breno Bezerra dos Santos, 18, não está estudando, nem trabalhando. Está à espera de uma vaga em uma pousada local. Para ele, o recurso foi essencial. “Ajudei em casa e separei um dinheiro para eu investir em um negócio. Quero comprar equipamentos e montar um estúdio para produção musical. E então, eu sei fazer tudo o que precisa para divulgar os artistas”.

O jovem que mantém um canal no Youtube, não descarta virar streamer. “Eu aprendi a editar vídeos, então eu acredito que agora eu tenho várias possibilidades. Se aparecer alguma coisa na área, sei que posso ser útil. Fora que é um sonho também virar um influenciador digital. De pouquinho acho que vou investir também no meu canal”.

 

 

Página 1 de 9