Blog da Condessa

Blog da Condessa

_My RØDE Cast 2020 vai premiar podcasts do mundo todo com 150 mil dólares em equipamentos, pacotes de áudio e softwares_


O Projeto de Extensão em Rádio e Podcast (Comunicast) da UFMT foi selecionado para o Prêmio My RØDE Cast 2020 para concorrer a equipamentos e assinaturas de softwares da empresa norte-americana. Neste ano, o prêmio irá destinar o valor de 150 mil dólares a produções do mundo todo para o prêmio principal e o segundo lugar selecionados por jurados e a escolha popular em voto realizado na plataforma da empresa. O Vida em Quarentena, produzido por estudantes da UFMT é o único brasileiro que atua dentro de uma universidade pública.
Para votar no projeto da UFMT é só entrar no link (https://www.myrodecast.com/listen/entry/3142) e clicar em “Vote Now”. Após isso é preciso fazer o login via e-mail ou Facebook para confirmar o voto. Segundo o professor do Departamento de Comunicação, Luãn Chagas, que coordena o projeto, essa será uma oportunidade de mostrar o trabalho e tentar angariar recursos para as atividades. “Todos sabemos da situação que temos enfrentado na universidade pública nos últimos anos, faltam equipamentos, softwares e recursos e temos buscado em diferentes editais, prêmios e outras oportunidades, a saída para produzir”, destacou.
Atualmente, o projeto produz o Vida em Quarentena, um podcast feito de dentro de casa que relata as histórias do período de isolamento dentro e fora do Brasil. A primeira temporada contou com seis episódios do podcast narrativo que está disponível em diferentes plataformas. Além disso, toda a produção também foi transformada em reportagens de dois a três minutos que são enviadas as emissoras de rádio da capital Cuiabá e do interior de Mato Grosso. Nestas regiões, chamadas de desertos noticiosos, a cobertura local é prejudicada pela falta de condições estruturais de acesso a informações sobre a pandemia.
“Levar os áudios e reportagens para emissoras de rádio de dentro e fora do Estado é fundamental para chegarmos a diferentes plataformas, não somente nos aplicativos de podcast, mas também a emissoras de rádio que muitas vezes são a única forma de acesso às informações para muitos povos e comunidades do interior do país”, explicou o professor Luãn Chagas.
A segunda temporada do Vida em Quarentena está sendo planejada e entre as pautas está o debate sobre os impactos da Covid-19 em povos tradicionais. Indígenas, quilombolas e ribeirinhos, por exemplo, são alguns dos povos afetados nos três biomas de Mato Grosso: a Amazônia, o Pantanal e o Cerrado.

O Comunicast nas redes sociais:
Instagram - https://www.instagram.com/comunicastufmt/
Twitter - https://twitter.com/ComuniCastUFMT

Projeto Fartura - Comidas do Brasil lança festival digital inédito no país, dias 19, 20 e 21 de junho; 48 horas de programação gratuita

Inovador desde a sua concepção, o Projeto Fartura – Comidas do Brasil lança, nos dias 19, 20 e 21 de junho, a primeira edição do Festival Fartura digital, em formato inédito no país. O festival conta com uma extensa programação que vai da gastronomia à cultura, contemplando também lives de economia criativa e agronegócios. Serão mais de 160 atrações, em 48 horas de programação gratuita, que poderá ser acessada pelo site (farturabrasil.com.br).
Nesta primeira edição, quem está em Belo Horizonte poderá pedir, em casa via delivery, pratos de chefs renomados da cidade. Já o público de outros locais tem a oportunidade de aproveitar outras atividades da extensão programação.

PROGRAMAÇÃO GASTRONÔMICA
Chef em casa
Mais de 35 restaurantes mineiros participam desta seção em que o público confere vídeos dos chefs preparando pratos, lanches e sobremesas, que estarão disponíveis para delivery. Após o evento, será possível baixar um e-book com todas as receitas. Participam nomes como Caetano Sobrinho (Caê); Caio Soter (Alma Chef); Flávio Trombino (Xapuri); Jana Barrozo (Cabernet Butiquim), entre outros.
Receita do chef
Compartilhar conhecimento sempre fez parte do DNA do Fartura. Profissionais renomados da gastronomia como Neide Rigo, André Mifano, Neli Pereira, Helena Rizzo
Lucas Corazza e Natalie Passos ministram aulas ao vivo em streaming.
Dica do chef
40 vídeos de um minuto de preciosas dicas de um time de especialistas também compõem a grade, para quem quer se aperfeiçoar na cozinha. Entre eles: Ilmar de Jesus (Casa Cheia); Naiara Faria (La Palma); André de Melo (Bravo Catering), Igor Anaxágoras (Café com Letras), Mariana Gontijo (Roça Grande/O Tacho) etc.
Mercearia Fartura – Sebrae
Os pequenos produtores, assim como na versão presencial dos Festivais Fartura, terão espaço garantido na versão digital. Serão mais de 30 produtores mineiros reunidos em e-commerce para que o público possa receber os produtos em casa. Entre as opções, mel Coopemapi (Bocaiuva); cachaças Bem Me Quer (Pitangui); queijos Catauá (Coronel Xavier Chaves), Trem Ruá (Serro), Senzala (Sacramento) e Capril Santa Cecília (Itaguara); cafés Cócolo (Araguari) e Campos Altos (Campos Altos); molhos Chef N’boss (Nova Lima), La Pimentaria (Ouro Preto) vinhos Estrada Real (Três Corações); Charcuteria Sagrada Família (Montes Claros); entre muitos outros. Ao clicar nos nomes das cidades, o usuário também acessa informações turísticas de cada local.

Cursos de capacitação/ Senac
Para a capacitação de profissionais do setor e do público em geral, serão oferecidos cursos gratuitos, de segurança alimentar e boas práticas para manipuladores de alimentos conforme a regulamentação da Anvisa.

Origem ao prato - food network
Para quem quer mergulhar fundo na gastronomia, o Projeto Fartura disponibiliza um rico conteúdo com vídeos de 25 estados que mostram a trajetória dos ingredientes até a finalização do prato.

Livros e Filmes
Serão disponibilizados gratuitamente os premiados filmes realizados pela Plataforma Fartura, como por exemplo o curta “O Mestre da Farinha” vencedor das categorias internacionais “Best South American Film" e "People's Choice Awards". E os cinco livros da coleção “Expedição Brasil Gastronômico”, que contempla todos os estados brasileiros e também venceu importantes prêmios como o Jabuti, estão disponíveis para venda online.

Para crianças
Um conteúdo especial para o público infantil foi pensado com música, contação de histórias, dicas de chefs para preparar pratos em família, além de um e-book com receitas infantis para colorir, ilustrado pela artista e ilustradora nacionalmente reconhecida Ana Strumpf, que já criou produtos para marcas como Walt Disney. Já a mineira Lu Simão traz seu talento nas aquarelas para o e-book “Minas para colorir”.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

Música e teatro / Sesc
Os curadores Rafael Vogt Maia Rosa e Pedro Martins Tarchi Crivellari trazem mais de 15 artistas mineiros, como Flávio Venturini, Túlio Araújo, Nath Rodrigues, Manu Diniz, Maurício Tizumba, Pedro Morais, Flávio Renegado entre outros para lives especiais. Ao longo dos três dias, a programação conta também com artes cênicas e contação de histórias com Alessandra Vicentin, Grupo Trampulim e Fusion Cia de Danças Urbanas.

Fotografia e vídeo
O fotógrafo e cineasta João Wainer, vencedor de prêmios como o Esso de Jornalismo e Bolsa Fnac, captou imagens de drone sobrevoando e registrando os impactos da pandemia no Inhotim e no Complexo Internacional da Lagoa da Pampulha. O público poderá assistir em primeira mão o vídeo exclusivo, além de acompanhar os bastidores e outros registros do videomaker mineiro Thiago Santos, diretor da Amarante Filmes.

Arte urbana
O multi-artista que ganhou notoriedade por sua arte urbana em São Paulo, Felipe Morozini, traz seu trabalho sensível com projeções de frases em Belo Horizonte sobre o contexto atual que o mundo está vivendo.

Artes manuais - faça você mesmo
Dois ícones da internet para quem gosta de decoração, Paulo Biacchi e Edu Mendes também integram a programação e ensinam o passo-a-passo da criação de utensílios de cozinha.

EMPREENDEDORISMO E NEGÓCIOS
A economia criativa também está contemplada na programação com lives especiais, com os temas: “Meu negócio para chamar de seu” e “O futuro do agronegócio”; o curso em três módulos “Empreendedorismo gastronômico”; e dois painéis promovidos pelo NovoAgro Ventures, que abordam soluções tecnológicas para o agronegócio.

SERVIÇO:
Festival Fartura Digital
19, 20 e 21 de junho
www.farturabrasil.com.br
Mais informações:
Instagram.com/FarturaBrasil
Facebook.com/FarturaBrasil

SOBRE A PLATAFORMA FARTURA – COMIDAS DO BRASIL

A Plataforma Fartura – Comidas do Brasil tem o objetivo de mapear o caminho do ingrediente, da sua origem até o prato, a fim de disponibilizar conhecimento ao público – em forma de conteúdo e experiência – e criar conexões entre os integrantes dessa cadeia. A Plataforma Fartura consiste em:

Expedições Fartura: viagens que já percorreram mais de 77 mil km em todo o território nacional levantando as histórias, personagens, ingredientes e receitas. Foram 276 cidades visitadas e cerca de 650 fontes entrevistadas.

Conteúdo gastronômico: o conhecimento é disponibilizado no site e redes sociais, premiados vídeos e livros, programas de rádio e em projetos customizados.

Festivais Fartura: a celebração do projeto são os festivais, nos quais há o encontro entre produtores, chefs e estudiosos da gastronomia com o público. Os eventos acontecem em nove cidades: Belém, Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Tiradentes, Belo Horizonte, Conceição do Mato Dentro, Fortaleza e também fora do Brasil, em Lisboa. Até 2019, os festivais receberam mais de 850 mil pessoas, que se deliciaram com os mais de 2 milhões de pratos servidos. Além disso, foram 3.300 atividades gastronômicas e 1.265 apresentações culturais. (Fonte: Doizum Comunicações)

 

 

Quinta, 18 Junho 2020 05:00

Aprendendo na quarentena

Extensionistas da Unemat preparam vídeos educativos para o ensino fundamental e médio

A segunda etapa do evento “Aprendendo na quarentena: Ensino através de vídeos” teve início na última terça-feira (16) e segue até o dia 16 de julho com a produção e disponibilização de vídeos educativos voltados para o ensino fundamental e médio. A iniciativa faz parte do projeto “Unemat na Escola: Pesquisando com o ensino fundamental e médio”.

Promovido pela Faculdade de Ciências Sociais, Aplicadas e Agrárias (Facisaa) por meio do curso de Agronomia da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), câmpus de Nova Mutum, o Aprendendo na quarentena tem por objetivo planejar, criar e disponibilizar vídeos educativos com diversos temas no canal UniCiências no Youtube.

De acordo com a coordenadora, a professora Sumaya Ferreira Guedes, os temas serão escolhidos pelos bolsistas de extensão. Estes tiveram as atividades paradas devido à pandemia de Covid-19 e decidiram gravar pequenas pílulas para divulgar informações sobre diversos temas como normas de laboratório, ciclo da água, crescimento de plantas, entre outros. “A criação e disponibilização dos vídeos foi o meio encontrado para dar continuidade das atividades dos bolsistas referente aos projetos de extensão ativos”, contou Guedes.

 

Presidente do TCE-MT, conselheiro Guilherme Antonio Maluf disse que o convênio entre o órgão e Senai foi altamente positivo e os respiradores, que hoje estão sendo devolvidos para a sociedade, vão salvar vidas

Em quatro dias, 13 respiradores mecânicos foram recuperados pela equipe técnica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Departamento Regional de Mato Grosso (SENAI/DR-MT), unidade Várzea Grande, e estão liberados para a utilização na rede pública hospitalar do Estado no tratamento de pacientes acometidos pelo novo coronavírus (Covid-19). A ação é fruto da parceria com o Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), que prevê a recuperação de 87 respiradores sem condições de uso. 

Os respiradores receberam manutenção e estão liberados para utilização na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, Hospital Geral, Hospital Metropolitano e os Hospitais Regional de Alta Floresta, Cáceres, Sorriso e Sinop. Dos 118 respiradores recebidos para avaliação e manutenção, 28 foram arrumados e entregues para as unidades hospitalares, 7 aguardam peças, totalizando 35 respiradores recuperados. 

A manutenção dos respiradores é fruto do acordo técnico-financeiro-emergencial assinado entre TCE-MT e Senai, no mês passado. O termo prevê suporte financeiro da Corte de Contas no montante de R$ 500 mil para aquisição de peças e outros materiais necessários para o reparo dos respiradores.  

“Sabemos da importância desses respiradores para as unidades hospitalares no combate à Covid-19. O convênio entre TCE-MT e Senai foi altamente positivo e os respiradores, que hoje estão sendo devolvidos para a sociedade, vão salvar vidas”, afirmou o presidente do TCE-MT, conselheiro Guilherme Antonio Maluf. 

De acordo com o presidente da Fiemt, Gustavo de Oliveira a parceria foi muito importante porque viabilizou a manutenção e recuperação dos respiradores, algo que a equipe do Senai tem capacidade técnica para fazer.

 

 

Alteração ocorre por solicitação de universidades públicas e privadas

 O Ministério da Educação (MEC) alterou as datas das inscrições aos principais programas de acesso às universidades para atender a uma solicitação das instituições de ensino superior públicas e privadas, segundo informou o secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas Souza.

O edital que muda o prazo de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre, de 16 a 19 de junho para 7 a 10 de julho, deve ser publicado hoje (17). O Programa Universidade Para Todos (Prouni), que teria as inscrições abertas de 23 a 26 de junho, passou para o dia 14 de julho. E o Financiamento Estudantil (Fies) que teria inscrições efetuadas de 30 de junho a 3 de julho passou para 21 a 24 de julho.

Conforme o secretário, a mudança ocorre devido à suspensão de algumas atividades acadêmicas e administrativas nas universidades ocorridas em consequência da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Atendendo às solicitações da Associação Nacional de Dirigentes de Institutos Federais de Ensino Superior (Andifes), primeiro o MEC postergou o prazo para as instituições aderirem ao Sisu, que passou para 25 a 29 de maio para o dia 12 de junho. 

“Se nós não tivéssemos prorrogado na data prevista a gente só teria, no máximo, 40 mil vagas ofertadas. E essa prorrogação permitiu um acréscimo de pelo menos 20% no número de vagas. Hoje são 51 mil vagas que serão ofertadas no Sisu justamente em função da prorrogação”, comentou o secretário.

A consulta dos estudantes às vagas disponíveis no Sisu poderá ser feita a partir do dia 30 de junho. 

EAD no Sisu

A partir do segundo semestre de 2020 será possível fazer, pela primeira vez, a inscrição para cursos de Educação a Distância (EAD) no Sisu.

“Essa prorrogação nos permitiu inclusive essa inovação. Até então as instituições públicas só poderiam oferecer vagas presenciais pelo Sisu. As vagas eventualmente de EAD que as instituições públicas têm elas oferecem nos seus próprios portais, então não é dada muita divulgação. A gente inovou alterando a portaria do Sisu, alterando as regras, para que as instituições, além das vagas presenciais possam ofertar então ensino à distância”, diz o secretário.

Conforme Souza, a expectativa é que o número de vagas à distância oferecidas nas universidades públicas aumente a cada novo processo seletivo. Na rede particular, o número de vagas à distância chega a 40% do total. (Fonte: Agência Brasil)

Adilson João Massoni  aproveita a quarentena para fomentar o hobby. Atividade é uma excelente opção para quem quer entreter a mente e desestressar

Em época de quarentena, enquanto algumas pessoas trabalham em esquema home office, uma boa parcela da população fica impossibilitada de atuar desta forma em razão da própria essência profissional. E para aproveitar o tempo ocioso neste período, muitos têm aderido a atividades prazerosas e reativado antigos hobbies, como o ferreomodelismo.

O trem elétrico é uma excelente opção para quem está na quarentena, procurando algo para entreter a mente e passar o tempo. É um hobby saudável, desestressa e ajuda neste momento tão delicado pelo qual todos estão passando.

Em Cuiabá, o professor universitário Adilson João Massoni, 48 anos, tem aproveitado o tempo para conciliar o trabalho com o ferreomodelismo. “Minha primeira compra nesta área foi em dezembro do ano passado, por conta do Natal. Tenho um filho apaixonado por trens, e o convenci a aderir ao ferreomodelismo”, diz Massoni, que possui duas locomotivas e seis vagões. “Tenho algumas construções e um projeto de maquete, e assim que terminar a quarentena quero voltar a mexer nela”, completa. “Esta paixão por construir e consertar as coisas herdei de meu pai. Estou construindo uma casa com contêineres em uma chácara, e boa parte dela foi feita por mim e meus pais, que têm mais de 80 anos. É lá que fica a maquete”, finaliza.

 O ferreomodelismo é um dos hobbies mais antigos do mundo. Por ser uma atração indoor, não está sujeita a intempéries, tem ganhado adeptos pelo Brasil e se popularizado entre os amantes de trens. Sua origem remonta ao período em que o transporte ferroviário foi adotado massivamente. As primeiras miniaturas de trens foram fabricadas por volta de 1830, por artesãos alemães. De lá para cá, muita coisa mudou, principalmente no Brasil, onde o transporte de passageiros pelas ferrovias deixou de acontecer, com exceção dos passeios turísticos. Mesmo assim, a paixão de algumas pessoas por este hobby se intensificou.

De norte a sul do Brasil, muitas pessoas têm se interessado pelos trens elétricos em miniatura, seja por pura diversão, hobby ou mesmo para preservar a memória ferroviária do país.

“Em tempos como estes, em que as famílias têm ficado em casa, é preciso arrumar algum hobby para distrair a mente. As pessoas pensam que o transporte ferroviário morreu, mas ele está vivo e em expansão. A ferrovia é de valor estratégico imprescindível para um país como o Brasil, e este crescimento ajuda a fomentar ainda a mais a paixão que muitos brasileiros têm pelos trens, sendo que muitos passam o hobby do ferreomodelismo para as futuras gerações”, diz Lucas Frateschi, diretor da Frateschi Trens Elétricos, empresa com sede em Ribeirão Preto, no interior paulista, que possui mais de 50 anos de atuação no mercado e é a única fabricante de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais na América Latina.

Medida perderia a validade na próxima semana, mas foi prorrogada pela Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou até o fim de julho a proibição do corte de energia elétrica dos consumidores inadimplentes residenciais urbanos e rurais. A proibição do corte de energia por 90 dias foi aprovada pela agência no fim de março, com validade também para os serviços considerados essenciais no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Com a decisão na última segunda-feira (15), a medida, que perderia validade na próxima semana, ficará em vigor até o dia 31 de julho.

Ao justificar a prorrogação, a diretora da Aneel Elisa Bastos Silva, relatora do processo, argumentou que, na maior parte dos estados, continuam as ações de isolamento social e de restrição à circulação e aglomeração de pessoas para evitar a propagação da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo a relatora, os efeitos da pandemia no setor elétrico levaram a um aumento da inadimplência dos consumidores e à redução do mercado das distribuidoras, em virtude da diminuição na atividade econômica e da necessidade de manutenção do serviço. Elisa disse, entretanto, que a norma aprovada pela agência prevê que, se após o prazo determinado a dívida persistir, a energia será cortada. As distribuidoras deverão avisar os consumidores com antecedência.

"Feitas essas ressalvas, a proposta é que, a partir de 1º de agosto, a distribuidora volte a efetuar a suspensão do fornecimento por inadimplência", disse Elisa, em seu voto.

Segundo a diretora da Aneel, a exceção fica por conta das unidades "onde existam pessoas usuárias de equipamentos de autonomia limitada, vitais à preservação da vida humana e dependentes de energia elétrica; as das subclasses residenciais de baixa renda, enquanto durar a concessão do auxílio emergencial; aquelas em que a distribuidora suspender o envio de fatura impressa sem a anuência do consumidor; e nos locais em que não houver postos de arrecadação em funcionamento, o que inclui instituições financeiras, lotéricas, unidades comerciais conveniadas, entre outras, ou em que for restringida a circulação das pessoas por ato do poder público competente".

Além de prorrogar a proibição do corte no fornecimento de energia elétrica, a Aneel ampliou até 31 de julho o prazo para que as distribuidoras de energia sejam autorizadas a suspender o atendimento presencial, a suspensão da entrega da fatura mensal impressa no endereço dos consumidores e a permissão para que as distribuidoras realizem a leitura de consumo em horários diferentes do usual ou mesmo a suspensão da leitura.

Ao adotar a suspensão da entrega da fatura impressa, as distribuidoras deverão enviar fatura eletrônica ou o código de barras aos consumidores, por meio de canais eletrônicos ou disponibilizá-las em seu site ou aplicativo. Na hipótese de suspensão da leitura do consumo, o faturamento será feito com base na média aritmética do consumo nos últimos 12 meses.

 

 A iniciativa vale para dívidas entre R$200 e R$1.000. O objetivo é ajudar pessoas endividadas que estão sofrendo com desemprego ou redução de renda. O consumidor deve apenas acessar o site da Serasa e consultar seu CPF para ver a oferta em seu nome

 A Serasa está ampliando ainda mais as possibilidades para os consumidores com dívidas resolverem suas pendências e regularizar o nome em um momento difícil para a vida financeira.

 A partir de agora, quem tem dívidas entre R$ 200,00 e R$ 1.000,00, originadas pelo parceiro Ativos dentro do Serasa Limpa Nome, poderá quitá-las integralmente pelo valor de R$ 100,00.

 Segundo a empresa, a ação pode beneficiar mais de 1,5 milhão de consumidores que se encontram nesta situação, justamente a parcela da população que mais está com dificuldade até para receber auxílios.

 “O objetivo é ajudar ainda mais as pessoas endividadas, que estão sofrendo com desemprego ou redução de renda, o que dificulta conseguir crédito; mais uma oportunidade de retomar suas atividades e ter de volta serviços essenciais”, explica Lucas Lopes, diretor do Serasa Limpa Nome.

 Para ter acesso a mais esta opção para negociar dívidas, o consumidor precisa acessar o site do Serasa Limpa Nome – que desde abril tem uma nova marca e um novo endereço: www.serasa.com.br. O consumidor também encontra as mesmas condições no aplicativo do Serasa disponível para Android e iOS.
Canais de atendimento   

Vale lembrar que, seguindo as recomendações das autoridades de saúde, as agências da Serasa, que fornecem atendimento presencial, permanecem fechadas. Porém, além do site do Serasa Limpa Nome e do app da Serasa, o consumidor também pode regularizar seus débitos financeiros pelo Whatsapp, através do número: (11) 98870-7025. Todos esses canais contam com as mesmas condições de renegociação.

 

Terça, 16 Junho 2020 05:00

WhatsApp libera pagamento por aplicativo

Brasil será o primeiro país a receber a novidade. Pessoas físicas e pequenas empresas poderão enviar e receber dinheiro direto pelo mensageiro

Desde a última segunda-feira (15), o WhatsApp permite enviar e receber dinheiro direto no aplicativo. Por enquanto, o Brasil é o primeiro país a receber a novidade - que está disponível para pessoas físicas e pequenas empresas. Será possível enviar dinheiro para amigos e familiares, além de realizar a compra de produtos oferecidos por empresas que utilizam o WhatsApp Business. 

O serviço, que é fornecido pelo Facebook Pay, conta com alguns parceiros que ajudaram a trazê-lo para o Brasil. Cielo, Visa, Mastercard, Banco do Brasil, Nubank e Sicredi estão entre os que trabalharam na viabilização da iniciativa.

Para garantir a segurança das transações e evitar fraudes, antes de cada transferência será necessário informar um código PIN de seis dígitos previamente cadastrado ou a biometria do celular – funciona como outras transações financeiras feitas pelo celular.

No caso de transferência entre pessoas físicas, não haverá o pagamento de qualquer taxa pela transação - no entanto, só será possível utilizar cartões de débito. Além disso, usuários possuem um limite de envio de R$ 1 mil por transação e recebimento de até 20 pagamentos por dia no limite de R$ 5 mil por mês. 

No caso de empresas, é possível utilizar cartões de crédito e débito. Porém, o estabelecimento deverá pagar uma taxa por cada uma das transações. Todos os pagamentos serão processados pela Cielo. 

Por conta dos parceiros iniciais, os usuários poderão utilizar apenas cartões de crédito e débito emitidos pelo Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. No entanto, a empresa informa que vai facilitar a entrada de novos parceiros no futuro. 

De acordo com o mensageiro, o objetivo é o de simplificar o ato de comprar. Ao oferecer a opção de pagar diretamente pelo aplicativo, o usuário pode, ao mesmo tempo em que olha o catálogo de um estabelecimento, finalizar o pagamento e combinar os detalhes da entrega sem precisar sair do aplicativo.

Transferência de dinheiro

De acordo com a empresa, enviar e receber dinheiro é simples. Em primeiro lugar, é necessário cadastrar um cartão válido dentro do próprio WhatsApp. Com a liberação do recurso sendo feita de forma gradual, a opção do Facebook Pay dentro das configurações do mensageiro deve aparecer em breve. 

Com o recurso disponível, é possível verificar os termos e condições de utilização do serviço, além de cadastrar a senha citada. Com a adesão à funcionalidade feita, basta cadastrar um cartão válido, inserir CPF e nome completo.

A partir disso, as conversas passarão a contar com a opção de solicitar dinheiro ou enviar as quantias. No futuro, a empresa informa que planeja que os mesmos dados de pagamento cadastrados pelo usuário possam ser usados em toda a família de aplicativos do Facebook.

 

Gestores municipais participam nesta terça-feira, 16/06, de videoconferência para alinhamento, bem como unificar ações de combate á Covid-19

A Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), realizará amanhã, terça-feira, dia 16 de junho, ás 16h, uma videoconferência, que terá a participação de prefeitos e prefeitas, com o objetivo de discutir estratégias, e ações integradas de combate à pandemia da Covid-19 nos municípios. A reunião por videoconferência será conduzida pelo presidente da AMM, Neurilan Fraga, já com a confirmação de dezenas de prefeitos, inclusive da Capital, Emanuel Pinheiro.

Fraga explica que por conta do crescimento em escala geométrica da propagação do vírus, registrada nas últimas semanas, “é imperativo que os gestores municipais, façam um alinhamento e definam estratégias, para reduzir este crescimento de casos”, adiantou.

As condutas já adotadas pelos gestores, as experiências vivenciadas nas diferentes regiões, além das orientações das autoridades de saúde, vão embasar um novo planejamento, de forma a alcançar um combate mais eficiente á propagação da pandemia. “Evidentemente que cada município e região tem as suas características próprias. Os seus gestores é quem mais conhecem a realidade local, e que vivem o dia a dia. Portanto, é imprescindível a sua opinião”, assinalou. 

Na avaliação do presidente da AMM, o essencial agora é a união de esforços de todas as lideranças políticas do estado junto com a sociedade, em busca de soluções para o enfrentamento da pandemia, que vem crescendo de forma assustadora em todo estado. Conforme o boletim divulgado  ontem pela secretaria estadual de saúde, neste momento Mato Grosso registra mais de cinco mil casos confirmados e 163 mortes pela Covid-19.

Fraga reafirma que, se ainda não houve um colapso em todo o sistema público de saúde, é por conta do trabalho que os gestores vêm realizando desde o início da pandemia. Ele frisa que, através de AMM os prefeitos foram orientados sobre vários aspectos, desde a suspensão das atividades escolares, o cancelamento de qualquer tipo de evento, o distanciamento social, a instalação de barreiras, a fiscalização sanitária, como também o cuidado e o zelo em relação a aplicação dos recursos no combate a pandemia, através da prestação de contas junto aos órgãos de controle.“As medidas restritivas até agora adotadas, tem provocado muito desgaste político aos prefeitos e prefeitas. São pressões de todos os lados, inclusive, alguns prefeitos sendo ameaçados por conta do fechamento das atividades econômicas e sociais, mantendo apenas as essenciais”, garantiu.

A situação econômica dos municípios de Mato Grosso não é diferente das demais regiões brasileiras.  O auxílio financeiro emergencial, que está sendo repassado pelo governo federal, em quatro parcelas iguais, não é suficiente para as prefeituras manter todas as ações de atendimento á população. Segundo Fraga, a restrição no funcionamento das atividades econômicas, evidentemente tem provocado uma brutal queda na arrecadação de receitas como o ICMS, ISSqn,  FPM  e outras.

Controle eficaz

De acordo com estudos técnicos da AMM, este ano os municípios de Mato Grosso, terão uma queda de receita em torno de R$ 1.300 bilhão, enquanto que o auxílio financeiro emergencial é na ordem de R$1 bilhão. “Estamos diariamente recomendando aos gestores municipais que a utilização dos recursos, tem de ser feita de forma criteriosa e transparente, acompanhada por processos administrativos, com embasamentos legais dos gastos, e assim, atender as exigências dos órgãos de controle, através das prestações de contas, como também ao conhecimento da sociedade”, disse.

Fraga espera, com o alinhamento das ações definidas na videoconferência, que já nas próximas semanas começam surtir efeitos, “no que diz respeito ao controle mais eficaz do crescimento da pandemia em Mato Grosso, além de estabelecer estruturas de saúde para atender a população, quando demandada”, concluiu o presidente da AMM.

 

Página 125 de 157