Blog da Condessa

Blog da Condessa

A necessidade de trabalhar é o principal motivo apontado por jovens de 14 a 29 anos para abandonar os estudos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Educação, divulgada no último dia 15 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Aproximadamente quatro em cada dez jovens que não concluíram o ensino médio precisaram deixar as salas de aula para trabalhar.

Segundo o IBGE, ao todo, no Brasil, 20,2% dos jovens de 14 a 29 anos não completaram o ensino médio, seja porque abandonaram a escola antes do término dessa etapa, seja porque nunca chegaram a frequentá-la. Isso equivale a 10,1 milhões de jovens. A maior parte é homem, o equivalente a 58,3%, e preta ou parda, o equivalente a 71,7% de todos que não estavam estudando. 

De acordo com o levantamento, quando perguntados sobre o principal motivo de terem abandonado ou nunca frequentado a escola, esses jovens apontaram a necessidade de trabalhar como fator prioritário, resposta dada por 39,1% dos entrevistados. Considerando apenas os homens, essa foi a resposta dada por 50% deles. Já entre as mulheres, o percentual cai para 23,8%. 

Para as mulheres, o principal motivo, alegado por 24,1% é não ter interesse em estudar – entre os homens esse percentual é 33%. Em seguida, para as mulheres, está a gravidez, de acordo com 23,8%. Precisar cuidar de pessoas ou dos afazeres domésticos é alegado como motivo para 11,5% das mulheres deixarem os estudos. Entre os homens, esse é o motivo para 0,7%.

Além disso, no total, 3,2% de jovens em todo o país dizem que não havia escola, vaga ou turno desejado na localidade onde vivem. Outros 3,7% deixaram os estudos por problemas de saúde permanentes. 

O levantamento foi feito no segundo trimestre de 2019, portanto, de acordo com o IBGE, ainda não é possível medir os impactos da pandemia do novo coronavírus. No entanto, os dados de evasão podem ajudar no planejamento de políticas públicas para evitar que estudantes abandonem os estudos. 

No Brasil, de acordo com a Emenda Constitucional 59/2009, a educação é obrigatória dos 4 aos 17 anos de idade. O estudo do IBGE mostra que os maiores percentuais de abandono da escola se deram nas faixas a partir dos 16 anos de idade, entre 15,8% e 18%. O  abandono precoce, ainda na idade do ensino fundamental, foi de 8,5% até os 13 anos e de 8,1% aos 14  anos.  

“Esse  padrão  se  mantém  semelhante  entre  homens  e mulheres  e  entre  as  pessoas  de  cor  branca  e  preta  ou  parda.  Vale destacar  que  o  grande  marco  da  mudança  foi  a  idade  de  15  anos que, em geral, é a de entrada no ensino médio. Nessa idade, o percentual de jovens que abandonaram a escola quase duplica frente aos 14 anos de idade”, diz o relatório da Pnad Contínua Educação. 

Idade certa 

O estudo mostra que, nas idades consideradas obrigatórias, aumentou a escolarização, ou seja, o percentual da população matriculada na escola. Entre as crianças de 4 e 5 anos, em 2018, 92,4% estavam na pré-escola. Em 2019, 92,9%. Entre aqueles de 6 a 14 anos, a taxa de escolarização passou de 99,3% para 99,7%. Entre os adolescentes de 15 a 17 anos, passou de 88,2% para 89,2%. 

Apesar de estarem na escola, nem todas essas crianças e adolescentes estão matriculados nas séries em que deveriam, seja por repetência, seja por outros motivos.

O levantamento mostra que o atraso começa a se acentuar nos anos finais do ensino fundamental, etapa que vai do 6º ao 9º ano. Em 2019, 12,5% das pessoas de 11 a 14 anos de idade já estavam atrasadas em relação à etapa de ensino que deveriam estar cursando ou não estavam na escola. 

Dos 15 aos 17 anos, faixa etária em que os estudantes deveriam estar no ensino médio, a situação se agrava: 28,6% não estavam na série adequada. Essa taxa melhorou – em 2018, eram 30,7%. 

“Nota-se que o atraso escolar e, em menor importância, a evasão, já estavam presentes nos anos finais do ensino fundamental. Isso significa que um grupo de crianças chega atrasado ao ensino médio, ou mesmo deixa de estudar no fundamental. Em muitos casos, essa situação pode vir a se intensificar na etapa escolar seguinte”, diz o estudo. 

Sem trabalhar ou estudar 

A pesquisa mostra ainda que, do total de 46,9 milhões de pessoas de 15 a 29 anos de idade, pouco mais de um em cada cinco jovens, 22,1%, não estavam ocupados nem estudando. Dos demais, 14,2% estavam ocupados e estudando; 28,1% não estavam ocupados, porém estudavam; e, 35,6% estavam ocupados e não estudavam.

“É importante ressaltar que elevar a instrução e a qualificação dos jovens é uma forma de combater a expressiva desigualdade educacional do país. Além disso, especialmente em um  contexto econômico desfavorável, elevar a escolaridade dos jovens e ampliar sua qualificação pode facilitar a inserção no mercado de trabalho, reduzir empregos de baixa qualidade e a alta rotatividade”, afirma o IBGE. 

Entre as mulheres, 27,5% não estavam ocupadas, nem estudando ou se qualificando. Entre os homens, esse percentual é menor, 16,6%. Na outra ponta, 14,6% dos homens e 13,8% das mulheres trabalhavam e estudavam ou se qualificavam. 

 

Conteúdo online teve 80 mil visualizações em junho

O canal do Cine Teatro Cuiabá no YouTube é um enorme sucesso e tem agradado aos espectadores com filmes, palestras, shows, stand up, entrevistas, seminários e muitas outras opções diárias. Prova disso são as 80 mil visualizações que a rede social atingiu somente no mês de junho, mostrando que diversidade cultural é a marca da programação online do CTC.

 Com diversas produções regionais e nacionais e visando o fortalecimento da rede artística, a programação teve início em 23 de março, com o início da quarentena em Cuiabá, causada pela pandemia do novo coronavírus. Contribuindo para manter a saúde mental nestes dias turbulentos.

 De acordo com o diretor artístico do Cine Teatro Cuiabá, Flávio Ferreira, chegou a hora de pensarmos diferente. “Essas 80 mil visualizações nos mostram que a forma como consumimos cultura não é mais a mesma. Por causa do isolamento social, o lazer e o acesso às artes têm sido pelos conteúdos disponíveis nos meios eletrônicos e digitais, tudo de dentro da nossa própria casa. Isso nos obriga a trabalhar a cultura de diferentes formas”, destaca.

Todos os dias um espetáculo novo será apresentado no canal. “Nosso objetivo é contribuir de forma positiva nesse momento tão sensível para toda a população e ajudar a manter também a saúde da mente”, explica Flávio.

 Todas as segundas-feiras o Cine Convida, com a apresentação da atriz Helô Godoy, traz para um bate-papo ao vivo, convidados especiais do segmento cultural. Já às terças-feiras acontece a Temporada de Filmes, que já apresentou mais de 50 filmes nacionais e regionais. Complementando a programação tem teatro, dança e música para todos os gostos.

 Sobre o Cine Teatro Cuiabá

O Cine Teatro Cuiabá é um equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (SECEL-MT), administrado via contrato de gestão compartilhada pela Associação Cultural Cena Onze.

Quarta, 15 Julho 2020 05:00

A disseminação do Programa Nota MT

A Secretaria de Fazenda (Sefaz), por meio do Programa Nota MT, premiou no último dia 13 consumidores de cinco municípios que vão receber R$ 10 mil, cada um. Além deles, outras 994 pessoas foram sorteadas com prêmios de R$ 500. Este foi primeiro concurso realizado após os sorteios do Nota MT ficarem suspensos pelo período de três meses, devido à suspensão da Loteria Federal, por causa da pandemia da Covid-19.

Os sorteados dos prêmios de R$ 10 mil foram: Ariane Rinaldi Reolon, de Lucas do Rio Verde; Edilaine Fernandes Pereira De Farias, de Colíder; Francisco Otaviano Oliveira Fontes, de Peixoto de Azevedo; Paulo Henrique Ferreira Passos, de Cuiabá; e Samuel Gonçalves Campos, de Rondonópolis. Seis consumidores foram contemplados duas vezes e vão receber R$ 1.000. Os demais 988 ganhadores foram sorteados com um prêmio de R$ 500, cada.

A disseminação do Programa Nota MT por todo o estado foi destacada pela secretária ajunta de Relacionamento com o Contribuinte, Maria Celia Pereira, que conduziu o sorteio. “Hoje tivemos cinco ganhadores de R$ 10 mil, cada um residente de um município. Isso demonstra que realmente o sorteio premia cidadãos de todo o nosso estado”.

Como o resultado da Nota MT é pelo número de bilhete, a mesma pessoa pode ganhar mais de uma vez com bilhetes diferentes. Portanto, quanto mais pedir para colocar o CPF na nota, maiores são as chances de receber os prêmios da Nota MT. A lista completa dos sorteados está disponível no site ou aplicativo do Programa Nota MT, na opção “Sorteios”.

Apesar de ter permanecido pelo período de três meses com os sorteios suspensos, o Programa Nota MT continuou ativo e todas as notas fiscais emitidas a partir de março geraram bilhetes a serem sorteados futuramente. Na última semana, a Sefaz divulgou o novo calendário com dois sorteios por mês, até dezembro de 2020, contemplando os concursos não realizados.

Dessa forma, ainda no mês de julho será realizado mais um sorteio do Nota MT. O Sorteio Especial de São João, que será realizado na próxima segunda-feira (20) vai premiar cinco consumidores com R$ 50 mil, cada. Já no mês de agosto, os sorteios serão nos dias 10 e 17. Confira aqui as datas dos próximos sorteios.

“É uma emoção voltarmos com as premiações do Nota MT, depois de ficarmos temporariamente com os sorteios suspensos. O retorno das extrações da Loteria Federal oportunizou que o Governo do Estado retomasse os sorteios do Nota MT e daqui até o final do ano faremos dois sorteios por mês, garantindo a participação de todos aqueles contribuintes que pediram o CPF na nota nos últimos meses”, afirma Maria Celia.

O sorteio realizado na segunda-feira (13/7) foi o 16º do Programa Nota MT, referente ao mês de junho/2020, e teve como base o resultado da Loteria Federal sábado (11). Nele, concorreram 1.357.957 bilhetes gerados com base nas notas fiscais emitidas entre os dias 01 e 30 de junho.

Social

Além do prêmio em dinheiro a ser recebido, os ganhadores do sorteio vão ajudar financeiramente 133 entidades filantrópicas, indicadas neste sorteio mensal. Ao fazer o cadastro a pessoa escolhe uma instituição para receber 20%, que será calculado com base no valor do prêmio a ser recebido pelo consumidor.

Para participar do programa, as entidades precisam estar cadastradas no banco de dados da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc). No cadastro, é preciso informar os nomes dos presidentes ou responsáveis, telefones, e-mails e público-alvo, como instituições que atendam majoritariamente pessoas em vulnerabilidade social, indígenas e quilombolas, por exemplo.

Um ano de sucesso

O Programa Nota MT completou no dia 17 de junho, um ano de lançamento. Até março, quando da suspensão dos sorteios, 8.055 prêmios haviam sido distribuídos, em um valor total de R$ 5.150.000,00. Foram contemplados 8.039 consumidores de 116 dos 141 municípios de Mato Grosso, que receberam premiações de R$ 500, 10 mil e 50 mil reais.

Além disso, o lado social do programa beneficiou 141 instituições filantrópicas de 58 municípios mato-grossenses, que receberam 1.030 milhão de reais. O valor corresponde a 20% dos prêmios. A premiação das entidades é feita mediante indicação dos contribuintes cadastrados no programa Atualmente existem 176 instituições filantrópicas cadastradas junto à Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setasc).

 

 

Quarta, 15 Julho 2020 05:00

‘Siminina em Casa’

A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, em parceria com a Secretaria de Assistência Social e da Pessoa com Deficiência, lançou no último dia 13, o projeto Siminina em Casa para levar atividades às mais de 1.300 meninas atendidas pelo Programa Siminina, da Prefeitura de Cuiabá.

O intuito é levar conteúdo de forma online com acesso via tablets, computadores e smartphones com o acompanhamento do pais e responsáveis. Os conteúdos são definidos semanalmente pelas monitoras do programa e enviados todas segundas, quartas e sextas em grupos do aplicativo WhatsApp.

“Esse projeto têm o acompanhamento direto dos pais, pois mandamos os vídeos nos grupos que cada unidade possui com os pais e responsáveis pelas simininas. A ideia é trabalhar junto com o envolvimento familiar que é uma bandeira que o Siminina tem pregado desde o início da gestão Emanuel Pinheiro”, destacou a coordenadora do programa, Dalma Beatriz.

A ideia, capitaneada pela primeira-dama, é uma alternativa para oferecer o suporte educacional às meninas durante esse período de pandemia e isolamento social. Segundo Márcia, a área de assistência social é a mais impactada com toda crise de saúde pública.

“O Siminina atende exclusivamente pessoas em vulnerabilidade social. Recentemente, destinamos as vagas remanescentes para mães que cuidam das meninas sozinhas, então é um público de extrema necessidade social e não poderíamos deixar de pensar em soluções para elas”, disse Márcia Pinheiro.

O Siminina em Casa é mais um dos projetos pensados para o programa e faz parte do maior conjunto de ações da história de seus 25 anos de existência. Aulas de informática, inglês, artesanato, reforço escolar, fanfarra, dança, dentre outros foram implementados ao longo dos três anos e meio da atual administração.    

 

 

Quarta, 15 Julho 2020 05:00

Transformar sentimentos em palavras

Projeto estimula público a escrever sobre perdas da pandemia

 O Museu da Língua Portuguesa lançou no último dia 13 o projeto virtual A Palavra no Agora, que estimula o público, a partir de exercícios de escrita, a se expressar sobre o período em que vivemos. O objetivo é ajudar as pessoas a lidar com os sentimentos causados pela pandemia de covid-19.

Os exercícios são baseados em roteiros com perguntas simples, que servem como referência para fazer as pessoas refletirem e transformarem em texto o sentimento sobre o momento. Segundo o museu, os textos produzidos poderão ser compartilhados no próprio site. O projeto está disponível gratuitamente em noagora.museudalinguaportuguesa.org.br . 

“Vivemos um momento de perdas físicas e simbólicas. A incerteza, a morte, o adiamento de planos, a doença, o isolamento, a crise econômica, a distância, tudo isso tem um impacto enorme na vida de todos os brasileiros. Na ausência do acolhimento físico, do contato, o que nos une hoje são as palavras, ditas e escritas”, explica Marília Bonas, diretora técnica do IDBrasil, organização social que gerencia o Museu da Língua Portuguesa.

O projeto disponibiliza trechos de obras literárias que falam sobre o sentimento de perda, resenhas de livros e filmes que, de alguma forma, tratam do assunto. Os participantes também podem tomar a iniciativa de sugerir obras que possam apoiar e inspirar outras pessoas neste momento.

O Museu da Língua Portuguesa é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo do estado de São Paulo, e está em reconstrução. Em 2015, um incêndio, que atingiu três andares e sua cobertura, destruiu o local.

 

São ofertadas em instituições públicas do país  51.924 vagas

O resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2020 já está disponível no site oficial do Sisu. Para fazer consulta, o candidato deve informar o número de inscrição e a senha. O período para matrícula da chamada regular será de 16 a 21 de julho. O resultado foi divulgado na manhã desta terça-feira (14), pelo Ministério da Educação (MEC).

Ao todo, mais de 814 mil inscrições foram feitas. Segundo o MEC, mais da metade desses estudantes – 424.991 mil – disputam 51.924 vagas ofertadas em 57 instituições públicas de educação superior do país.

Pela primeira vez, o Sisu oferece vagas na modalidade ensino a distância (EaD). Além de ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, os candidatos não podem ter zerado a redação. Quem fez o exame na condição de treineiro não pode participar.

De acordo com o edital do programa, a ordem dos critérios para a classificação de candidatos é a seguinte: maior nota na redação, maior nota na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias; maior nota na prova de matemática e suas tecnologias; maior nota na prova de ciências da natureza e suas tecnologias e maior nota na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Lista de espera

Quem não for selecionado nesta primeira chamada deverá manifestar o interesse em participar da lista de espera, por meio da página do Sisu na internet, entre hoje e 21 de julho.

A partir daí, a convocação começa a ser feita no dia 24 de julho pelas instituições para preenchimento das vagas em lista de espera. Os selecionados devem observar prazos, procedimentos e documentos exigidos para matrícula ou para registro acadêmico, estabelecidos em edital próprio da instituição, inclusive horários e locais de atendimento por ela definidos. (Fonte: Agência Brasil)

 

Mulheres grávidas devem se preocupar com a saúde vascular. Em alguns casos, a gestante pode ter trombose venosa profunda

 As alterações que ocorrem no corpo da mulher durante a gestação refletem na saúde em todos os aspectos, inclusive na circulação sanguínea e, principalmente, no sistema venoso. Inchaço e surgimento ou piora de varizes são os principais problemas apresentados durante os nove meses, principalmente pela elevação de hormônios femininos. Em casos mais graves, a gestante pode desenvolver a trombose venosa profunda (TVP), apesar de a incidência desse problema ser mínima.

De acordo com estimativas da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), há uma prevalência média da TVP de 38% na população geral brasileira, sendo encontrada em 30% dos homens e 45% das mulheres, levando em consideração todas as faixas etárias. Quanto mais idoso maior a prevalência sendo que 70% das pessoas acima dos 70 anos podem ter varizes. Os maiores fatores de risco são predisposição familiar, sexo feminino (proporção de até 2,3 para 1 homem), idade (quanto mais idoso maior a prevalência), obesidade. 

Nas mulheres, além das questões genéticas, idade e obesidade, o risco se intensifica de acordo com o aumento de gestações anteriores.

“Naturalmente, a gestação promove uma elevação significativa dos níveis hormonais, entre eles progesterona, estrogênio, gonadotrofina coriônica humana (hCG) e o hormônio lactogênio placentário (hPL). Cada um deles tem uma função para a progressão da gestação e sua manutenção. Mas, para o sistema venoso, isso acarreta uma dilatação das veias do organismo, tornando-as mais complacentes e volumosas, que aumentam com o decorrer da gestação e causam inchaço, cansaço, dor, vasinhos e veias aparentes e sensação de queimação nas pernas”, explica o cirurgião vascular Matheus Bertanha, membro da SBACV.  

O especialista explica, ainda, que a partir do sexto mês de gestação, com o crescimento do bebê e da extensão abdominal, o retorno venoso da gestante é prejudicado, dessa forma, o útero pode comprimir a veia cava e causar uma intensificação dos sintomas de inchaço e dor. Fatores como o histórico de TVP e antecedente pessoal para a ocorrência de abortos repetidos devem ser avaliados durante o acompanhamento gestacional. Alguns outros precedentes também podem influenciar negativamente na qualidade de vida da gestante, como por exemplo, histórico de uso de tabaco, obesidade, sedentarismo e até mesmo alguns transtornos psicológicos.

Durante a gravidez é muito importante realizar o acompanhamento com um angiologista ou cirurgião vascular, para esclarecimento de dúvidas e até mesmo para diminuir o sofrimento causado pelo aparecimento de vasinhos ou varizes. Assim, o médico será capaz de identificar um tratamento viável, como o uso de meias elásticas para controlar a vasodilatação dos membros das pernas e dos pés, uma vez que alguns medicamentos e procedimentos cirúrgicos podem ser altamente arriscados, tanto para a mãe quanto para a criança. “É importante que a gestante entenda que os tratamentos mais definitivos para os vasinhos e varizes devem esperar a gestação terminar, para também o organismo voltar ao seu estado hormonal não gravídico”, aconselha.

O médico explica que em casos de prevenção e tratamento de quadros tromboembólicos, como a TVP, pode ser necessário o uso de medicamentos específicos, comprovadamente seguros para o feto. Porém, é imprescindível um acompanhamento rigoroso do cirurgião  vascular e do ginecologista-obstetra.

Leve e moderada

A prática de atividades físicas pode ser muito benéfica para a saúde da mulher grávida. Os exercícios de intensidade leve e moderada, com baixo impacto, são muito eficientes para o equilíbrio da circulação periférica e devem ser realizados ao menos três vezes na semana, mas feito com cautela. “Gestantes devem ficar atentas para sinais de alerta como falta de ar persistente, tonturas, dor no peito, contrações regulares e dolorosas, sangramento ou corrimento vaginal, que devem indicar a suspensão imediata das atividades físicas e uma consulta ao ginecologista”, diz o especialista.

Outras formas de prevenção são o uso regular de meias elásticas, a alimentação saudável, evitar ganhar peso durante a gestação, caminhadas diárias e elevar as pernas algumas vezes por dia.

Já a angiologista e cirurgiã vascular Bruna Naves Vaz de Oliveira aconselha as gestantes a não se preocuparem excessivamente. “Uma grande parte [dos vasinhos e varizes] desaparece após o parto e durante os primeiros meses. O momento ideal para tratá-las é a partir do terceiro mês de amamentação”.

 

 O Itaú Unibanco disponibilizou todo o recurso disponível para a linha de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), criado para ajudar micro e pequenos negócios afetados pela pandemia do novo coronavírus. Já a Caixa Econômica Federal anunciou ampliação dos recursos para a linha de crédito.

Segundo o Itaú Unibanco, em apenas meia hora de oferta nesta segunda-feira (13), a instituição terminou de disponibilizar 100% do volume disponível para a linha. Ao todo, 37 mil micro e pequenas empresas clientes do banco privado receberam o total de R$ 3,7 bilhões.

Até a última sexta-feira (10), o banco havia concedido 70% dos R$ 3 bilhões então disponíveis para a linha.

“Finalizamos a concessão dos 30% restantes, que correspondiam a R$ 1 bilhão na primeira meia hora de operação nesta segunda-feira. Tivemos ainda um valor extra de R$ 700 milhões, solicitado durante o final de semana ao Banco do Brasil, administrador da linha, também já totalmente concedido aos nossos clientes neste mesmo período”, afirmou o diretor executivo comercial do Banco de Varejo do Itaú Unibanco, Carlos Vanzo.

Acréscimo de limite

A Caixa Econômica Federal chegou hoje a R$ 4,24 bilhões em créditos contratados por meio do Pronampe. Com isso, o banco recebeu do Ministério da Economia um acréscimo de limite, que passa a ser de R$ 5,9 bilhões.

Além do Pronampe, a Caixa oferece várias linhas de crédito para micro e pequenas empresas (MPE), como o Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), linha disponibilizada em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para microempreendedores individuais e MPEs. Somando as duas linhas, a Caixa superou R$ 6 bilhões para as MPEs.

Na última sexta-feira, o Banco do Brasil (BB) informou que obteve autorização do Ministério da Economia para amplia o orçamento do Pronampe em R$ 1,24 bilhão. O limite que a instituição pode emprestar passou para R$ 4,98 bilhões.

 

Hospital de Referência ganha mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva para pacientes com Covid-19 e Cuiabá chega a 115 leitos exclusivos. Com as novas estruturas, a Capital possui quase 50% do total disponibilizado em todo o estado de Mato Grosso

O prefeito Emanuel Pinheiro anunciou nesta segunda-feira (13) que Cuiabá passa a contar com mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento, exclusivo, de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus (Covid-19). As estruturas foram montadas no Hospital Municipal de Referência (antigo Pronto Socorro) e já estão em funcionamento. 

Dessa forma, a Capital salta dos 95 leitos atuais para 115, o que representa quase 50% do total disponibilizado em todo o estado de Mato Grosso. As UTIs foram instaladas contando também com o apoio do deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, que conseguiu no Ministério Público a transferência de 40 aparelhos respiradores para Cuiabá. 

“Com a abertura das novas UTIs, o Hospital Municipal de Referência passa de 55 para 75 leitos em pleno funcionamento. Além disso, o Hospital São Benedito também conta com outros 40 leitos. Pelo boletim do Governo do Estado existem 265 leitos pactuados em todo Mato Grosso. Ou seja, somente Cuiabá representa quase 50% desse total. Estamos estruturando a nossa rede de saúde e fortalecendo essa verdadeira cruzada pela vida”, explica Pinheiro. 

O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto destacou que a abertura dos novos leitos ratifica a importância de um trabalho harmônico entre todos os Poderes. “Precisamos ter essa unidade, principalmente nesse momento de pandemia. Foi quase um mês de articulação, mas essa é a nossa missão. Cuiabá e todo o estado pode continuar contando com o nosso trabalho”, disse. 

O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Misael Galvão, também destacou a união das diferentes esferas públicas e reforçou a disposição do parlamento municipal para continuar contribuindo com a Capital. “É fundamental nesse momento ver esse diálogo constante dos Poderes, diante dessa pandemia. Estamos agradecidos por ver as necessidades da população sendo atendidas”, pontuou. 

 

Domingo, 12 Julho 2020 05:00

O encanto do perlage

Mundo descobre qualidade e se encanta com diversidade dos rótulos nacionais

O espumante brasileiro abriu as portas para o mundo. O reconhecimento da qualidade das borbulhas ‘brazucas’ é fato consumado, defendido por críticos internacionais e avalizado pelas milhares de medalhas mundo afora, se confirmando no avanço das exportações e no aumento do consumo interno. Foi com esta bebida que as vinícolas conseguiram espaço para mostrar o que vêm fazendo em relação aos vinhos tranquilos. E o que se vê nos últimos anos é um crescimento contínuo na valorização deste produto. Das 259 medalhas conquistadas em 2019, 37% foram para vinhos tranquilos, uma representatividade nunca antes alcançada.
A Associação Brasileira de Enologia (ABE), que atua focada na qualificação do enólogo e, consequentemente, na qualidade e promoção do vinho brasileiro, acompanha bem de perto esta evolução, tanto na coordenação do envio das amostras para concursos internacionais quanto pela Avaliação Nacional de Vinhos, que analisa cada safra há 28 anos, servindo de termômetro e parâmetro para os avanços do setor. “Nos últimos 10 anos fomos presenteados com safras espetaculares. Este ano, então, foi excepcional, tanto que a chamamos de ‘A Safra das Safras’. Nós, enólogos, e vinícolas, não perdemos tempo. Avançamos, evoluímos, e muito em tão pouco tempo, em tecnologia e conhecimento, aproveitando o que a mãe natureza nos deu. O resultado está aí para todos degustarem e vem agradando cada vez mais apreciadores de vinhos”, comemora o presidente da entidade, enólogo Daniel Salvador.
Ele alerta os consumidores para que descubram rótulos nacionais dos últimos anos, destacando a Safra de 2018 e agora a de 2020 que logo estará no mercado. “Se compararmos o Brasil a países do Velho Mundo, tradicionais na elaboração de vinhos como Portugal, França, Espanha e Itália, podemos dizer que evoluímos 100 anos em 10 anos. Tanto que somos convidados a participar de concursos mundiais com a chancela da Organização Internacional da Vinha e do Vinho, entidade com sede em Paris que está sob a presidência da brasileira Regina Vanderlinde. Ou seja, temos voz no mundo dos vinhos e isso nos orgulha e nos move a seguir investindo”, ressalta.
Este avanço refletiu diretamente no consumo interno, rompendo pela primeira vez a barreira dos 2 litros per capita no ano passado. Já é algo a comemorar, mas se comparado a Portugal, por exemplo, que lidera o ranking segundo a OIV, onde o consumo per capita ultrapassa os 60 litros, o Brasil tem muito para crescer. Em 2019, o consumo total no Brasil foi de 380,4 milhões de litros, destes pouco mais de 100 milhões são de vinhos finos, onde a produção nacional é de apenas 50 milhões de litros.
A vez dos vinhos brasileiros

Esta tríplice de fatores tem influenciado diretamente a quebrar paradigmas em relação ao vinho brasileiro, que passa a ser mais valorizado no mercado interno. Com a pandemia, o hábito de apreciar um vinho em casa não apenas levou o consumidor a pesquisar e comprar mais pela internet como nos supermercados, como também vem permitindo conhecer melhor o que o Brasil tem feito. “Vinho é cultura, é arte, é história, é experiência. O melhor a fazer é provar diferentes rótulos para conhecer as preferências do próprio paladar. E sugiro, ainda, fazer isso entre amigos e às cegas, evitando preconceitos e fazendo novas descobertas. Façam isso com rótulos de diferentes procedências e verão que o Brasil dos vinhos é orgulho nacional”, provoca Salvador.
Além da qualidade, a diversidade de estilos também é um chamariz para quem aprecia vinhos e busca por novidades, característica peculiar ao Brasil que, por muitos especialistas, é considerado um continente diante das variantes de solo e clima do país. Hoje, são 26 regiões produtoras em 10 estados brasileiros e cada uma com suas particularidades. E para quem diz que o vinho brasileiro é caro, o mercado mostra que existem dezenas de opções de bons rótulos a partir de R$ 20, avançando conforme a categoria. Grande parte oscila entre R$ 40 e R$ 60, com excelente relação custo-benefício.

Página 127 de 166