Blog da Condessa

Blog da Condessa

O motivo da queda, segundo o IBGE, foi a pandemia do novo coronavírus

O recuo de 2% do consumo das famílias no primeiro trimestre deste ano na comparação com o último trimestre do ano passado foi a queda mais intensa desde 2001, quando houve uma crise de fornecimento elétrico, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O motivo da queda, segundo o IBGE, foi a pandemia do novo coronavírus e as consequentes medidas de isolamento social colocadas em prática por vários governos estaduais e municipais para combater a disseminação da doença.

O comportamento do consumo das famílias teve um impacto importante no Produto Interno Bruto (é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) do trimestre, que caiu 1,5% na comparação com o trimestre anterior. O maior impacto causado pela queda do consumo das famílias foi sentido pelo setor de serviços, que responde por 74% da economia brasileira.

Entre as atividades de serviços pesquisadas, as principais quedas ocorreram nos outros serviços (-4,6%), transporte, armazenagem e correio (-2,4%), informação e comunicação (-1,9%) e comércio (-0,8%). Também houve quedas nos segmentos de administração, saúde e educação pública (-0,5%), intermediação financeira e seguros (-0,1%). O único setor com alta foi o de atividades imobiliárias (0,4%).

Além do consumo das famílias, as exportações caíram 0,9%. Essa queda da demanda também teve impactos na indústria, que recuou 1,4%. As atividades industriais tiveram as seguintes taxas de queda: setor extrativo (-3,2%), construção (-2,4%), indústrias de transformação (-1,4%) e atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-0,1%). (Fonte: Agência Brasil)

 Universidades e faculdades públicas e particulares preparam-se para receber novos estudantes diante das incertezas causadas pela pandemia do novo coronavírus. Para quem já está matriculado, aulas totalmente suspensas ou aulas remotas tornaram-se rotina. Como ficam, então, as novas matrículas? Uma das preocupações é com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que impacta não apenas os estudantes, que têm que se preparar para o exame em um cenário adverso, mas também as instituições de ensino, que precisam estar preparadas para receber os calouros.

O Enem é a principal forma de ingresso no ensino superior no país e o exame mais esperado por milhares de estudantes. Com a nota do Enem, é possível ingressar em instituições públicas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), pleitear bolsas de estudo em faculdades particulares pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e obter financiamento das mensalidades pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). 

A pandemia do novo coronavírus mudou o cenário do ensino superior no Brasil e trouxe uma série de incertezas. Na semana passada, o Enem foi adiado, a pedido de estudantes e instituições de ensino. Ainda não há data definida para a realização do exame.

Nas universidades federais, as aulas presenciais estão majoritariamente suspensas, de acordo com o vice-presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira Brasil. Mesmo com o adiamento do exame, a preocupação é em conseguir cumprir os semestres letivos.

Nas federais, nem mesmo o primeiro semestre de 2020 foi concluído. “A gente não terminou nem de receber os alunos do primeiro semestre de 2020. Já temos os alunos do segundo semestre de 2020 selecionados [no caso da UFG], que provavelmente só entrarão na universidade mais adiante. Impossível receber dois semestres ao mesmo tempo. Então, o Enem vai ter efeito para o ingresso no primeiro semestre de 2021 e a gente não sabe quando será”. Ele explica que o os semestres letivos diferem do calendário regular podendo inclusive extrapolar para o ano seguinte. 

As instituições públicas discutem qual a melhor forma de retomar as aulas presenciais, mas ainda não sabem quando isso ocorrerá. “A discussão que toma conta da universidade hoje não é quando voltar mas como será a volta. Quais as discussões que a gente precisa ter, desde discussões do ambiente, infraestrutura, higiene, movimentação dos ônibus de estudantes, entre outras”, diz. A Andifes tem realizado seminários para discutir quais são as medidas necessárias para a retomada das atividades presenciais, medidas para serem tomadas no curto, no médio e no longo prazo, levando em consideração as condições da evolução da pandemia em cada local onde está inserida a universidade federal. 

O ideal, de acordo com o reitor é que, ao invés de se fixar uma data para o Enem, a situação seja reavaliada mais para frente, de acordo com evolução da pandemia. “Têm outras etapas que precisam ser cumpridas. Ainda precisamos terminar de matricular o primeiro semestre de 2020”, diz e acrescenta: “Tem uma série de atividades que exigem que estudantes apresentem documentos que muitas vezes não estão sendo oferecidos pelas escolas. Muitos alunos não vão conseguir sequer trazer comprovante de renda ou de escolaridade.”

Instituições privadas

Nas instituições particulares de ensino superior, o cenário é diferente. Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes) mostra que, até o fim de abril, 78% das faculdades haviam migrado as aulas para ambientes virtuais. O semestre letivo, então, seguiu para a maior parte desses alunos. 

“Estamos em um excepcionalidade, ninguém escolheu passar por isso. As decisões têm que ser pensadas observando o todo, estamos discutindo o adiamento para não prejudicar os alunos, mas não podemos colocar em risco todo o sistema. Pode haver adiamento, desde que não comprometa a entrada de novos ingressantes, [tendo como] limite o calendário de 2021”, defende o diretor executivo da Abmes, Sólon Caldas. 

O setor privado concentra, de acordo com o último Censo da Educação Superior, de 2018, 75% das matrículas nessa etapa de ensino. O setor já vinha, de acordo com o diretor-executivo do Semesp, entidade que também representa mantenedoras de ensino superior do Brasil, Rodrigo Capelato, antes da pandemia, pleiteando a antecipação dos processos seletivos do Enem. Isso porque, geralmente, os estudantes esperam a finalização de todos os processos, do Sisu, ProUni e Fies para somente então realizarem as matrículas nas instituições privadas. 

“Isso já vinha sendo um grande complicador porque as aulas, para cumprir calendário, começam em fevereiro e temos alunos entrando em março. Tem sido um dificultador muito grande para as instituições. Se eu adiar 30 dias [o Enem], na melhor das hipóteses, se mantiver esse processo, o calendário fica impossível. Os alunos vão entrar em abril, em maio, fica inviável de cumprir calendário letivo. Isso é preocupante para a gente”, diz.

O Semesp defende que haja mudanças no exame, como a realização da prova em apenas um dia e não em dois, como é feito atualmente. Defende também que não haja prova de redação este ano, para que a correção seja acelerada. Para equilibrar a desigualdade entre os estudantes, a entidade defende a ampliação da porcentagem de vagas destinadas aos estudantes de escolas públicas nas federais - a reserva atual é de 50% - e a revisão das notas mínimas necessárias para participar do ProUni e do Fies. “[Defendemos] que os critérios mínimos de entrada nesses programas sociais sejam revistos. Não posso deixar vagas sobrando, nem ProUni, nem no Fies, nem no Sisu”, diz. 

Desigualdade no preparo

Devido a pandemia, os estudantes de ensino médio, que são público alvo do Enem, estão também com as aulas presenciais suspensas. Há, portanto, diferenças no preparo desses estudantes para o exame, o que, segundo o professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Campanha Nacional pelo Direito à Educação Daniel Cara, pode gerar injustiças no resultado da prova. 

Para o professor, o exame deve ser realizado após a finalização do ano letivo nas escolas de ensino médio. A data de conclusão varia de acordo com a rede de ensino. Em algumas, as aulas remotas contarão no calendário, em outras, não, e as disciplinas ainda serão repostas após o retorno às atividades presenciais. “Isso vai retardar o calendário das universidades? Vai. Mas, é o mínimo de justiça em relação ao exame, que é um exame tão relevante.” 

“Muitos alunos vão prestar o exame sob uma enorme insegurança. Insegurança de conclusão do ano letivo, insegurança em relação à capacidade de responder o exame”, diz e acrescenta: “Se as secretarias estaduais de educação continuarem na linha que vêm adotando, esse vai ser um ano perdido em termos de aprendizado, porque fizeram educação a distância sem nenhum projeto pedagógico. Tinha outra alternativa? Não tinha alternativa. Mas, era preciso ter projeto pedagógico e projeto de distribuição de equipamentos, de equipar os alunos de condições para poder cursar as teleaulas e isso não foi feito.” 

Adiamento

O MEC decidiu adiar o Enem 2020 em função dos impactos da pandemia do novo coronavírus. De acordo com a pasta, as datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais. O cronograma previa a aplicação do Enem 2020 impresso nos dias 1º e 8 de novembro. Já os participantes da versão digital fariam, inicialmente, a prova nos dias 11 e 18 de outubro. Essa data foi, posteriormente, adiada para 22 e 29 de novembro. 

Para definir a nova data, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. (Fonte: Agência Brasil)

 

Portaria do MEC  autorizou a colação de grau antecipada de alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia para atuação no combate à pandemia de coronavírus

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) realizará colação de grau antecipada de 30 acadêmicos de Medicina, em cerimônia solene nesta sexta-feira (29/05), a partir das 15h00, na sede da Reitoria em Cáceres. A sessão ocorrerá de forma presencial, com adoção de todas as medidas de segurança e distanciamento social.

A antecipação da formatura do curso de Medicina acontece em caráter excepcional, em razão da pandemia Covid-19, com base na Medida Provisória nº 934 e Portaria do Ministério da Educação nº 383, de 9 de abril de 2020, e Parecer favorável nº 94/2020, do Conselho Estadual de Educação (Ceps-CEE/MT).

ACOMPANHE ONLINE: Visando garantir o distanciamento e a segurança dos formandos em época de pandemia, só será permitida a entrada no local da formatura de pessoas convidadas e autorizadas. A Cerimônia poderá ser acompanhada online. Será feita transmissão ao vivo pelo Facebook oficial da Unemat. Para assistir, não é necessário fazer inscrição. Acesse: www.facebook.com/UnematOficial.

 SERVIÇO: Colação de Grau antecipada de Medicina

Local: Sede Administrativa da Unemat, em Cáceres.

Horário: 15h, 16h e 17h00 (A turma será dividida em três grupos, de 10 formandos cada, visando garantir o distanciamento).

Contato: (65) 99634-3790.

 

Em relação aos bares, restaurante, lanchonetes e congêneres, a retomada acontece a partir do dia 8 de junho

O prefeito Emanuel Pinheiro estabeleceu para a primeira semana de junho o início da retomada das atividades de shoppings centers, bares, restaurantes e similares, instalados na Capital. A decisão consta no decreto nº 7.929, assinado na quinta-feira (28) pelo chefe do Executivo municipal. Além das datas de retorno, o documento fixa um série de ações de biossegurança que deverão ser adotadas pelos estabelecimentos. 

A suspensão do funcionamento desse segmento comercial foi uma das medidas adotadas pela Prefeitura de Cuiabá como forma de inibir a proliferação do contágio do novo coronavírus (Covid-19). Agora, o setor volta ao funcionamento, com base em dados técnico-científicos e indicadores que garantem a segurança necessária para o desenvolvimento das atividades, seguindo os cuidados primordiais para a preservação da saúde pública. 

"Já tínhamos estabelecido esses retornos, de forma gradual, em outros decretos. Nesse período, mantemos um constante diálogo com os setores e sempre garantimos que no momento certo adotaríamos essa medida. Estamos sendo responsáveis em toda decisão, para não colocar a perder todo resultado positivo que conquistamos. Por quase 80 dias promovemos o isolamento social e graças a essas medidas que mantemos certo controle da pandemia", explica o prefeito. 

De acordo com o cronograma de retorno gradual, as atividades varejistas dos shoppings centers voltam a abrir as portas na próxima quarta-feira (3), com horário de atendimento de segunda-feira à sábado, das 14h às 22h, vedado o funcionamento aos domingos e feriados. Somado a isso, o sistema delivery desses estabelecimentos pode operar de segunda-feira a domingo, das 10h às 22h. 

Na mesma data, também ficou definida a volta dos trabalhos no Shopping Popular de Cuiabá. Para o local, todavia, o horário estabelecido é de segunda à sábado, das 09h às 17h. Além disso, o funcionamento ocorrerá mediante a limitação de abertura de 50% do boxs, com alternância de datas, a fim de possibilitar que todos os empreendimentos funcionem em dado período de tempo.

Tanto para os shoppings centers quanto para o Shopping Popular, o decreto determina que, até o dia 30 de junho, a lotação máxima permitida é de 30% da capacidade total dos espaços. Após essa data será permitido o funcionamento com 50% da capacidade. Caso o limite seja ultrapassado, as portarias, bem como os acessos ao estacionamento devem ser fechados, até que a saída de pessoas justifique as novas entradas.

Em relação aos bares, restaurante, lanchonetes e congêneres, a retomada acontece a partir do dia 8 de junho, de terça a domingo (e feriados), das 11h às 15h para almoço, e das 18h30 às 23h para jantar. Os estabelecimentos também deverão adotar medidas como controle do fluxo pessoas, distanciamento mínimo de 1,5m de uma pessoa para outra, distanciamento mínimo de 2m entre as mesas, e desinfecção das mesas e cadeiras, antes e após cada utilização. 

"Estamos cada vez mais sendo rigorosos nas medidas de biossegurança que devem ser adotadas por esses estabelecimentos. Por exemplo, exigimos a utilização de máscara por todas as pessoas, desinfecção total do ambiente, aferição da temperatura, entre outras. São regras que valerão até quando verificarmos a necessidade e que podem ser modificadas a qualquer momento, dependendo do monitoramento da Covid-19 na Capital", pontua Pinheiro.

Continuam suspensas as atividades de estabelecimentos de ensino, academias, parques e espaços kids internos e externos, cinemas e demais atividades de entretenimento exercidas nos shoppings centers.

 

Quinta, 28 Mai 2020 09:35

Crise econômica e a Covid-19

Artigo de Misael Galvão, presidente da Câmara Municipal de Cuiabá*

 

Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa delas, pois o Senhor, o seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca os abandonará".

Deuteronômio 31:6

A crise pala qual estamos passando em função da pandemia do coronavírus é a maior já enfrentada por nossa geração. O mundo foi pego de surpresa. Mas para os países que não passaram por conflitos ou catástrofes de alta escala social, como guerras, ou desastres da natureza como tufões, maremotos e outros, este impacto do ponto de vista emocional ainda é maior. Por isso as reações são muito desconectadas, causando ainda mais prejuízo. As reações vão do negacionismo ao desespero.

Em nossa querida Cuiabá não tem sido diferente não mesmo. Entre o medo da doença, de perder o emprego, de falir, ou mesmo de não ter com que comprar a comida, está colocando todos nós em conflitos com os governos federal, estadual ou municipal. Isto tem gerado inclusive um descompasso no próprio comportamento das pessoas, que vai desde a revolta com todos e com tudo, dos conflitos fervorosos em redes sociais, até a desobediência das normas estabelecidas mundialmente. 

O momento é difícil, mas precisamos nos reorganizar mesmo dentro da crise para que seu impacto não seja ainda maior sobre as nossas vidas além do que já está sendo e ainda poderá vir a ser é uma futurologia difícil de fazer.

A vida, de uma forma ou outra, está ligada ao trabalho e a renda, é indissociável não tem como separar. Temos que prioritariamente pensar na saúde, porque sem saúde e sem vida não há trabalho. É dialético o bastante este enfrentamento. As estruturas hospitalares de Cuiabá e Várzea Grande para atender os pacientes com a covid-19 já está com número bastante robusto para dar mais tranquilidade no atendimento. Por isso, com muita cautela, rigor e disciplina por parte de toda a sociedade lembrando a sociedade faz-se necessário pensar urgentemente no trabalho e no emprego em sua totalidade gradativa.

Na luta pela sobrevivência todos nós sofremos, mas quem mais sofre é aquele que já não tinha nada antes desta pandemia, ou quem tinha pouco o suficiente para sobreviver. O impacto começa da periferia econômica para o centro financeiro e não o inverso. Aqui estou falando dos ambulantes, feirantes, guia turístico, artesãos, autônomos, pequenos e grandes comerciantes, prestadores de serviço e de seus colaboradores, as grandes empresas, indústrias, logísticas e multinacionais que são grandes geradores de emprego. Assim como todos aqueles que atuam como funcionários no comércio em geral que sobrevivem dos seus salários que muitos já o perderam. Se a empresa não funciona, ela demite; esta é a lógica atual.

A cidade precisa funcionar logo e as perguntas que temos que fazer agora é: como voltar ao funcionamento sem colocar a saúde das pessoas em risco? Qual protocolo sanitário é necessário para darmos esta tranquilidade para a sociedade como um todo? Como voltar a funcionar e reconquistar a clientela perdida?

A sociedade espera de nós, o poder público, estas e outras respostas. A Câmara Municipal de Cuiabá estará engajada para agregar valor a todas as ações em defesa da vida e da retomada da funcionalidade e desenvolvimento. Sabemos das dificuldades, mas não fugiremos da luta por dias melhores, os temas dos pais de família que estão sendo nossas pautas diárias. Como afirmou o Apóstolo Paulo,“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 1 Coríntios 13:4-7. 

Temos que ter sempre a consciência de que atrás de um CNPJ, existem muitos CPFs que dependem deste trabalho. Afinal aqui a casa é do cidadão, aqui você é presente e representado!

 

 

 

As vagas são oferecidas com base nas notas do Enem

 O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ofertará, a partir do segundo semestre, vagas para cursos de ensino a distância (EaD). A nova modalidade de oferta foi publicada em portaria no Diário Oficial da União no último dia 25. O Sisu oferta vagas em instituições públicas de ensino superior com base nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A portaria determina ainda que as instituições de ensino superior devem disponibilizar um meio digital para que o estudante entregue a documentação necessária para a matrícula. Além disso, as instituições devem publicar na internet a lista de espera por curso, turno e modalidade de concorrência, assim como a sistemática adotada para convocação dos candidatos.

Adesão

O Ministério da Educação (MEC) já divulgou o cronograma para adesão das instituições de educação superior públicas ao processo seletivo do segundo semestre do Sisu. O prazo de adesão até a sexta-feira (29), às 23h59. Já o prazo de retificação do termo de adesão tem início no dia 1º de junho e se encerra 5 de junho, às 23h59. (Fonte:Agência Brasil )

 

 

IFMT inicia exames de COVID-19 no Laboratório de Biotecnologia em parceria com a prefeitura da capital

O Campus Cuiabá - Bela Vista do Instituto Federal de Mato Grosso iniciou na quarta-feira (27), a realização de exames laboratoriais para o diagnóstico de COVID-19, em parceria com a Prefeitura de Cuiabá. O anúncio oficial foi realizado pelo prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro, e pelo diretor-geral do Campus, Deiver Teixeira.

Para a realização dos exames, a Prefeitura de Cuiabá adquiriu um equipamento RT-PCR, ideal para a análise de amostras, que será utilizado por uma equipe de profissionais da área de bioquímica do Campus Cuiabá – Bela Vista. O equipamento foi doado ao Campus e será de utilização permanente do laboratório. As amostras serão coletadas nas unidades de saúde públicas que fazem enfrentamento à COVID-19 e encaminhadas ao laboratório, que está credenciado junto ao Laboratório Central do Estado de Mato Grosso (Lacen) para a análise e emissão de resultados.

De acordo com o diretor-geral, Deiver Teixeira, o Campus Cuiabá – Bela Vista trabalhou nas medidas administrativas junto aos órgãos competentes para a viabilização dos trabalhos em tempo célere. “Estamos trabalhando na estruturação e credenciamento do laboratório desde o registro dos primeiros casos no país. No Campus, temos como foco a produção científica com qualidade e, mais que isso, o compartilhamento desde conhecimento junto à sociedade. Neste momento delicado, temos a oportunidade de, mais uma vez, direcionar nossa produção para uma causa urgente e necessária. O Campus Cuiabá – Bela Vista não medirá esforços para, dentro da nossa área de conhecimento, colaborar com o que for preciso para o combate à pandemia de COVID-19”.

A aquisição do equipamento representa um investimento único no trabalho de salvar e proteger vidas, conforme o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro. “A preocupação maior da prefeitura é implementar o plano de contingenciamento e mitigação da pandemia. Neste sentido, nossa meta é aumentar a quantidade de exames realizados na nossa capital e desafogar a demanda do Laboratório Central do Estado”, destacou. Ainda conforme o prefeito, o laboratório irá receber os testes das unidades de saúde e garantir mais agilidade na divulgação dos diagnósticos.

De acordo com a coordenadora do projeto no Campus, professora Sandra Mariotto, o equipamento – chamado de RT-PCR ou PCR em Tempo Real - permite a amplificação da região gênica de um organismo, no caso o novo Coronavírus, para a identificação. “Este trabalho será realizado no laboratório de Biotecnologia do Campus Cuiabá – Bela Vista, com uma capacidade inicial de 5 mil análises. Estamos em contato com outros parceiros para a aquisição de mais kits e ampliarmos esta capacidade”. Sandra é professora do Campus Cuiabá – Bela Vista, Doutora em Genética e Evolução pela Universidade Federal de São Carlos (2008).

Mariotto destaca que a equipe formada por professores especializados na área de Bioquímica e Biotecnologia passou por preparação para analisar as amostras. “Estudamos o desenho experimental do processo de análises e fomos capacitados também pelo Laboratório Central do Estado para efetivar o credenciamento do nosso laboratório”. O equipamento poderá ser utilizado futuramente para análise de outros micro-organismos, caso necessário.

Outros parceiros

Além da Prefeitura de Cuiabá, a iniciativa do Campus Cuiabá - Bela Vista também contou com o apoio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), por meio do Comitê Interinstitucional Gestor de Ações Afirmativas, que aprovou o investimento de 117,7 mil reais para aquisição de equipamentos e kits para realizar testes do novo Coronavírus (Covid-19) na população.

Os recursos foram liberados após a instituição de ensino apresentar um projeto ao Comitê, formado pela Justiça do Trabalho, Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

 

Quarta, 27 Mai 2020 10:25

Os tratamentos para enurese noturna

A perda involuntária de urina durante o sono em crianças com mais de 5 anos é uma situação que acomete mais meninos do que meninas, e gera muitos transtornos tanto para a criança quanto para a família

De acordo com a International Children’s Continence Society (ICCS), a enurese com a terminologia científica é muito comum. Aflige 5-10% de crianças menores de dez anos, e uma pequena porcentagem de adolescentes também. Meninos são um pouco mais afetados do que as meninas.

Quando os pais urinaram na cama há uma chance de 75% das crianças também apresentarem esse problema. Quando apenas um pai teve enurese noturna, essa chance é de 45%.

Segundo Karla Mercedes, fisioterapeuta pélvica infantil, punir seu filho nesse momento não vai ajudar. “A enurese noturna pode ocasionar sérios efeitos psicológicos que são agravados com a inabilidade dos pais em lidar com esse problema, sobretudo quando a criança é punida”, observou a especialista.

 A autoestima da criança pode ficar abalada. A criança se sente ofendida e embaraçada, refletindo nas demais atividades sociais em geral. Também, crianças com enurese noturna normalmente têm uma dificuldade maior de acordar que aquelas sem enurese.

De acordo com a médica, não há um exato entendimento acerca das causas da enurese noturna nas crianças acima de 5 anos de idade. “No entanto, existem vários fatores que podem influenciar na função da bexiga e podem resultar em perdas de urina na cama: Normalmente, a enurese noturna está relacionada à imaturidade neurofisiológica”, disse Mercedes. 

Antigamente, a enurese era considerada uma alteração de comportamento da criança, que muitas vezes eram submetidas a castigos e punições. Atualmente, sabe-se que fazer xixi na cama não é “culpa” da criança. São alterações orgânicas e hormonais que justificam esse problema.

Quando devemos nos preocupar com a enurese noturna?

Antes dos 5 anos de idade é normal fazer xixi na cama e não há necessidade de tratamento. Após os 5 anos de idade, crianças que ainda apresentem enurese noturna devem ser tratadas.

“Atualmente, conseguimos, por meio de avaliação médica e fisioterapêutica, identificar com maior precisão a causa do xixi na cama e, a partir de um diagnóstico mais detalhado, podemos oferecer o tratamento mais adequado para cada criança”, conclui.

 

 

Cursos de Extensão Cultural Online supera expectativas e bate recorde de inscrições

Superando todas as expectativas, as inscrições para os Cursos de Extensão Cultural Online em teatro da MT Escola de Teatro, credenciada pela Universidade de Mato Grosso (Unemat), já conta com mais de 1.500 candidatos, oriundos de todo o mundo. Sendo 584 do Sudeste, 459 da região Centro Oeste - 332 somente de Mato Grosso, 336 do Nordeste, 126 do Sul, 56 do Norte, 2 de Portugal, 1 do Chile e 1 de Moçambique.

O volume de inscrições surpreendeu até mesmo o diretor artístico da MT Escola, Flávio Ferreira. "Superou todas as expectativas e a procura foi surpreendente. A força que está ganhando é superimportante e demonstra que a escola veio para ficar, consolidando o trabalho da MT Escola e fortalecendo a arte e o teatro em Mato Grosso", destaca.

São, ao todo, vinte cursos na modalidade online, com ênfase nas áreas de teatro, dança, cinema, literatura, música, artes visuais e em áreas que visem a promoção, valorização e/ou fortalecimento da identidade, da imagem, da história, da tradição e/ou das expressões dos diversos grupos e manifestações culturais da cultura popular, tradicional, urbana, negra, indígena e/ou plural.

Para Rodolfo Garcia, coordenador pedagógico da MT Escola de Teatro, a enorme procura demonstra a força do teatro em Mato Grosso. "Comemoramos esse imenso sucesso de busca para os cursos online nessa iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), aliado à Unemat, Adaap e Cena Onze, com apelo internacional", ressalta.

Segundo a professora Naine Terena, que trabalha com educação a distância desde 2004, a modalidade acredita que é sempre uma boa oportunidade de expansão educativa e cultural. "Elaborei o curso com a colaboração do professor Libério, que é da etnia Boe Bororo e faz parte de uma série de atividades que costumo oferecer durante o ano, não só em Cuiabá, mas também em outras cidades. Pela experiência que tenho com cursos online, percebo que eles conseguem um alcance muito maior de pessoas", revela.

A Extensão Cultural é uma importantíssima linha de qualificação profissional, que tem o objetivo de oferecer cursos estabelecendo assim uma ponte direta com criadores e pensadores de outras esferas, mobilizando a população, artistas e profissionais de diversas áreas interessados em aperfeiçoar ou ampliar seus conhecimentos no campo das artes, da filosofia e outros conhecimentos. A intenção é oferecer à comunidade o acesso gratuito à formação em áreas artísticas e culturais em geral.

"Como são 293 vagas disponibilizadas neste momento, calculamos que houve uma concorrência de 10 por 1. Quero dizer que cada inscrito pode ter certeza que nos debruçamos sobre essas inscrições, com a maior responsabilidade do mundo, lendo com muito carinho e atenção cada material, para que essa primeira edição seja um encontro incrível", observa Thereza Azevedo, mestre em Estudos de Cultura Contemporânea, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Mais informações, como resultados e datas de início das aulas podem ser acessadas no site da MT Escola ou no telefone: (65)99339-8441.

Sobre a MT Escola de Teatro

A MT Escola de Teatro é um polo de formação que funciona no Cine Teatro Cuiabá, com a gestão da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e Associação Cultural Cena Onze. O curso de tecnologia em Teatro tem a parceria da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e da Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap/SP).

Várzea Grande acelera obras e amplia atendimento em unidades de saúde.Além da UBS do bairro Santa Isabel já inaugurada outras duas estão 98% concluídas e mais três em obras

Respeitando a Lei, mas reforçando o momento de emergência vivenciado por causa da pandemia do Covid-19, a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, cobrou do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus e a Secretaria Municipal de Saúde que acelere as obras das novas unidades de saúde que atendem a Atenção Básica da segunda maior cidade de Mato Grosso.

Além disso foi concretizado pelo Ministério da Saúde, o credenciamento das sete unidades de saúde que estão funcionando com hora estendida das 8 às 19 horas para que todos tenham acesso aos serviços de Atenção Básica, aonde são solucionados 92% dos problemas de saúde da população, deixando o Hospital Pronto Socorro e as Upas Ipase e Farid Seror no Grande Cristo Rei para os casos de urgências e emergências.

“Após a inauguração do Unidade Básica de Saúde – UBS do Santa Isabel, ocorrida no último dia 14 de maio em comemoração aos 153 Anos de Fundação da cidade de Várzea Grande já temos condições nos próximos dias de entregar mais duas unidades, no Jardim Eldorado e no bairro Alameda”, disse a prefeita sinalizando ainda por acelerar, “sem perder a qualidade das obras” nos bairros Cabo Michel, São Mateus e Jardim Maringá.

Segundo a prefeita, a Rede Pública de Saúde funciona com base em estratégias montadas que envolvem os Governos Federal com repasses de recursos, Estadual com recursos e estrutura e Municipal com recursos e estrutura. “Já temos o Hospital Metropolitano funcionando a pleno vapor com mais de 200 leitos entregues pelo governador Mauro Mendes e nossa estrutura municipal atendendo as demandas, sem contar que retomamos os atendimentos da Clínica Escola de Medicina do Centro Universitário de Várzea Grande – UNIVAG em parceria com a prefeitura de Várzea Grande.

Para Lucimar Campos, se todos os atores envolvidos neste processo cumprirem com seus papéis e a população ajudar se mantendo isolada ou trabalhando em home office para os que podem ou se resguardando na sua segurança e na segurança dos demais com os meios necessários como distância de 1,5 metros entre as pessoas, uso de máscaras constantemente e luvas quando necessários e meios de higienização rigorosos, a pandemia passará e teremos que aprender com os erros e acertos para que ninguém passe novamente por um momento como este.

O secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes sinalizou que o Plano de Contingência desenvolvimento em parceria com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Cuiabá tem funcionado, mas que é essencial que a população participe e se previna, pois a mais importante ação é o isolamento social para os que podem fazer, deixando para os que não podem, que trabalhem e se utilizem dos meios de segurança necessários, não apenas consigo mesmo, mas com os que se relacionam com ele.

“Nunca a conscientização coletiva foi tão essencial para a população mundial. As diferentes experiências demonstram que países, continentes, nações tem realidades divergentes e por isso precisam se adequar a mesma para que o modo de vida seja preservado e aqueles mais necessitados possam ser atendidos pela Saúde Pública que buscam apenas um resultado e ainda manter a vida das pessoas”, disse ele.

Diógenes Marcondes assinalou que tem constantemente se reunido com os responsáveis pelas obras das unidades de saúde para acelerar o que é possível, sem perder a qualidade nos serviços, assim como tem redobrado os cuidados com todos os servidores da área de saúde que atuam diretamente no tratamento de doentes com o Covid-19 para fazer o enfrentamento da doença.

“Em até 60 dias estaremos com mais duas novas unidades prontas (Jardim Eldorado e Alameda)  funcionando, enquanto as obras das demais (São Mateus, Cabo Michel e Maringá) seguem em ritmo acelerado, lembrando que este é um pacote que foi resgatado pela prefeita Lucimar Sacre de Campos, após ficaram por anos paralisadas por causa de irregularidades na execução das obras da gestão anterior”, disse o titular da Saúde de Várzea Grande.

Ele aproveitou para explicar que o credenciamento das unidades que possibilita o funcionamento em hora estendida regulariza ainda parte do pagamento de gratificações aos servidores da saúde que estão atuando diretamente no combate ao Covid-19. “Temos uma série de medidas adotadas em comum acordo com o Ministério da Saúde para valorização daqueles servidores que arriscam a vida para atender e manter a vida de outras pessoas, por isso que é importante fazer o sistema funcionar e contemplar a população com uma saúde presente e dentro do possível resolutiva, mas ao mesmo tempo, atender as necessidades dos servidores da saúde pública, mas com transparência, eficiência e principalmente dentro da lei e da ordem”, disse o secretário de Saúde de Várzea Grande.

 

Página 130 de 157