Blog da Condessa

Blog da Condessa

Terça, 01 Junho 2021 05:00

Rota da Ancestralidade

Projeto quer resgatar a influência africana na cultura e história cuiabanas. Programação reuniu música e manifestações artísticas para contar um pouco da história de personalidades locais.

A programação cultural do Beco do Candeeiro, a primeira rua de Cuiabá, movimentou a última sexta-feira (28), no centro histórico. O grupo Raízes do Samba foi o responsável pela apresentação musical e, uma roda de conversa, sobre ancestralidade afro-brasileira reuniu pesquisadores, moradores e convidados. O Beco do Candeeiro foi completamente revitalizado e entregue à população há 15 dias. 

O criador do projeto Quizomba na Rota da Ancestralidade e coordenador do Museu da Imagem e do Som (MISC), Cristovão Luiz,  falou sobre a iniciativa que integra um conjunto de ações que visam a ocupação do local. “Em 2012 começamos a desenvolver um trabalho, no mês de novembro, o cortejo afro por essas ruas. Esse trabalho foi ampliado e passou a ser realizado durante todo o ano com o grupo Quizomba na Rota da Ancestralidade”, contou Cristóvão.

Agora o projeto ganha uma nova dimensão a partir da entrega do Beco do Candeeiro para a população, de resgatar e manter a cultura de Cuiabá viva, a partir da valorização das raízes e tradições cuiabanas. Fisicamente, a rota da ancestralidade inclui a Praça da Mandioca – antigo pelourinho, a Rua Ricardo Franco/Rua do Governador, chamada de rua das Pretas, onde as anciãs passavam para lavar e cozinhar, o buracão grande que é a Alvanca de Ouro e a praça da Mãe Preta. “Esses locais, até então, se constituíam num território que estava invisível. O que estamos fazendo é resgatar as personalidades que transitaram e transitam por esse território, e com sua influência africana, contribuíram com a nossa história. Com essa roda de conversa queremos dar vida e visibilidade para essas histórias e para as pessoas que viveram e aqui vivem”, salientou ele.

Uma dessas personalidades é Alair Fernando das Neves, 78 anos, nascido no Beco do Candeeiro onde morou por muitos anos e vivenciou inúmeras histórias. “A minha mãe negra, descendente direta de escravos, foi acolhida nesta casa. Quando a minha avó foi abandona pelo marido, ficou com vários filhos e a minha mãe foi entregue, com seus 9 ou 10 anos, para uma família importante. Ela se tornou uma ‘escrava’, criada pela família, mas na verdade, criada no sentido de servir aos patrões”, contou Alair.

Alair contou que após ficar grávida, sua mãe expulsa da casa dos patrões foi acolhida no Beco do Candeeiro, por uma família que morava ali e assim sua história começou. Avner Augusto da Silva Albino, coordenador de Projetos Culturais da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer lembrou que a iniciativa visa ocupar o espaço do Beco do Candeeiro, tão importante para a memória da cultura ancestral cuiabanas, principalmente pela influência africana, e a valorização do artista local. “Através dessa roda, que fala da rota ancestral da nossa cidade, que compreende o centro histórico, reunindo pessoas empoderadas desses saberes, vão compartilhar um pouco desses conhecimentos para abrilhantar esse momento”, disse o coordenador.

O secretário adjunto de Cultura, Justino Astrevo destacou os objetivos da iniciativa da gestão Emanuel Pinheiro que visa dar uma atenção humanizada ao local. “A revitalização deste local está pronta, precisamos agora nos preocupar com as pessoas, para que tenham essa noção de pertencimento e valorização nos ajudando a cuidar desse espaço”, disse o secretário adjunto de Cultura, Justino Astrevo.

 

Programa já repassou R$ 568 mil às Apaes em todo Mato Grosso.

Desde o primeiro sorteio, agosto de 2019, o Programa Nota MT já repassou R$ 2.618.300,00 para 191 instituições nele cadastradas, o equivalente a 20% das premiações aos sorteados. Desse total, R$ 568.700,00 já foram repassados à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de 45 municípios mato-grossenses.

Ao todo, existem em funcionamento no Estado 67 Apaes filiadas à Federação Nacional da APAE. Restam ainda para repassar R$ 27.800,00 relativos às indicações dos sorteados neste mês de maio, que serão depositados na primeira quinzena de junho.

“Nos deixa muito satisfeitos perceber que o Nota MT está cumprindo sua função social, apoiando instituições que atendem diferentes segmentos, em todas as regiões do Estado. É importante que os cidadãos continuem pedindo o CPF na Nota, se cadastrem no programa e as instituições façam o mesmo para virem a ser beneficiadas, como é o caso das Apaes”, afirma o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

A APAE de Cuiabá é quarta colocada em recebimento de recursos entre as 191 instituições cadastradas junto à Secretaria de Trabalho, Assistência social e Cidadania (Setasc). Até agora a entidade já recebeu do Programa Nota MT, o valor de R$ 83.100,00. Segundo a coordenadora pedagógica da instituição na Capital, Eliete Jandres de Morais, diante um cenário de pandemia sem precedentes na história da instituição, que completa 53 anos no mês de outubro, com a diminuição de doações físicas que completavam as despesas da instituição, o Nota MT veio colaborar com o pagamento de despesas diversas.  

“Com os recursos do Nota MT conseguimos pagar o gás, alimentos, compra de materiais de expediente e pedagógicos. Mesmo diante de tantos desafios em meio a pandemia do novo corona vírus a APAE Cuiabá não deixou de atender as famílias e os filhos destas famílias, e o Nota MT está sendo um parceiro substancial para nossa instituição”, destaca Eliete Jandres de Moraes.

Com a dificuldade de captar recursos na pandemia, os recursos do Nota MT ajudam as Apaes a exercerem sua função social. A maior parte aplica os repasses na manutenção das despesas diárias.  A APAE de Barra do Garças foi indicada a receber R$ 34.100,00. A presidente da entidade Diana Milhomem, conta que os repasses foram de grande importância, pois devido a pandemia ficam impossibilitados de fazer os eventos, e com isto conseguem cumprir com os compromissos, desde luz, telefone e manutenção dos automóveis.

“Além de tudo, conseguimos efetuar parte do pagamento de funcionários e também compramos itens de alimentação para complementar cestas básicas que foram doadas para as famílias de nossos alunos. Agradecemos em nome de todos os nossos assistidos e seus familiares o Programa Nota MT e as pessoas que indicaram a APAE”, ressalta Diana Milhomem.

Outra unidade que os recursos do Nota MT ajudaram muito foi a de Tangará da Serra. Entre outras coisas, dos R$ 71.300 recebidos, parte deles foi utilizado para climatização das salas, com a aquisição de 17 aparelhos de ar condicionado.

E os exemplos vem também de vários outros municípios. A APAE de Guarantã do Norte foi uma das primeiras instituições a entrar no Programa Nota MT. Logo após o lançamento do Nota MT, as voluntárias fizeram uma ampla divulgação na cidade, convidando a população para se cadastrar e indicar a APAE como entidade beneficiada.

Com isso, numa cidade com cerca de 30 mil habitantes, a APAE de Guarantã já recebeu R$31.100,00. Com o dinheiro recebido a instituição construiu um banheiro adaptado para crianças de zero a 13 anos, ampliou a área do almoxarifado, comprou equipamentos, reformou um dos veículos, e restaurou e pintou as mesas e cadeiras usadas pelas crianças em suas atividades. Atualmente, com parte dos recursos, está sendo construída uma piscina para auxiliar nos exercícios com os alunos.

“O programa Nota MT foi de suma importância para a APAE de Guarantã do Norte, pela relevância dos valores recebidos, para desenvolver nosso trabalho. Estamos passando por um período difícil com a pandemia do coronavírus, e esses valores deram um fôlego para a instituição continuar com os atendimentos de nossas crianças especiais”, destaca Roseli Cavalett Sala, diretora da APAE no município.

Já a APAE de Carlinda, município do extremo Norte mato-grossense, com um pouco mais de 11.000 habitantes, usou para custeio em geral. Os recursos também tiveram relevância para a manutenção e desenvolvimento de outras ações. Em Pedra Preta, na região de Rondonópolis, o dinheiro recebido foi utilizado na compra de materiais pedagógicos e a de Pontes e Lacerda, no Oeste do Estado, utilizou na compra de materiais de construção para melhoria da infraestrutura da escola. Em Alta Floresta os recursos foram utilizados para despesas gerais, consumo e manutenção, assim como de Terra Nova e Brasnorte.

Cadastramento das entidades

Para participar do Programa Nota MT, as entidades sociais têm que se cadastrar junto à Setasc. Mais informações sobre o cadastramento acessar nos sites da Sefaz ou da Setasc.

 

 

 

Segunda, 31 Mai 2021 05:00

‘As Três Graças’

Escultura é restaurada e evidencia o cuidado com o patrimônio cultural .

Construída no ano de 1990 para homenagear três mulheres incentivadoras da cultura mato-grossense: a jornalista Luiza de Figueiredo Calhao (Nhalu), a professora e escritora Guilhermina de Figueiredo e a compositora, maestrina, educadora e teatróloga, Zulmira D’Andrade Canavarros, a obra de arte sofreu com a ação do tempo.

Representando o prefeito Emanuel Pinheiro e a primeira-dama Márcia Pinheiro, os secretários municipais de Turismo, Oscarlino Alves e da Mulher, Luciana Zamproni, entregaram na sexta-feira (28), o monumento ‘As Três Graças’. Totalmente recuperado pelo artista plástico Fred Fogaça. Esse é um dos equipamentos culturais mais importantes da história da cuiabania. A cerimônia foi realizada com todos os cuidados necessários de biossegurança.

Com um olhar atento e sempre voltado para as causas femininas no município de Cuiabá, a primeira-dama Márcia Pinheiro,  faz questão de reforçar a preocupação da gestão Emanuel Pinheiro. “Com muita valorização, a gestão acredita na força feminina, com várias secretarias comandadas por mulheres. É um dever do poder público prestar essa homenagem e recuperar uma obra com tamanha grandeza, restituindo essa obra de arte para o convívio da população cuiabana. Três grandes mulheres, cada uma com suas particularidades”, ressaltou Márcia Pinheiro.

O secretário municipal de Turismo lembra que a escultura foi retirada pela Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos- Limpurb e recuperada pela pasta.  A base da obra de arte também foi atingida por um automóvel o que causou sérios danos estruturais. “A devolução desse monumento, sendo entregue com as origens mantidas pelo artista Fred Fogaça, representa a figura de um cuiabano nato que ama e cuida da sua cidade de origem. Desde que assumi a pasta do Turismo tenho uma missão, que é de fortalecer o potencial turístico da capital. Podemos citar como exemplo a entrega do Beco do Candeeiro há duas semanas. São pequenas amostras que serão somatizadas num conjunto de obras que irão fortalecer as ricas histórias de Mato Grosso

“Como secretária da Mulher eu tenho de dizer que sinto orgulho por me sentir representada por essas três mulheres que representam muita mais que uma escultura, mais a vida, é uma história. O trabalho que cada uma delas deixou é muito importante. Que cada mulher que passar por aqui, pela Avenida Coronel Escolástica, se sinta representada”, declarou a secretária  Luciana Zamproni.    

Vida e Trabalho

A jornalista Luiza de Figueiredo Calhao (Nhalu) nasceu em Cuiabá em julho de 1866, carinhosamente chamada de “Nhalu”. Filha de Constantino de Figueiredo e D. Ignez Maria Paes de Faria de Figueiredo. Casou-se com o Major Emílio do Espirito Santo Rodrigues Calhao em 15 de agosto de 1881, filho de Joaquim José Rodrigues Calhao, falecido em Cuiabá a 14 de junho de 1885, depois de ter contribuído para o seu desenvolvimento cultural. Redator do jornal O Liberal e fundador do jornal A Província de Mato Grosso, que Emílio Calhau, seu filho simplificou para O Mato Grosso. Nhalu ao entrar na família, aprendeu a arte de escrever e tornou-se uma promissora jornalista. Um dos trabalhos dela era incentivar a dinamicidade do “Jornal A Voz do Norte”, um jornal noticioso, independente e literário. 

 Já a professora e escritora Guilhermina de Figueiredo nasceu em Cuiabá na Rua 13 de Junho, no dia 05 de junho de 1911. Filha de João Lourenço de Figueiredo e de Dona Francisca Izabel de Figueiredo. Faleceu no dia 04 de julho de 1981, nesta Capital. Ela cursou o 1º grau na escola Estadual Barão de Melgaço e o 2º grau na Escola Estadual Liceu Cuiabano, onde concluiu o curso normal. Segundo seu irmão Benedito de Figueiredo ainda vivo, era autodidata e como tal aprendeu outras profissões, como por exemplo, música e para aperfeiçoamento fez curso de piano, no estado de Guanabara, hoje do Rio de Janeiro.  Tem dois livros editados, um o ABC da Literatura e Lampejos d´alma, colaborou com a revista “A violeta”, ajudou a criar a Fundação Pio XII.

- Nascida em 14 de novembro de 1895, Zulmira D’Andrade Canavarros era compositora, maestrina, educadora e teatróloga e faleceu no ano de 1961. Foi a primeira mulher em Mato Grosso a fundar um clube de futebol. Trata-se do Mixto Esporte Clube, fundado a 20 de maio de 1934. Foi, também, uma intensa ativista cultural e social, além de uma intensa empreendedora.

 Zulmira começou a compor e a escrever peças de teatro, na adolescência, e durante toda a vida tocou piano e violino. Suas composições foram escritas em vários gêneros: sambas, quadrilhas, marchas, toada caipira, bolero, rasqueado, dobrado e embolada. As letras das músicas falam do amor, do sofrimento, do casamento, da relação entre o homem e a mulher e aspectos do cotidiano de Cuiabá.

Foi também uma das fundadoras da rádio Voz d’Oeste, em 1939, primeira rádio de Mato Grosso. Além dos programas jornalísticos, a rádio oferecia programas musicais, onde Zulmira, atuava ao lado de músicos como Ivo Arruda, Décio Gama e Juvenílio de Freitas, encantavam a população mato-grossense. (Com informações da dissertação de mestrado de Viviane Gonçalves da Silva, na tese: “Zulmira de Andrade Canavarros uma mulher sem fronteiras na Cuiabá da primeira metade do século XX. (Texto com informações da jornalista Neila Barreto)

 

Segunda, 31 Mai 2021 05:00

“Faz Escuro mas eu canto”

Fundação Bienal de São Paulo anuncia lista de artistas da 34ª edição> No total, são 91 nomes de 39 países.

 A Fundação Bienal de São Paulo anunciou no último dia 27 a lista completa de artistas participantes da 34ª edição, com o tema Faz Escuro mas eu canto, composta por 91 nomes (sendo 2 duos e 1 coletivo) de 39 países. A edição, iniciada em fevereiro de 2020, culminará na mostra coletiva que vai ocupar todo o Pavilhão Ciccillo Matarazzo a partir de setembro de 2021, simultaneamente à realização de exposições individuais em instituições parceiras na cidade de São Paulo.

Segundo os organizadores da Bienal, entre os artistas da edição, todos os continentes, exceto a Antártica, estão representados, com distribuição equilibrada entre homens e mulheres e uma parte (4%) se identificando como não binária. “Esta será ainda a Bienal com a maior representatividade de artistas indígenas de todas as edições com dados disponíveis, com nove participantes de povos originários de diferentes partes do mundo”, dizem os organizadores. 

O curador da Bienal, Jacopo Crivelli Visconti, disse que a lista de convidados foi elaborada com sentido de urgência, com base nos acontecimentos dos últimos meses, para estabelecer pontes entre obras e artistas que refletem múltiplas cosmovisões, culturas e momentos históricos.

“O processo de colocar em relação e ressonância todas essas vozes foi intenso e estimulante, vivificando um dos conceitos de Édouard Glissant que mais nos inspirou nesse caminho: o de que falamos e escrevemos sempre na presença de todas as línguas do mundo”.

O ano de 2021 marca também o aniversário de 70 anos da 1ª Bienal (1951). Segundo Glissant, ao longo dos últimos 70 anos as bienais de São Paulo adaptaram-se aos tempos - e sua capacidade de mudança e sua abertura ao novo –, que asseguraram que a mostra mantivesse sua relevância artística e cultural. 

“A 34ª Bienal de São Paulo, de alguma forma, simboliza isso: face a tempos desafiadores, encontramos maneiras de nos mantermos fiéis à proposta desta edição sem, no entanto, ficarmos presos em ideias e projetos que haviam perdido sua pertinência no novo contexto global”.

Catálogo digital tenteio 

Devido à pandemia de covid-19, a programação digital da Bienal foi intensificada, permitindo novas formas de conexão com o público, que tende a continuar aumentando. Por isso, neste ano foi lançado um catálogo inteiramente digital para uma Bienal de São Paulo, com 130 publicações ao longo de 70 anos de história. A publicação compõe uma narrativa visual e textual, formada por contribuições de todos os artistas participantes da 34ª Bienal, elaboradas exclusivamente para a ocasião.

“Pretendemos dar continuidade nas próximas edições. A realização do catálogo digital tenteio é, sem dúvida, uma das iniciativas que não estavam previstas no projeto inicial, mas não apenas estão de pleno acordo com ele como também são capazes de expandir seu alcance", afirmou o presidente da Fundação Bienal de São Paulo, José Olympio da Veiga Pereira. 

A lista de artistas participantes pode ser acessada em http://imgs.fbsp.org.br/files/ca49b5630cb0de190786a0992c9991be.pdf

Já o catálogo digital tenteio deve ser acessado no https://issuu.com/bienal/docs/34bsp_tenteio_pt

 

Concorrendo com instituições públicas e privadas de todo Estado, a Escola Estadual Militar Tiradentes Major PM Ernestino Veríssimo da Silva de Rondonópolis, ficou em primeiro lugar em número de medalhas na 5ª edição da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC), realizada o ano passado.

Vinte e dois alunos se destacaram na competição e foram agraciados em quatro medalhas de ouro, sete de prata, sete de bronze e cinco em menção honrosa.

Os vencedores são alunos do 8º e 9º do Ensino Fundamental e do 1º ano do Ensino Médio e receberam as medalhas n0 último dia 26, durante uma solenidade no Oratório Salesiano Filhos de Dom Bosco. Na ocasião, foram tomados todos os cuidados de distanciamento e de biossegurança.

Uma das medalhas de ouro foi do aluno Rafael Correa Pereira, de 14 anos, que também ficou em primeiro lugar na classificação da instituição. Ele contou que foi estimulado a participar da competição pela direção da escola, mas não acreditava que sairia tão bem.

“Estudei pouco na primeira fase, mas quando soube que tinha passado, preparei bastante para a segunda. Estudei história da ciência, geografia astronômica, física e química. Estou muito feliz com o resultado e me sentindo estimulado a participar de outras competições”.

Para o diretor tenente-coronel Kleber Franklin de Lima Ferreira, o resultado é reflexo do trabalho de toda equipe pedagógica da escola que mesmo as aulas sendo realizadas não presenciais, devido a pandemia, o registro diários de conectividade chega a 95%.

“Nosso trabalho é estimular os alunos na busca do conhecimento e reforça que estamos no caminho certo. Estar à frente de instituições tradicionais e de nome da capital e de outras cidades do Estado, só nos enche de orgulho. O estímulo agora é participar de todas as competições nacionais, regionais e estaduais levando novos desafios e conhecimento aos alunos”, destacou o diretor.

O diretor destaca ainda que a premiação evidência a instituição que passa a ocupar lugar de destaque em uma competição nacional em pouco mais de um ano de ativação.

Durante a solenidade, o comandante-geral da PM coronel Jonildo José de Assis junto com o diretor da Diretoria de Ensino e Instrução e Pesquisa (DEIP), coronel André Avelino Figueiredo Neto, enviaram um vídeo felicitando os alunos premiados e agradeceram os pais pela confiança na Polícia Militar.

A Olimpíada Nacional de Ciência integra o Programa Ciência na Escola promovido pela Sociedade Brasileira de Física,  Associação Brasileira de Química,  Instituto Butantan, Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A realização da competição fica a cargo da Universidade Federal do Piauí.

 

Sábado, 29 Mai 2021 05:00

Nota MT sorteia R$ 800 mil em prêmios

Compras até 31 de maio concorrem aos dois próximos sorteios no mês de junho; serão realizados os sorteios mensal Maio e especial de São João.

Os consumidores cadastrados no Nota MT têm até o dia 31 de maio para realizar compras com o CPF na nota e concorrer aos sorteios que serão realizados durante o mês de junho, que vão distribuir R$ 800 mil em prêmios. No dia 10 de junho acontece o sorteio mensal de maio, com premiações de R$ 500 e R$ 10 mil, e no dia 24 de junho será realizado o sorteio Especial de São João, com cinco prêmios de R$ 50 mil.

Para cada compra realizada pelos participantes e devidamente associadas ao CPF cadastrado no Nota MT serão gerados dois bilhetes eletrônicos, um para a premiação mensal e outro para o sorteio especial. É importante lembrar que só concorrem aos valores as pessoas devidamente cadastradas no Programa Nota MT.

De acordo com a Secretaria de Fazenda (Sefaz), órgão responsável pelo Programa Nota MT, os documentos fiscais aceitos são as notas fiscais (NF-e e NFC-e) e os bilhetes de passagem eletrônicos (BP-e), utilizado no transporte interestadual e intermunicipal de passageiros. Além de ser necessário incluir o CPF, existe uma limitação de dois documentos emitidos por dia, em estabelecimentos diferentes.

O sorteio mensal de maio, que acontece no dia 10 de junho, terá como referência os bilhetes gerados a partir das compras realizadas entre os dias 01 e 31 do referido mês.  Já no dia 24 de junho serão sorteados os prêmios especiais de R$ 50 mil, para os quais estarão concorrendo os documentos fiscais emitidos no período de 01 de março a 31 de maio. Conforme as regras já estabelecidas, os sorteios especiais contemplam os documentos acumulados ao longo de três meses, aumentando as chances dos participantes.

Os sorteios são realizados a partir do resultado da Loteria Federal, de onde é extraído o número que define os bilhetes ganhadores da campanha. Quem ainda não está cadastrado no Nota MT, se inscrever pelo site ou aplicativo para celular, realizar compras com a inclusão do CPF até o final de maio e participar dos próximos sorteios.

Solidariedade

Além de concorrer aos sorteios de prêmios em dinheiro, os consumidores cadastrados no Nota MT ainda ajudam a entidade social de sua preferência, que recebe o valor referente a 20% da premiação. 

As instituições e/ou associações interessadas em fazer parte do banco de dados, ou atualizar informações, devem mandar um e-mail para o endereço: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo./ colocar no título “Atualização Cadastral – Nome da entidade” ou acessar a página virtual da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

 

 

Desenvolve MT capacita agentes para ampliar oferta de crédito no interior de Mato Grosso.

Dezessete colaboradores de prefeituras do interior do Estado e entidades do comércio (Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso e Associação Comercia de Cuiabá), participaram do treinamento on-line realizado no último dia 27, promovido pela Agência de Fomento de Mato Grosso – Desenvolve MT. A parceria é fruto do termo de cooperação entre prefeituras, entidades e a Desenvolve MT.

O treinamento faz parte da estratégia de expansão da rede de agentes de crédito e correspondentes para levar as linhas de crédito aos empresários de Mato Grosso com atendimento presencial em todo o Estado.

Em 2020, os municípios do interior atingiram um índice alto de recursos repassados aos empreendedores. Mais de R$ 6milhões em crédito foram concedidos, com destaque para Rondonópolis, Barra do Garças, Lucas do Rio Verde, Sinop, Querência, Tangará da Serra, Cáceres, Poconé, Alta Floresta, Nova Mutum, Juara, São José do Quatro Marcos entre outros.  

Durante a capacitação, o presidente da Desenvolve MT, Jair Marques, destacou a importância do trabalho do agente de crédito no seu município. “O trabalho do agente é fundamental para fazer a conexão entre a agência e o empresário, possibilitando fomentar a economia local gerando emprego e renda na região’’, comenta.

Os agentes de crédito e correspondentes capacitados são parceiros da Desenvolve MT que irão atuar nas respectivas entidades, na oferta de crédito e apoio aos associados e empresas que atuam nos segmentos representados da indústria, do comércio, setor de serviços.

O treinamento foi ministrado pela agente de fomento, Mary Milena Taki, com duração de duas horas por meio de uma plataforma de ensino on-line. Durante a aula, os participantes conheceram as linhas de crédito bem como o todo o processo de preenchimento de cadastro e documentos.

Conheceram também o sistema da plataforma online, local onde é solicitado o crédito e inserido os documentos do empreendedor para análise.

A plataforma online é um produto que foi desenvolvido para trazer agilidade no processo de contratação do crédito, permitindo que todos os municípios de Mato Grosso possam ter acesso sem precisa se deslocar.

Cada correspondente é treinando para dar suporte em todo o processo de solicitação de crédito facilitando assim o encaminhamento das propostas de crédito para a Desenvolve MT.

Como é o caso da agente de crédito em Marcelândia, Viviane Perin Cavalcante, ela já está fazendo atendimento aos empreendedores da sua região. “Já atendi mais de 15 empreendedores, a grande maioria é microempreendedor individual, que procura o crédito para capital de giro, alguns empreendedores já estão na fase final do processo, comenta.

Esse é o terceiro treinamento realizado desde o ano passado, ao todo já foram capacitados 54 correspondentes entre federações, associações e prefeituras.

 

 

Prefeitura de Cuiabá lança Enem Digital com 2 mil vagas para aulas online e abrirá 20 vagas de estágio no executivo municipal.

O prefeito Emanuel Pinheiro lançou mais um eixo do programa Pra Frente Cuiabá na tarde do último dia 27. A ação Enem Digital é a terceira do programa e vai levar conhecimento para quem deseja se preparar para o vestibular. São 2 mil vagas para aulas online que já estão com inscrições abertas no https://mdeduca.com.br/inscricao.html  e permanecem até o dia 16 de junho, com previsão de início das aulas em 21 de junho. Ao fim do curso preparatório, os participantes ainda poderão se candidatar a uma das 20 vagas de estágio remunerado que serão disponibilizadas pelo Executivo Municipal de Cuiabá. A ação é executada pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico.

“Na campanha de 2017 eu fiz o compromisso de criar o CPC, Curso Preparatório Comunitário, fizemos e lançamos na Escola Presidente Médici, dois anos consecutivos, muitos aprovados em universidades públicas. Quis o destino que a gestão humanizada voltasse e agora com um parceiro do bem que é o Stopa, que me ajuda, me dá condições de trabalhar ao lado dos vereadores e aí remodelamos o CPC e lançamos o Enem digital. Mesmo em meio à pandemia nossa cidade não pode parar. E eu quero que, futuramente, o Enem Digital avance para os concurseiros, para aqueles que sonham com a estabilidade pra sua família como servidor público, mas não tem condições de competir com quem pode pagar o curso. Aí entra o poder público, para satisfazer as vontades do detentor do poder, e o detentor do poder é o povo. Eu só estou aqui por causa do povo. Poder público não nasceu para ter juros, o nosso juros é a inclusão social, é prestar serviços públicos de qualidade, como o Enem digital. Isso aqui se chama oportunidade. Precisamos dar oportunidade para essa juventude crescer na vida, realizar seus sonhos”, disse o prefeito de Cuiabá.

O público alvo do Enem Digital são pessoas residentes em Cuiabá, que já concluíram ou que concluirão até dezembro de 2021 o 3º ano do ensino médio. O candidato deve necessariamente ter realizado o 3º ano do ensino médio em escola pública, preferencialmente que a renda familiar seja de até 03 salários mínimos ou renda per capita de até meio salário mínimo. Pessoas que já possuem nível superior ou que já estejam matriculados em algum curso de nível superior não poderão participar.

“O Enem Digital vem com foco nos alunos que não tem condição de pagar por uma formação para competir por uma vaga na universidade. Estamos cumprindo com a determinação do prefeito Emanuel Pinheiro de atender aqueles que mais precisam dos serviços da Prefeitura. Quando pensamos em desenvolvimento econômico, pensamos em capital humano, pensamos na base e a base é a educação, é o conhecimento”, disse o secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Francisco Vuolo.

O Enem Digital será um curso híbrido, com 26 semanas de aulas online, seis semanas de aulas presenciais em quatro polos, um em cada região de Cuiabá e mais 08 aulas semanais de tutorias, um reforço a mais para quem quer se aprofundar nos estudos. O conteúdo será disponibilizado em plataforma criada pelo Instituto Ideaes, parceiro da ação.

“Nós vamos oportunizar para dois mil jovens, duas mil famílias mudarem suas expectativas de vida. E isso só se muda através da educação. O que vamos fazer, junto com secretário Vuolo e o prefeito Emanuel Pinheiro é transformar a vida desses jovens e famílias”, disse o presidente do Instituto Ideaes, Mario Márcio Pecora.

Serão ministradas aulas de todas as disciplinas: gramática, interpretação de texto, redação, espanhol e inglês, história geral e do Brasil, geografia geral e do Brasil, filosofia, sociologia, matemática, química, física e biologia.

As inscrições já estão abertas e permanecem disponíveis até o dia 16 de junho. A previsão é de que as aulas sejam iniciadas no dia 21 de junho. Ao fim do curso, os estudantes poderão se candidatar para uma das 210 vagas de estágio remunerado que o Executivo Municipal de Cuiabá vai disponibilizar em sua estrutura de Secretarias e órgãos.

Pra Frente Cuiabá

O programa Pra Frente Cuiabá é executado pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, em parceria com núcleo da primeira-dama Márcia Pinheiro, Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência e Secretaria de Fazenda. 

Já foram lançadas as ações Sine da Gente e Enem Digital, executadas pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico e a ação Qualifica Cuiabá, idealizada e executada pela primeira-dama Márcia Pinheiro, juntamente com a Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência e Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico. 

 Confira um pouco mais das cinco ações do programa Pra Frente Cuiabá:

- Sine da Gente: Implantação de uma unidade móvel que atuará nos bairros para atender a oferta e demanda de emprego por região.

- Enem Digital 5.0: Ensino no modelo híbrido; Suporte técnico e personalizado; 2.000 alunos.

- Qualifica Cuiabá: Programa da Secretaria de Assistência Social, em parceria com SESI, SENAI, SEBRAE e FECOMÉRCIO; Desenvolver as habilidades dos cidadãos para o fomento na geração de renda para família; Preparar a mão-de-obra para o mercado de trabalho.

- Agro da Gente: Fortalecimento do apoio à agricultura familiar; Qualificação técnica na produção do campo; Incentivo à atividade da agroindústria; Programa de incentivo para quatro cadeias produtivas: Peixe, FLV (fruta, legume e verdura), Frango e Leite.

- Cuiabanco: Linha de Crédito para o pequeno empreendedor com juros zero; PAA – Programa de aquisição de alimentos.

 

Astrofísica brasileira na China lista avanços na conquista do espaço neste ano.

 Se há uma década afirmassem que, em 2021, teríamos, ao mesmo tempo, três países diferentes com missões espaciais de alta tecnologia para investigação e com comunicação em Marte (sendo dois países com robôs em solo), talvez fosse difícil de acreditar. Isso porque em 2011, após várias missões ao planeta vermelho, ainda estávamos prestes a lançar a sonda Curiosity pela Agência Espacial Americana (Nasa). Até então, era a tecnologia mais inovadora para exploração do planeta, que só chegou a pousar em Marte em agosto de 2012. Foi em 2011 também que a Nasa divulgou as primeiras imagens que sugeriam que já existiu água no passado do planeta, a partir do que pareciam rastros da substância em um terreno rochoso.

Uma década depois, assistimos, em tempo real, à atuação de Estados Unidos, China e Emirados Árabes Unidos em missões simultâneas no planeta vizinho. Enquanto Estados Unidos e China se debruçam sobre a investigação de um passado vivo de Marte, a partir de vestígios deixados pela água, os Emirados Árabes concentram seus esforços na pesquisa sobre a atmosfera do planeta.

Além destes três países, até hoje apenas a Índia, a antiga União Soviética e a Agência Espacial Europeia enviaram missões ao planeta. O momento atual é considerado uma ''era de ouro dos experimentos astronômicos'', define Larissa Santos, pesquisadora e professora no Centro de Gravitação e Cosmologia na Universidade de Yangzhou, na China.

A astrofísica e cosmóloga brasiliense foi selecionada, há seis anos, para atuar na Universidade de Ciência e Tecnologia da China, após se formar em física pela Universidade de Brasília (UnB) e passar por especializações no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São Paulo, e na Universidade de Roma, na Itália.

Ela destaca que, neste momento da conquista espacial, em que Estados Unidos, China e Emirados Árabes estão ao mesmo tempo explorando Marte, há chance de encontrarmos respostas para questões antigas. “O Perseverance da Nasa é o primeiro robô que realmente procura por evidências de vida microbiana no passado de Marte, devido ao local onde ele pousou (a cratera Jezero), onde vemos a presença de minerais que só podem ser formados na presença de água”, diz.

Além do Perseverance, que pousou em Marte em 18 de fevereiro, Larissa ressalta a bem-sucedida missão chinesa, a Tianwen-1, que entrou em órbita em fevereiro e pousou, com sucesso, o rover Zhurong, em 14 de maio. A China é o segundo a pousar um robô, com sucesso, em Marte. ''E claro que a gente não pode deixar de falar da missão histórica dos Emirados Árabes Unidos'', diz a brasileira, sobre a chegada ao planeta, em 9 de fevereiro, da sonda Hope, para investigar as condições atmosféricas marcianas.

Marte é uma das apostas para vestígios de vida

Ainda nesta década, a cosmóloga adianta mais expectativa em torno de uma missão em parceria da Nasa com a Agência Espacial Europeia para buscar as coletas feitas pelo Perseverance. ''Se encontrássemos vida fora da Terra, seria a descoberta mais importante para a ciência, na minha opinião. Por ter tido água no passado, Marte é uma das maiores apostas de onde achar vestígios de vida. Estamos exatamente buscando estas evidências com os robôs que estão na superfície'', explica.

Ainda sobre a ascensão das pesquisas em 2021, Larissa ressalta outro marco da ciência mundial, com o lançamento do telescópio James Webb, previsto para outubro deste ano. O equipamento deve captar imagens das estruturas mais antigas do universo.

Outro projeto, do qual ela faz parte, é o do telescópio Ali, em construção pela China no Himalaia. O Ali também quer investigar o universo primitivo, pesquisando a chamada de radiação cósmica de fundo. ''Estes dados podem nos revelar informações sobre os instantes iniciais do universo'', diz.

E esta não é a única frente de trabalho de Larissa no que diz respeito ao estudo dos segredos do universo. Ela faz parte de uma iniciativa que envolve um dos maiores mistérios da cosmologia moderna: a energia escura, que corresponde a 70% do universo. Ela é objeto de pesquisa do Bingo (da sigla em inglês para Baryon Acoustic Oscilations in Neutral Gas Observations), uma espécie de observatório que tem parceria do Brasil, Reino Unido, Suíça, Uruguai, França, África do Sul e China, país que a pesquisadora representa.

''O que a gente espera é poder revelar um pouco mais sobre a energia escura. A gente não sabe o que ela é, somente o que ela provoca: uma expansão acelerada do Universo. Ou seja, as galáxias estariam se afastando cada vez mais rápido umas das outras, e isso nos encaminha para uma morte tragicamente fria'', diz.

Nos últimos tempos, a brasileira dedica-se também à divulgação científica nas redes sociais, onde repercute as principais pautas astronômicas. Segundo ela, o desafio desta jornada é adequar ''assuntos mais complexos em uma roupagem mais popular, mas sem simplificar demais''. Larissa é autora do livro Universo Escuro, finalista do Prêmio Jabuti 2017, e que pode ser baixado, de graça, na página pessoal da pesquisadora na internet.

 

Cultivo orgânico de gergelim e algodão colorido auxilia agricultores a exportarem produção.

Os cultivos de gergelim e algodão colorido no sistema agroecológico vêm sendo executado por 16 famílias de agricultores familiares no município de Canarana (823 km a Leste de Cuiabá). As lavouras ocupam uma área de 40 hectares e a produção de gergelim foi exportada para o Japão. A previsão para a comercialização do algodão é no mercado interno e exportar para a França. O técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Gildomar Avrella, fala que o objetivo é promover uma agricultura sustentável com soluções econômicas juntamente com a parceria de diferentes instituições públicas e privadas.

As lavouras foram implantadas nos Assentamentos Guatapará (Canarana) e Nova Aliança em Gaúcha do Norte. Os agricultores foram capacitados e receberam treinamento para o cultivo sustentável com a oportunidade de desenvolver um trabalho com o algodão e gergelim agroecológico, abrindo mercados com fibras e grãos sustentáveis. “Esse projeto vem sendo executado desde 2019 pelos técnicos da Empaer, com a finalidade de incentivar a comercialização de produtos da agricultura familiar através de parcerias com empresas privadas”, esclarece.

Conforme Gildomar, para atender o mercado europeu a produção de algodão será produzida de forma orgânica e com certificação para embarque internacional. O contato e as negociações estão sendo feitas com uma empresa francesa para aquisição do algodão tanto colorido quanto o branco. O gergelim já foi comercializado para o Japão, numa quantidade que gira em torno de 40 toneladas. Antes de embarcar a matéria prima, o exportador faz análise dos grãos. “A produção de gergelim vai atender a demanda de semente certificada para o mercado nacional”, esclarece.

Numa área de 5 hectares, a previsão é de produzir entre 12 toneladas a 15 toneladas de algodão em pluma. Gildomar prevê uma rentabilidade com a venda do produto orgânico em torno de R$ 16 mil por hectare. Ele explica que a intenção é criar núcleos orgânicos dedicados a produção sustentável, que ajudarão os agricultores a coordenarem seus esforços e acessarem benefícios como treinamentos, assistência técnica, que proporcionam uma transformação econômica, gerando renda e melhorando a condição de vida das famílias do meio rural. 

Os agricultores precisam produzir um volume mínimo para exportação em torno de 15 toneladas de algodão por safra. A lavoura do gergelim ocupa uma área de 35 hectares. A intenção dos agricultores é chegar a uma produção de  100 toneladas do grão por ano. O técnico da Empaer explica que a produtividade média está em torno de 3 mil quilos de gergelim por família. Cada agricultor plantou entre um e dois hectares. O ciclo da cultura é de 120 dias, e a colheita é feita manualmente.

Desde a criação destes dois projetos no sistema orgânico, Gildomar explica que a Empaer vem trabalhando em parceria com diferentes instituições, públicas e privadas, para viabilizar soluções econômicas, desenvolvimento e inovação para a competitividade e sustentabilidade da agricultura familiar do município. Ele enfatiza que o desafio da agricultura familiar é a transição para sistemas com uma base de mercado cada vez maior, que leve em consideração a demanda atual e futura por alimentos e matérias-primas.

“A previsão para 2022 é a inclusão de novos agricultores com o compromisso de melhorar as condições de vida dessas famílias. Com a participação do setor privado, acredito no aumento da produtividade, da receita e, como consequência, o desenvolvimento rural”, declara Avrella.

 

Página 6 de 127